🔴 HERANÇA EM VIDA? NOVO EPISÓDIO DE A DINHEIRISTA! VEJA AQUI

Estadão Conteúdo
Reformas à vista?

Eleições de Alcolumbre e Maia devem animar mercado, dizem economistas

Para o economista-chefe da Nova Futura Investimentos, Pedro Paulo Silveira, apesar de algumas dificuldades, “o resultado líquido é uma vitória do governo”

Precatórios
Congresso Nacional em Brasília - Imagem: Shutterstock

Nomes do governo, as eleições de Davi Alcolumbre (DEM-AP) e de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para as presidências do Senado e da Câmara dos Deputados, respectivamente, devem animar os mercados na segunda-feira, 4, apostam economistas.

Para o economista-chefe da Nova Futura Investimentos, Pedro Paulo Silveira, apesar de algumas dificuldades, "o resultado líquido é uma vitória do governo".

"Eu acho que o primeiro nome (Maia) já foi dentro do que o governo esperava. Eu imagino que reforça a ideia que vai ser mais fácil para o governo negociar com a Câmara tendo ele como interlocutor", defendeu.

Já o resultado do Senado trouxe algumas instabilidades. "(O contexto) mostrou um Senado mais problemático. A forma como aconteceu, bem turbulenta, pode trazer um pouco de emoção para o governo. Mas, no final das contas, sinaliza que o governo tem a maioria lá", disse.

Na atual etapa de debates envolvendo a Previdência, a principal reforma aguardada pelo mercado, Silveira disse que as atenções continuarão no Congresso, daí a relevância da vitória governista nas presidências das duas casas. "Passada a reforma da Previdência, os olhos dos mercados estarão mais focados nos ministérios do que no Legislativo", disse. O economista explicou que diversas pastas do governo já sinalizaram a elaboração de propostas importantes para destravar a economia - promessa do governo que já estaria até embutida nos preços dos ativos, com o Ibovespa se aproximando dos 100 mil pontos.

"Vitória do Davi pode ter deixado cicatrizes no Senado", diz economista.

O economista-chefe da Necton Investimentos, André Perfeito, diz que ainda é cedo para avaliar os reais benefícios que tal cenário trará para o andamento das reformas. Segundo Perfeito, o mercado deve voltar a operar animado na segunda-feira.

"É provável que o mercado se entusiasme (com a vitória dos aliados), mas vai demorar muito ainda para a gente entender se eles (Maia e Alcolumbre) vão conseguir articular ou não. A vitória do Davi pode ter deixado cicatrizes no Senado", disse.

De acordo com Perfeito, o pleito tumultuado e o conflito com Renan Calheiros (MDB-AL) podem ser uma conta cara no futuro. "O custo elevado é que o Senado está conflitado. Renan (Calheiros) é um inimigo poderoso e eles conseguiram transformar ele em um inimigo (do governo) e isso preocupa", argumentou.

Perfeito ponderou, ainda, que a vitória de Maia não garante sinal verde para o governo na Câmara. "Maia conseguiu chegar de forma contundente e fazendo acordos tanto com a direita, quanto com a esquerda. Não se sabe que tipo de aliança é essa que se construiu", disse o especialista.

O economista-chefe da Necton lembrou que Maia pode facilitar o trânsito do governo, mas que ele sozinho tem poderes limitados. "As pessoas vão ter de ir atrás dos votos na Câmara. Não depende dele (Maia)", afirmou, acrescentando que o governo poderá ter dificuldade no andamento das propostas que dependam das mesas diretoras.

Compartilhe

SEGREDOS DA BOLSA

Esquenta dos mercados: Bolsas estrangeiras iniciam semana no azul, mas ruídos políticos locais seguem causando interferência

18 de julho de 2022 - 6:32

Bolsas sobem lá fora com expectativa de bons resultados trimestrais; no Brasil, partidos se preparam para convenções

VITÓRIA PARA O GOVERNO

Câmara aprova ‘PEC Kamikaze’ em 2º turno após manobras de Lira e uma visita da Polícia Federal; veja os próximos passos da proposta

13 de julho de 2022 - 19:07

O deputado prometeu que quem faltasse na votação ganharia uma falta administrativa e lançou mão de outras manobras para garantir o quórum

LDO 2023

Caiu e passou: Congresso aprova Lei das Diretrizes Orçamentárias sem emendas impositivas de relator; texto vai à sanção presidencial

12 de julho de 2022 - 17:28

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) retirou do texto a execução obrigatória das emendas de relator, identificadas como RP 9

ACERTO DE CONTAS

Com teto do ICMS em 17% sobre energia e combustíveis, Câmara propõe compensar arrecadação dos estados; entenda se será suficiente

25 de maio de 2022 - 7:21

A proposta acontece em meio a embates do governo federal contra os estados pela arrecadação do ICMS

Privatização à vista?

Novo ministro de Minas e Energia quer privatizar a Petrobras (PETR4), mas presidente do Senado afirma que as negociações não estão na mesa

12 de maio de 2022 - 14:06

Pacheco avaliou que a desestatização da empresa não é uma solução de curto prazo para o problema da alta dos combustíveis

FOCO NO CENTRO

Com Lula ou Bolsonaro na Presidência, o próximo Congresso será de centro-direita e reformista, diz Arthur Lira

10 de maio de 2022 - 15:04

Em evento em Nova York, presidente da Câmara volta a defender a confiabilidade do sistema eleitoral brasileiro e as reformas no país

ATÉ 2023

Alívio no bolso vem aí? Conheça a PEC que pode zerar impostos sobre combustíveis e gás

3 de fevereiro de 2022 - 20:42

A matéria dispensa o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que exige que o governo compense a perda de arrecadação ao cortar impostos com a elevação de outros

RAIO-X DO ORÇAMENTO

Fundo eleitoral, emendas do relator e reajuste dos servidores: 3 pontos do Orçamento para 2022 que mexem com a bolsa esta semana

22 de janeiro de 2022 - 14:45

Entre emendas parlamentares superavitárias e reajuste dos policiais federais, o Orçamento deve ser publicado no Diário Oficial na segunda-feira (24)

PEC DOS COMBUSTÍVEIS

Tesouro pode perder até R$ 240 bilhões com PEC dos Combustíveis e inflação pode ir para 1% — mas gasolina ficará só R$ 0,20 mais barata; confira análise

22 de janeiro de 2022 - 10:58

Se todos os estados aderirem à desoneração, a perda seria de cifras bilionárias aos cofres públicos, de acordo com a XP Investimentos

DE OLHO NAS DÍVIDAS JUDICIAIS

Além do furo no teto: como a PEC dos precatórios afeta os credores, mas abre uma grande oportunidade de investimento

20 de janeiro de 2022 - 7:03

Com a regra fiscal ameaçada, o motivo inicial para a criação da emenda acabou sendo relegado a segundo plano, mas seus desdobramentos podem beneficiar os investimentos alternativos

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar