Menu
2019-06-12T12:32:23-03:00
Estadão Conteúdo
Queda na inadimplência

Recuperação de crédito sobe 4,7% em maio, mas cai em 12 meses, diz Boa Vista

Boa Vista ressalta que a queda do indicador em 12 meses sinaliza dificuldade dos endividados de reequilibrarem a sua situação financeira

12 de junho de 2019
12:17 - atualizado às 12:32
dinheiro; debênture
Imagem: Shutterstock

O indicador de recuperação de crédito registrou alta de 4,7% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, segundo a Boa Vista. Na comparação com o mesmo mês de 2018, porém, houve redução de 9,9%. No ano, o indicador também acumula queda de 7,1%, assim como em 12 meses (-1,2%).

O índice é obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base de dados da Boa Vista.

Na margem, todas as regiões do País apresentaram avanço. A maior alta foi observada na região Sul (6,0%), seguido do Centro Oeste (5,6%) e do Sudeste (5,2%).

Depois aparecem o Nordeste (2,8%) e a região Norte (1,8%). Em 12 meses, por sua vez, os resultados são todos negativos: Centro Oeste (-2,3%), Sudeste (-1,4%), Norte (-1,2%), Nordeste (-0,9%) e Sul (-0,2%).

A Boa Vista ressalta, em nota, que a queda do indicador em 12 meses sinaliza dificuldade dos endividados de reequilibrarem a sua situação financeira. Já, no mês, a instituição avalia que o crescimento da recuperação de crédito pode ser reflexo dos juros baixos, que tendem a ajudar a renegociação de dívidas.

Contudo, a Boa Vista pondera que ainda há tendência de queda da recuperação de crédito. "Apesar da alta de maio, que, em si, é uma notícia positiva, é cedo para falar em mudança desta tendência, uma vez que não há qualquer indício de alteração consistente na situação do mercado de trabalho", diz, citando o elevado desemprego, a alta subutilização da mão de obra e o fraco crescimento da renda.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

esquenta dos mercados

Otimismo com vacina e preocupação com situação fiscal se chocam nos mercados

Na agenda, o destaque fica com a divulgação do IPCA-15, prévia da inflação, e dados da arrecadação federal.

AÇÕES NO BOLSO

SulAmérica vai distribuir ações a acionistas após aumentar capital social

Acionistas terão direito a 18,8 novas ações ordinárias e preferenciais para cada lote de 1 mil papéis de cada tipo

follow on

Ânima fará oferta restrita de ações que pode chegar a R$ 1,1 bilhão

Recursos levantados serão destinados a financiar parte da aquisição dos ativos do grupo americano de educação Laureate no Brasil

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil tem 6 milhões de casos e quase 170 mil mortes

Nas últimas 24 horas foram registrados 302 óbitos e 16.207 novos diagnósticos positivos da doença

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Onde investir se a Bolsa americana estiver cara?

Existe um horizonte relativamente estável em que poderá haver continuidade dessa alta, mas para onde irão os recursos em um segundo momento?

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies