Menu
2019-10-11T08:26:18-03:00
Estadão Conteúdo
de olho em brasília

Saneamento também pode ter texto alterado

Projeto que atualiza o marco legal do saneamento do País pode se transformar em mais uma proposta paralela no Congresso

11 de outubro de 2019
8:26
Saneamento Básico
Imagem: Shutterstock

O projeto que atualiza o marco legal do saneamento do País pode se transformar em mais uma proposta paralela no Congresso. Segundo o 'Estadão/Broadcast' apurou, a Câmara estuda enviar diretamente para sanção presidencial os trechos que forem aprovados conforme a proposta encaminhada pelo Senado. Já a parte alterada - e que levanta polêmica entre governadores e parlamentares - se transformaria em um projeto paralelo a ser analisado pelos senadores.

A possibilidade de o projeto acabar com os contratos de programa, aqueles assinados entre municípios e empresas estaduais sem concorrência com a iniciativa privada, tem resistência de prefeitos e governadores. Não há acordo para aprovar esse item ou calibrar as regras de transição para o modelo de contratos de concessão, em que poderá haver licitação com participação de empresas privadas. Sem consenso, esse trecho deve originar um projeto paralelo.

O relator da proposta na Câmara, Geninho Zuliani (DEM-SP), manteve a previsão de que os contratos existentes permaneçam em vigor até o fim do prazo contratual. O Senado deixava a situação flexível para prefeitos e empresas estaduais, que poderiam prorrogar os contratos de programa mediante um acordo. O parecer de Zuliani permite uma prorrogação por somente cinco anos e ainda exige que o serviço tenha cobertura de 90% do abastecimento de água e de 60% do tratamento de esgoto, cenário factível apenas em grandes cidades.

Zuliani deixou de fora a permissão para que municípios e empresas estaduais assinassem contratos de concessão sem licitação se não houvesse "viabilidade econômica que justifique sua privatização". O trecho colocado pelo Senado foi interpretado como uma flexibilização que, na prática, desidratava a intenção de inserir a iniciativa privada na prestação dos serviços no País. No Senado, conforme lembra o relator do projeto na Casa, Roberto Rocha (PSDB-MA), o item foi inserido para atender a prefeitos de municípios pequenos, considerados de pouco interesse econômico. Ele evita, no entanto, avaliar a viabilidade de o relatório da Câmara prosperar no Senado. "Vai ser votado ainda, pode ser alterado. É preciso esperar como vai ficar o conteúdo para fazer uma avaliação", afirmou.

Os pontos do Senado mantidos pelo relator e que, se aprovados, poderão seguir direto para sanção presidencial são menos polêmicos. Um deles determina apoio técnico da União para migração do modelo estabelecido no projeto. Outra amplia o prazo para que os municípios acabem com os "lixões" de depósito de resíduos. O prazo é estendido de 2020 para agosto de 2021 em capitais e para agosto de 2024 em cidades com menos de 50 mil habitantes. Um terceiro item mantido exige dos contratos, sob pena de nulidade, metas de expansão dos serviços e repartição de riscos entre as partes.

Textos paralelos

A prática de retirar trechos polêmicos de um texto e transformá-los em outra proposta tem se tornado comum no Congresso. A manobra já foi feita com a reforma da Previdência e com a divisão dos recursos do megaleilão do pré-sal. Na proposta que muda o sistema de aposentadorias no País, o Senado decidiu elaborar um texto paralelo para incluir Estados e municípios na reforma.

No caso da proposta que abria caminho para o leilão, marcado para novembro, o Congresso promulgou a parte que dá aval ao leilão, mas separou em um texto paralelo os critérios de divisão dos recursos com Estados e municípios. Esse item gerou divergência entre a Câmara e o Senado e, sem acordo, teve de voltar à tramitação. Na quarta-feira, os deputados aprovaram uma nova divisão, que privilegia, proporcionalmente, São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

fique de olho

Itaú anuncia pagamento de juros sobre capital próprio

Serão R$ 0,05648 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte; pagamento é uma antecipação aos aos dividendos e JPC do resultado de 2021

mudanças na estatal

Conselheiro recém-eleito da Petrobras renuncia

Marcelo Gasparino da Silva foi eleito no último dia 12; executivo indica medida como “irrevogável”

seu dinheiro na sua noite

B3 Fashion Week

A semana de moda da bolsa brasileira está pegando fogo! Flashes por todos os lados, comentários entusiasmados, queixos caídos a cada novo desfile. As grandes marcas não pouparam esforços para a coleção outono/inverno — e, como era de se esperar, um intenso burburinho toma conta dos bastidores. Essa sexta-feira foi particularmente animada, com a Renner […]

Moradia classe A

Pandemia, juros baixos e dólar caro: combo impulsiona o mercado de imóveis de luxo

Uma combinação que prejudicou boa parte das empresas brasileiras acabou beneficiando o segmento imobiliário de alto padrão

fechamento da semana

Brasília impede Ibovespa de decolar, mas saldo da semana ainda é positivo; dólar vai a R$ 5,58

No Brasil, o que garantiu um bom desempenho do Ibovespa foi a alta das commodities e a recuperação econômica de Estados Unidos e China.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies