Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:46:00-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
EUA

Sob pressão, Trump assina projeto de lei para reabrir governo

O acordo que o presidente norte-americano conseguiu com os líderes do Congresso não contém dinheiro novo para o muro, mas encerra a paralisação mais longa história dos Estados Unidos

26 de janeiro de 2019
9:28 - atualizado às 13:46
GIf de Donald Trump
Donald Trump - Imagem: Giphy

Sob pressão cada vez maior, o presidente dos EUA, Donald Trump, assinou um projeto de lei para reabrir o governo por três semanas, mas afirmou que tentará novamente persuadir os legisladores a financiar a construção de um muro na fronteira com o México.

O acordo que o presidente norte-americano conseguiu com os líderes do Congresso não contém dinheiro novo para o muro, mas encerra a paralisação mais longa história dos Estados Unidos.

O acordo foi aprovado nesta sexta-feira, de forma rápida e unânime, primeiro no Senado, depois a Câmara. Na mesma noite, Trump assinou o projeto. A administração pediu aos chefes dos departamentos federais que reabram os escritórios de maneira "pronta e ordenada".

Os fatos desta sexta-feira foram vistos como uma vitória dos democratas, já que reabrem o governo sem a concessão de fundos para o muro almejado pelo presidente americano.

O recuo de Trump ocorreu no 35º dia de paralisação parcial, em meio ao aumento dos atrasos nos aeroportos do país e não pagamento de salários a centenas de milhares de trabalhadores federais, o que trouxe urgência aos esforços para resolver o problema.

"Isso não foi de forma alguma uma concessão", escreveu Trump em sua conta no Twitter, nesta sexta-feira, afastando os críticos que queriam que ele continuasse lutando.

"Eu estava cuidando de milhões de pessoas que foram gravemente feridas, com o entendimento que, em 21 dias, se nenhum acordo for feito, é hora de prosseguir".

O fechamento terminou quando os líderes democratas insistiram que deveriam reabrir o primeiro governo, depois falar de segurança na fronteira.

"O presidente achou que poderia desbancar os democratas, e não conseguiu, e espero que isso seja uma lição para ele", disse o líder democrata no Senado, Chuck Schumer.

"Nossa união é o nosso poder. E é isso que o presidente pode ter subestimado", disse a presidente da Câmara, Nancy Pelosi.

Trump afirma que o governo pode voltar a sofrer paralisação em meados de fevereiro, caso não seja liberada verba para o muro.

No entanto, quando as negociações forem retomadas, Trump entra em uma posição enfraquecida. Uma grande maioria dos americanos o culpou pelo impasse e rejeitou seus argumentos sobre um muro de fronteira, indicou uma recente pesquisa.

"Se não conseguirmos um acordo justo do Congresso, o governo fechará em 15 de fevereiro novamente, ou usarei os poderes conferidos a mim pelas leis e pela Constituição dos Estados Unidos para resolver essa emergência", disse Trump.

O presidente disse que poderia declarar uma emergência nacional para financiar unilateralmente o muro da fronteira se o Congresso não fornecer o dinheiro. Tal movimento quase certamente enfrentaria obstáculos legais.

Como parte do acordo com os líderes do Congresso, legisladores bipartidários da Câmara e do Senado estavam sendo treinados para considerar os gastos com a fronteira como parte do processo legislativo nas próximas semanas.

"Eles estão dispostos a colocar o partidarismo de lado, eu acho, e colocar a segurança do povo americano em primeiro lugar", disse Trump. Ele disse que uma "barreira" ou muros serão uma parte importante da solução.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Ele está de volta?

Setores fazem pressão por volta do horário de verão

Criado com a finalidade de aproveitar o maior período de luz solar durante a época mais quente do ano, o horário de verão foi instituído no Brasil em 1931 pelo então presidente Getúlio Vargas e adotado em caráter permanente a partir de 2008.

MANOBRAS

Juiz põe no banco dos réus ex-gestores do banco Máxima por gestão fraudulenta

O Banco Máxima S.A. informa que seus atuais acionistas assumiram a administração do banco em 2018, após aprovação pelo Banco Central, e que os integrantes da antiga gestão não têm mais qualquer relação com a instituição financeira

Foguete? Tô fora!

Warren Buffet: o bilionário que não quer conhecer as estrelas

Enquanto Bezos, Musk e Branson protagonizam a nova corrida especial, o Oráculo de Omaha prefere apenas observar

O melhor do Seu Dinheiro

O seu momento Sherlock Holmes

Na adolescência, ouvia que quem buscasse por romance policial brasileiro deveria ler algo do Rubem Fonseca. Era uma vontade minha achar uma história desse gênero que fosse mais próxima da minha realidade — e o filtro nacionalidade me pareceu o mais adequado.  A ideia surgiu depois de ter conhecido parte das histórias criadas por Agatha […]

Mesa Quadrada

Comentarista da ESPN Paulo Antunes fala da sua paixão por futebol americano e experiência no mercado financeiro

Ele conta sobre suas aventuras na cobertura de futebol americano e basquete e ainda revela seus investimentos na Bolsa em novo episódio do podcast Mesa Quadrada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies