Menu
2019-02-14T11:40:23-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Balanço engordou

Melhor que a encomenda. Banco do Brasil supera projeções e tem lucro de R$ 13,5 bilhões, alta de 22%

A estimativa média dos analistas para o resultado do BB apontava para um lucro de R$ 13,2 bilhões. Para este ano, o Banco do Brasil espera lucrar até R$ 17,5 bilhões

14 de fevereiro de 2019
7:41 - atualizado às 11:40
Banco do Brasil
Imagem: Divulgação

De grão em grão, o Banco do Brasil (BB) apresentou mais um trimestre de melhora nos resultados. O banco registrou lucro líquido de R$ 13,513 bilhões no ano passado, um aumento de 22,2% em relação a 2017.

Foi um resultado melhor que a encomenda. A projeção média dos analistas apontava para um lucro de R$ 13,242 bilhões para o BB, de acordo com dados da Bloomberg. O lucro também ficou bem perto do topo da faixa prevista pelo banco, que variava entre R$ 11,5 bilhões e R$ 14 bilhões.

A rentabilidade acompanhou a melhora do resultado e atingiu 16,3% nos últimos três meses do ano passado e 13,9% em 2018.

Ou seja, o Banco do Brasil empregou bem o dinheiro dos acionistas (incluindo todos nós via Tesouro Nacional), se levarmos em conta que a taxa básica de juros (Selic) está em 6,5% ao ano.

O lucro do BB no quarto trimestre foi de R$ 3,845 bilhões, alta de 20,6% em relação ao mesmo período do ano anterior e também acima das projeções do mercado.

Apesar da recuperação, o banco segue distante da meta de se aproximar dos principais concorrentes privados. Para efeito de comparação, o Bradesco entregou um retorno de 19,7% no quarto trimestre, o Santander atingiu 21,1% e o Itaú Unibanco, 21,8%.

De onde veio o lucro do BB

Ao contrário dos outros bancões, o Banco do Brasil segue mais lento na retomada do crédito. O saldo de todos os financiamentos concedidos pela instituição encerrou o ano passado em R$ 697,3 bilhões, alta de apenas 1,8% em 12 meses.

Com o crédito mais lento, a margem financeira do BB, que inclui as receitas obtidas com a concessão de empréstimos, caiu 5,8% no ano passado.

Só que esse efeito negativo foi mais do que compensado com a redução nas despesas com provisão para calotes. Elas somaram R$ 14,2 bilhões, queda de 29,2% em relação a 2017.

O índice de atrasos acima de 90 dias na carteira do Banco do Brasil encerrou o ano passado em 2,53%. Em setembro, a inadimplência estava em 2,82% e em dezembro do ano anterior, em 3,72%.

Tarifas e despesas

As receitas com as tarifas cobradas na conta corrente também ajudaram no resultado do BB em 2018. O faturamento com a prestação de serviços atingiu R$ 27,5 bilhões, uma alta de 5,8%.

O Banco do Brasil ainda conseguiu fechar o ano passado com uma despesa 0,6% menor do que a registrada em 2017, em um total de R$ 32 bilhões.

Mais lucro e mais crédito neste ano

Para este ano, o BB espera registrar um lucro entre R$ 14,5 bilhões e R$ 17,5 bilhões. Isso significa que, na melhor das hipóteses, o resultado pode crescer 29,5%.

O Banco do Brasil também projeta um aumento entre 3% a 6% na carteira de crédito neste ano - sem considerar as operações realizadas com o governo.

Apesar da melhora, a estimativa do BB para o crédito é menor do que a dos bancos privados. O Bradesco, por exemplo, espera uma expansão de 13% nos financiamentos no melhor cenário, enquanto o Itaú pretende crescer até 11%.

A expectativa para o desempenho do Banco do Brasil é grande neste ano não apenas pelo balanço em si como com a nova gestão de Rubem Novaes. Ele concede entrevista coletiva na manhã de hoje para comentar os resultados.

O novo presidente do BB já anunciou a intenção de vender parte de negócios nas áreas de gestão de fundos, banco de investimento e recuperação de créditos. Lembrando que o banco já tem sócios na BB Seguridade, que reúne as participações da instituição em seguros, e na área de cartões, com a Cielo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

O melhor do Seu Dinheiro

Os atalhos do campo financeiro

Se você gosta de futebol (se não, peço desculpas, o texto já já vai chegar no ponto), sabe que a crônica esportiva é cheia de jargões, metáforas e frases prontas para explicar o jogo e a atuação dos jogadores.  Uma metáfora que vira e mexe aparece nos textos é o tal “atalhos do campo”. Essa […]

débito ou crédito?

Lucro do PagSeguro soma R$ 430 mi no trimestre; maior da história da companhia

O recorde, contudo, não foi suficiente para evitar que o PagSeguro terminasse 2020 em queda. O lucro líquido ajustado da empresa caiu 2,4% em comparação a 2019, ao alcançar R$ 1,434 bilhão

internet mais rápida

Anatel aprova edital do leilão do 5G

A tecnologia 5G é a quinta geração das redes de comunicação móveis. Ela promete velocidades até 20 vezes superiores ao do 4G

Esquenta dos Mercados

Inflação nos EUA atrai a atenção dos mercados globais e dita o tom das bolsas

Os dados saem às 10h30 e perspectivas do mercado afirmam que, não importa a direção, o índice de preços ao consumidor deve surpreender os investidores

substituição

Localiza anuncia escolha de novo CEO em meio à combinação de negócios com Unidas

Bruno Lasansky, diretor de operações, assume posição no lugar de Eugenio Mattar, que se tornará presidente do conselho de administração

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies