Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-07-11T20:27:59-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Não rolou

Parem o casamento. BRF e Marfrig desistem de planos de fusão

A decisão aconteceu depois que as companhias não chegaram a um acordo sobre os termos e condições relacionados à governança da companhia combinada

11 de julho de 2019
20:25 - atualizado às 20:27
vaca e o frango v2 - marfrig e brf
Imagem: Montagem Andrei Morais

O casamento do frango com a carne não vai mais acontecer. Depois de surpreenderem o mercado com o anúncio das negociações para uma possível fusão, as empresas de alimentos BRF e Marfrig desistiram dos planos.

A decisão aconteceu depois que as companhias não chegaram a um acordo sobre os termos e condições relacionados à governança da companhia combinada.

BRF e Marfrig assinaram no fim de maio um memorando de entendimentos que previa um período de exclusividade de 90 dias nas negociações.

Pelos termos desse primeiro documento, os acionistas da BRF ficariam com 84,98% da empresa combinada, enquanto que os detentores de papéis da Marfrig teriam os 15,02% restantes.

Embora o negócio fizesse todo o sentido pelo fato de as companhias terem negócios altamente complementares, os analistas que acompanham as empresas apontavam desde o início dificuldades para a conclusão da operação.

Não estava claro, por exemplo, quais seriam as sinergias (economias) que a união poderia trazer, nem quem ficaria no comando da nova empresa. Os analistas do BTG Pactual, por exemplo, classificaram o anúncio como "um cavalo de pau" nas estratégias tanto da BRF como da Marfrig.

"Apesar do término das tratativas para a combinação de seus negócios, o relacionamento comercial entre a companhia e Marfrig permanecerá inalterado e não haverá quaisquer modificações nas práticas, condições e termos previstos em contratos por elas celebrados", escreveu a BRF, em um comunicado.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Polêmica

Reserva de emergência e aplicações de curto prazo: CDB 100% do CDI pode ser melhor que Tesouro Selic?

Com a Selic mais alta, vale a pena voltar a discutir qual a opção ideal para a reserva de emergência; e, nesse sentido, os CDBs que pagam 100% do CDI com liquidez diária podem sim ser uma boa pedida

De volta ao jogo

Como ficam os seus investimentos em renda fixa com a Selic em 6,25%

Renda fixa “voltou ao jogo”, mas ainda não dá para ficar rico. Veja como fica o retorno das aplicações conservadoras agora que o Banco Central elevou a Selic mais uma vez

entrevista

BC briga para recuperar a credibilidade e poderia ter acelerado alta da Selic, diz economista-chefe da gestora Garde

Para Daniel Weeks, BC passou mais tempo do que o necessário com a sinalização de que manteria taxa de juros muito baixas; ele avalia que aumento poderia ter sido de 1,25 ponto e que discussão sobre fim do ciclo de ajustes ainda não acabou

Seu Dinheiro na sua noite

Seguindo a rota planejada

Decisão da Selic pelo Copom, juros nos Estados Unidos, dólar em alta e muitas outras notícias que mexeram com o mercado hoje

Vai mudar

Ultrapar (UGPA3): Marcos Lutz, ex-presidente da Cosan, assumirá como CEO em janeiro de 2022

Lutz já era membro do conselho de administração da Ultrapar (UGPA3) e, após o período como CEO, deve virar presidente do colegiado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies