Menu
2019-10-24T11:50:25-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Siga o dinheiro

Saldo de investimento estrangeiro em ações é o menor desde 1995

Dados do Banco Central mostram uma saída de US$ 2,591 bilhões entre janeiro e setembro. Resultado negativo é inédito na série histórica

24 de outubro de 2019
11:50
BullXBearcom setas
Imagem: Shutterstock

O ingresso de investimento estrangeiro para o mercado de ações do Brasil ficou negativo em US$ 651 milhões em setembro, elevando a saída do ano a US$ 2,591 bilhões. Uma olhada nas séries históricas do Banco Central (BC) nos mostra que essa saída é inédita na série história iniciada em 1995 considerando essa janela de nove meses.

Os dados do BC diferem daqueles divulgados pela B3 sobre investimento estrangeiro em ações, pois captam movimentos no balanço de pagamento, entradas e saídas do país. Já os números da B3 captam compras e vendas no mercado secundário e primário e não o ingresso ou remessa de dinheiro para fora do país. O gringo pode vender ações, mas comprar títulos, por exemplo, deixando o dinheiro no país.

Olhando esse saldo em 12 meses, temos uma saída de US$ 5,345 bilhões, menor que os US$ 6,448 bilhões nos 12 meses até agosto, mas ainda entre as piores leituras desde meados de 2009.

De fato, o fluxo gringo para o mercado de ações perde ímpeto desde meados de 2015, quando os fluxos em 12 meses caíram abaixo da linha dos US$ 10 bilhões. Para dar um parâmetro, em 2010, na recuperação da crise global, esses fluxos vinham firmes acima dos US$ 40 bilhões.

Em suma, os dados do BC complementam a história que já sabemos. É o ímpeto comprador do investidor local que dá sustentação à valorização da bolsa brasileira.

Renda fixa

No mercado de títulos de renda fixa negociados no país, a história contada pelos números do BC é um pouco diferente. No acumulado no ano até setembro, os ingressos somam US$ 4,641 bilhões, mesmo após a saída de US$ 3,434 bilhões no mês passado. Entre janeiro e setembro do ano passado, a entrada era de modestos US$ 338 milhões.

Esse mercado ensaia uma recuperação, mas o fato é ele mudou de patamar desde a perda do grau de investimento em 2015, quando fluxos em 12 meses que chegavam a US$ 40 bilhões (abril de 2014) viraram saídas de mais de US$ 25 bilhões (dezembro 2016).

Em tempo, o BC trabalha com uma projeção de ingresso zero para o mercado de ações agora em 2019 e entrada de US$ 12 bilhões em renda fixa.

Investimento direto

Se os investimentos em carteira (ações e renda fixa) parecem pouco animadores, outro tipo de dinheiro, visto como mais comprometido com o longo prazo se sustenta em patamares relativamente elevados.

O Investimento Direto o País (IDP) somou US$ 6,3 bilhões em setembro e acumula US$ 70,382 bilhões nos últimos 12 meses, o equivalente a 3,85% do Produto Interno Bruto (PIB).

Tal patamar de IDP é mais que suficiente para financiar o déficit em transações correntes, que está em trajetória de ampliação captando a perda de dinamismo da balança comercial e aumento nas remessas de lucros e dividendos. O déficit está em US$ 37,435 bilhões nos últimos 12 meses, maior desde o começo de 2016, ou 2,05% do PIB.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Alguém anotou a placa?

Coronavírus derrubou quase tudo em fevereiro; só o dólar e uma parte da renda fixa se salvaram

Entre mortos e feridos, salvaram-se poucos; dólar disparou, bolsa desabou, e até alguns títulos de renda fixa tiveram desempenho negativo no mês.

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil aprova pagamento de R$ 517,4 milhões em juros sobre capital próprio

Total a ser pago, relativo ao primeiro trimestre de 2020, equivale a R$ 0,1814 por ação

Seu Dinheiro na sua noite

O que nós fizemos depois da queda da bolsa

Eu sei que assistir de braços cruzados à forte queda das ações em meio à completa falta de clareza sobre os impactos do coronavírus nos investimentos é difícil. Mas foi exatamente o que nós aqui do Seu Dinheiro fizemos. Bem, não ficamos exatamente de braços cruzados. Acompanhamos de perto todos os desdobramentos deste momento delicado […]

Perdas generalizadas

Coronavírus derruba o mercado e faz o Ibovespa cair 8,43% em fevereiro, o pior mês desde maio de 2018

O coronavírus se espalhou pelo mundo e trouxe uma enorme onda de aversão ao risco às bolsas. Como resultado, o Ibovespa desabou em fevereiro e o dólar à vista renovou as máximas, flertando com o nível de R$ 4,50

Pensando nas taxas

Goldman Sachs prevê 3 cortes de juros pelo Fed até junho com coronavírus

Primeira redução seria de 0,25 ponto já na reunião do próximo do comitê, marcada para os dias 17 e 18 de março

Polêmica em Brasília

Presidente do Senado convoca sessão para votar vetos do Orçamento impositivo

Projeto obriga o governo a pagar todas as emendas parlamentares neste ano

BC dos EUA

FED: fundamentos da economia continuam sólidos, mas coronavírus representa risco

Declaração foi dada pelo presidente do FED, Jerome Powell, em comunicado divulgado nesta sexta-feira

REAL DESVALORIZADO

Real está no topo da lista das moedas de emergentes com maior queda desde janeiro

Segundo o levantamento, o real está atrás até mesmo de moedas como o Rand Sul-africano (ZAR) e o peso colombiano (COP). Mas o movimento de depreciação de moedas emergentes em relação ao dólar não é único no Brasil

Ouça o que bombou na semana

Podcast Touros e Ursos: Como navegar as águas turbulentas do mercado?

O surto de coronavírus pegou os mercados em cheio, provocando enormes perdas ao Ibovespa e fazendo o dólar disparar rumo a novas máximas. Nesse cenário, nossos repórteres discutem como se comportar em meio ao tsunami de notícias negativas e proteger seus investimentos. Confira os destaques da semana: O coronavírus chegou com tudo aos mercados Dólar […]

Militares nas ruas

Governo federal confirma prorrogação de GLO no Ceará até dia 6 de março

Prazo original também tinha duração de uma semana e venceria nesta sexta-feira, 28

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements