Menu
2019-11-26T07:53:56-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Altas e baixas

JBS, CSN e Vale: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

Notícias referentes à China animaram os papéis de empresas que exportam para o país, como JBS, BRF, Marfrig, Vale e CSN. Por outro lado, as ações dos bancos e da Petrobras caíram

25 de novembro de 2019
13:06 - atualizado às 7:53
Logo da JBS na parte externa de um prédio
Logo da JBS na parte externa de um prédio - Imagem: Divulgação

Ações do setor de frigoríficos — como JBS, BRF e Marfrig —, além da Vale e das siderúrgicas CSN Gerdau, apareceram entre os destaques positivos do Ibovespa nesta segunda-feira (25), sustentadas pelo noticiário referente à China, importante consumidor dos produtos dessas empresas.

Os papéis ON da JBS (JBSS3) dispararam 9,61% e tiveram o melhor desempenho do índice — BRF ON (BRFS3) e Marfrig ON (MRFG3) vieram logo atrás, avançando 5,93% e 5,33%, respectivamente. O Ibovespa recuou 0,25%, aos 108.423,93 pontos.

O mercado reagiu aos dados de importação de carne pela China, em meio ao surto de febre suína que atinge o país. As compras de carne de porco totalizaram 177,4 mil toneladas em outubro, mais que o dobro da quantia importada no mesmo mês de 2018.

A demanda chinesa por carne bovina também aumentou: foi de 92,4 mil toneladas em outubro de 2018 para 150,8 mil toneladas em igual período de 2019, uma elevação de 63,2%. As importações de carnes de cabra, ovelha e frango também aumentaram.

Como é sabido, o aumento nas compras de carne pela China, de modo a mitigar os impactos do surto de febre suína, interessa especialmente aos frigoríficos brasileiros, que têm exportado cada vez mais ao mercado chinês. Desde o início do ano, por exemplo, as ações da JBS acumulam ganhos de mais de 120%, baseadas nessa premissa.

Mineradoras e siderúrgicas em alta

Quem também teve uma sessão positiva foi o setor de mineração e siderurgia, com Vale ON (VALE3) em alta de 1,66%, CSN ON (CSNA3) subindo 2,07%, Gerdau PN (GGBR4) avançando 0,66% e Usiminas PNA (USIM5) com ganho de 2,19%.

Há três fatores que atuaram em conjunto para impulsionar esses papéis. Em primeiro lugar, há a a perspectiva de fechamento de algum tipo de acerto comercial entre EUA e China — seja através de um acordo preliminar ou por meio do adiamento de novas tarifas de importação — eleva a esperança de fortalecimento da economia chinesa.

Qualquer notícia que traga implicações quanto ao ritmo da atividade na China é importante para as mineradoras e siderúrgicas porque o gigante asiático é o principal consumidor mundial de minério de ferro e aço. Assim, uma economia chinesa forte é sinônimo de aumento na demanda por esses produtos.

Além disso, as próprias cotações do minério de ferro têm subido de maneira relativamente constante. Hoje, a commodity fechou em alta de 3,22% no porto chinês de Qingdao, a US$ 90,92 a tonelada.

Por fim, após a Gerdau anunciar aumentos nos preços do aço longo em janeiro, o mercado agora espera que a CSN e a Usiminas sigam o mesmo caminho — e essa expectativa deu forças aos papéis das duas empresas.

Bancos e Petrobras caem

Se os papéis mencionados acima tiveram um desempenho tão bom, por que o Ibovespa ficou no campo negativo nesta segunda-feira? A resposta está nas demais blue chips — as ações de grande liquidez e peso relativo na composição do índice — que fecharam em queda.

É o caso do setor bancário, com Itaú Unibanco PN (ITUB4) em baixa de 1,43%, Bradesco PN (BBDC4), com perda de 0,50%, Banco do Brasil ON (BBAS3), em queda de 0,32%, das units do Santander Brasil (SANB11), recuando 1,17%, e das units do BTG Pactual (BPAC11), com desvalorização de 2,02%.

Os ativos da Petrobras também caíram, tanto os PNs (PETR4) quanto os ONs (PETR3), com desvalorizações de 0,83% e 0,62%, respectivamente, cedendo a um movimento de realização de lucros após os ganhos registrados na semana passada.

Top 5

Veja quais foram os cinco ativos de melhor desempenho do Ibovespa nesta segunda-feira:

  • JBS ON (JBSS3): +9,61%
  • BRF ON (BRFS3): +5,93%
  • Marfrig ON (MRFG3): +5,33%
  • Qualicorp ON (QUAL3): +4,05%
  • Cielo ON (CIEL3): +3,85%

No lado oposto, saiba quais foram as cinco maiores baixas do índice:

  • B3 ON (B3SA3): -3,48%
  • Magazine Luiza ON (MGLU3): -2,62%
  • Itaúsa PN (ITSA4): -2,41%
  • Ultrapar ON (UGPA3): -2,25%
  • BTG Pactual unit (BPAC11): -2,02%
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

olho no indicador

Índice que corrige o aluguel, IGP-M cai 0,04% em fevereiro

Com o resultado, indicador acumula variação de 6,82% nos 12 meses encerrados em fevereiro e de 0,44% em 2019

diálogo difícil

Reino Unido inicia diálogo comercial com UE com ameaça de abandoná-lo

Governo britânico admite que o tempo é “limitado”, mas “suficiente” para que um acordo preliminar seja alcançado nos próximos quatro meses

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

9 notícias para você começar o dia bem informado

É hora de soprar as cinzas da quarta-feira e encarar uma nova realidade de mercados mais voláteis e incertos. Os humores devem continuar a variar conforme dados sobre o avanço ou retrocesso do coronavírus forem divulgados.  Além da questão sanitária, o investidor deve refletir sobre as consequências reais do surto para a economia e o […]

olho nas cifras

Ambev registra lucro de R$ 12,5 bilhões em 2019

No quarto trimestre, lucro líquido ajustado chegou a R$ 4,6 bilhões, numa alta de quase 25%; ADRs da companhia, no entanto, caem no pré-mercado de NY

Esquenta dos mercados

Pressão do coronavírus continua e mercados globais seguem no vermelho

Incertezas com o impacto da doença na economia global é um dos maiores fatores para a queda. Enquanto o indicador segue incerto, a doença continua se alastrando pelo globo

barrados no baile

Facebook vai banir anúncios que prometem cura do coronavírus

Em meio à histeria por conta da epidemia do vírus, golpistas têm aproveitado para enganar pessoas pela internet, vendendo falsas soluções

agora vai?

Redes de shoppings voltam a investir em prédios residenciais e comerciais

Estimuladas pela melhora da atividade econômica e queda das taxas de juros, as companhias começam, aos poucos, a tirar da gaveta seus planos de expansão nessa área

Entrevista exclusiva

Ex-diretor do BC vê alta do dólar como necessária e projeta câmbio de equilíbrio a R$ 4,77

Agravamento do surto do coronavírus adiciona incerteza, mas desvalorização cambial não é transitória como parte do mercado acredita, afirma Reinaldo Le Grazie, sócio da Panamby Capital

Crypto News

Uma manchete, uma mudança geracional e a impermeabilidade do futuro

Não há motivo para dar mais valor a uma manchete do que a uma mudança geracional; o dobro de millennials comprou criptomoedas em 2019 em comparação com a população americana

Que Bolsa é essa?

Crash do Coronavírus: o que fazer com o seu dinheiro?

Epidemia não deve deixar marcas permanentes sobre os negócios de empresas como Itaú, Weg, Vale ou Petrobras, mas o fenômeno é grande e tem potencial para machucar bem o PIB brasileiro no primeiro semestre

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements