Menu
2019-10-14T14:22:21-03:00
Estadão Conteúdo
Fica pra próxima

Sem acordo, senadores recuam em projeto que beneficiaria partidos

Relator da proposta no Senado, Weverton Rocha (PDT-MA), retirou todos os demais trechos do texto em uma nova versão de seu parecer

17 de setembro de 2019
19:40 - atualizado às 14:22
senado
Senado - Imagem: Alessandro Dantas/Fotos Públicas

Senadores recuaram da tentativa de aprovar um projeto que beneficia partidos políticos. Com o compromisso de fixar o fundo eleitoral em R$ 1,7 bilhão para as eleições municipais do ano que vem, mesmo montante utilizado para o pleito presidencial de 2018, o relator da proposta no Senado, Weverton Rocha (PDT-MA), retirou todos os demais trechos do texto em uma nova versão de seu parecer.

Dessa forma, a Câmara terá de novamente se debruçar sobre a proposta. O parecer de Weverton foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado e deve ser votada pelo plenário da Casa ainda nesta terça-feira, 17. Partidos têm pressa para a aprovação do projeto e pedem que o texto esteja sancionado até o dia 3 de outubro, valendo para as eleições de 2020.

Na versão aprovada pela CCJ, o único ponto que sobrou no projeto foi aquele relativo à verba do orçamento para as eleições. Em 2018, o fundo eleitoral teve valor determinado por, no mínimo, 30% das emendas de bancadas estaduais, além da compensação fiscal de propaganda partidária na TV e rádios.

A proposta deixa indefinido o montante das emendas que comporão esse fundo - determinado pela Lei Orçamentária Anual (LOA) -, possibilitando, assim, que a quantia ultrapassasse os valores utilizados no pleito anterior. O compromisso, disse o relator, é que a Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso fixe para as eleições de 2020 o valor de R$ 1,7 bilhão do fundo eleitoral.

Entre outros pontos, o projeto afrouxava regras para sanções a partidos, dificultava a fiscalização - abrindo brecha para o caixa dois - e flexibilizava normas de prestação de contas. A proposta permitia, ainda, que advogados e escritórios de contabilidade fossem pagos com dinheiro dos partidos. O relator retirou esses itens da proposta.

"Esse é o tipo de entendimento que não é maioria por si só, tem que ser construído com uma unidade, e não tinha uma unidade", afirmou Weverton quando perguntado sobre a reviravolta na proposta.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

o melhor do seu dinheiro

Efeito Lula livre na bolsa – 2022 já começou?

No Brasil morre-se de tudo – inclusive morre-se muito de covid -, mas não se morre de tédio. Os mercados locais começaram o dia castigados pelos temores dos investidores em relação ao avanço da pandemia no país, hoje no seu pior momento. Como se todas as incertezas em relação ao combate ao coronavírus por aqui […]

balanço 4º tri

Magazine Luiza vê lucro ir a R$ 219 milhões no 4º tri e supera expectativas do mercado

A varejista Magazine Luiza encerrou o quarto trimestre de 2020 superando as expectativas do mercado. A companhia divulgou na noite desta segunda-feira (08) o seu resultado trimestral, com umacom alta de 30,6% no lucro líquido, para R$ 219,5 milhões. No acumulado do ano passado, o resultado encolheu 57,5%, para R$ 391,7 milhões. No critério “ajustado”, […]

Desidratação à vista?

Bolsonaro: Lira e relator vão discutir PEC Emergencial, podem criar PEC paralela

Na entrevista, Bolsonaro afirmou que a PEC deve ser votada pela Câmara na quarta-feira, 10. De acordo com ele, ao votar a medida, os deputados federais darão o sinal verde para retomada do auxílio emergencial em cinco dias

Fechamento do dia

São muitas emoções! ‘Efeito Lula’ aprofunda incertezas locais e faz Ibovespa cair 4%; dólar fecha a R$ 5,77

Mercado doméstico já operava em queda firme antes da decisão do ministro Fachin; aumento das incertezas pesou sobre bolsa, dólar e juros

REVIRAVOLTA

Ibovespa recua 3% e dólar vai a R$ 5,78 após STF anular condenações de Lula na Lava Jato

Diante de um cenário já negativo, a decisão aumenta o nível de incertezas domésticas, segundo analistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies