Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-08-19T13:05:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
menos um

CVM absolve Eike e ex-executivos em processo envolvendo a CCX

Mais cedo, o empresário foi condenado a pagar uma multa de R$ 536 milhões por crime de “insider trading” em negociação de ações da petroleira OGX

28 de maio de 2019
8:02 - atualizado às 13:05
Eike Batista
No processo envolvendo a CCX a absolvição foi por unanimidade.Imagem: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) absolveu, por unanimidade, o empresário Eike Batista, ex-diretores e ex-conselheiros da CCX Carvão da Colômbia. O processo dizia respeito a omissão da real situação financeira e patrimonial da empresa no primeiro trimestre de 2013.

O caso é um dos cinco processos envolvendo o nome do empresário que a CVM começou a julgar nesta segunda-feira, 27. Em um deles, Eike foi condenado a pagar uma multa de R$ 536 milhões por crime de “insider trading” em negociação de ações da petroleira OGX.

No processo envolvendo a CCX, no entanto, a absolvição foi por unanimidade. "Após análise do caso, acompanhando o voto do Diretor Relator Henrique Machado, o Colegiado da CVM decidiu absolver Gelson da Silva Batista, Bernardo de Araújo Chaves Perseke, Eike Fuhrken Batista, Luiz do Amaral França Pereira e Samir Zraick das acusações formuladas", diz a CVM.

Acompanhando o voto do diretor relator, o Colegiado da CVM decidiu votar pela extinção da punibilidade de Eliezer Batista da Silva, devido ao falecimento do acusado em 2018.

O processo

Dois executivos - o na época diretor presidente e diretor de relações com investidores, além do diretor jurídico e administrativo da empresa - foram acusados de ter conhecimento das incertezas relacionadas à recuperabilidade do valor dos ativos de mineração de carvão detidos pela companhia na Colômbia.

Eles também foram acusados de, ao elaborar demonstrações financeiras intermediárias da CCX relativas ao período encerrado em 30 de setembro de 2013, omitirem informações relevantes para a compreensão de sua situação financeira e patrimonial, segundo a CVM.

Eike e mais três executivos, na qualidade de conselheiros de administração da CCX, também foram apontados como pessoas que tinham conhecimento, ao menos desde 29 de outubro de 2013, das incertezas relacionadas à recuperabilidade do valor dos ativos de mineração de carvão na Colômbia.

O processo também dizia que eles haviam deixado de adotar as providências compatíveis com a relevância e natureza da situação, de modo a assegurar que as demonstrações financeiras intermediárias que evidenciasse informações relevantes para a compreensão da situação financeira e patrimonial da Companhia.

Pedidos de vista

A CVM tinha como plano julgar ao longo desta segunda-feira cinco processos envolvendo Eike Batista. Quatro sobre a OGX e um sobre a CCX. Mas três ainda não tiveram um desfecho devido a pedidos de vista.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro avança mais de 1% puxado pelo exterior e dólar abre estável

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Onde investir o décimo terceiro, o avanço da ômicron, a disputa pela Latam e outros destaques do dia

A tão aguardada gratificação criada no governo de João Goulart cai na conta em duas parcelas, sendo a primeira até amanhã

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: mundo monitora avanço da variante ômicron da covid-19 em semana de Livro Bege e PIB brasileiro

Além disso, os contornos da disputa política de 2022 começam a ficar mais claros com a entrada de mais candidatos ao pleito

OMS ALERTA

Variante Ômicron representa risco global ‘muito elevado’ e é provável que se espalhe

OMS emitiu hoje um informe técnico sobre a cepa do coronavírus causador da covid-19 recentemente descoberta na África do Sul

MULTIFACETADO

‘Genial e visionário’: Virgil Abloh, diretor artístico da Louis Vuitton, morre aos 41 anos depois de luta contra forma rara de câncer

Estilista norte-americano ganhou notoriedade como diretor criativo do rapper Kanye West e fez história na LVMH

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies