Menu
2018-12-14T11:41:50-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Oferta hostil

Acionistas da IMC aprovam “pílula de veneno”, e Sapore deve ficar sem Frango Assado

Cláusula aprovada hoje na assembleia da dona das redes de restaurantes Frango Assado e Viena deve inviabilizar proposta do empresário Daniel Mendez, dono da Sapore, que pretende promover uma fusão entre as empresas

13 de dezembro de 2018
17:55 - atualizado às 11:41
frango-assado IMC
Daniel Mendez, dono da Sapore - Imagem: Facebook/Divulgação

O empresário Daniel Mendez, dono da empresa de refeições coletivas Sapore, deve ficar mais uma vez sem Frango Assado no cardápio.

Os acionistas da IMC, empresa listada na bolsa que controla as redes de restaurantes Frango Assado e Viena, aprovaram na tarde de hoje uma mudança no estatuto que deve inviabilizar os planos do empresário, que pretende promover uma fusão da IMC com a Sapore.

Com a cláusula incluída hoje no estatuto, qualquer investidor que atingir uma participação de pelo menos 30% na IMC terá agora de fazer uma oferta a todos os acionistas.

Esse tipo de condição estabelecida em estatuto é chamada no mercado de "poison pill" (pílula de veneno). O objetivo é justamente dificultar a tomada do controle em companhias com o capital pulverizado na bolsa, como é o caso da IMC.

A disputa

Mendez lançou no mês passado uma oferta para comprar 40% das ações da IMC diretamente na bolsa. Esse processo é chamado de "oferta hostil", porque não passou por uma negociação prévia com a administração da companhia. O empresário ofereceu R$ 8,63 por ação da dona do Viena e Frango Assado na operação, marcada para o dia 19 de dezembro.

Posteriormente, Mendez promoveria uma fusão entre a Sapore e a IMC. Juntas, elas formariam uma empresa com faturamento de R$ 3 bilhões e 1,4 mil pontos de venda em cinco países, com aproximadamente 25 mil funcionários.

Com as novas regras aprovadas hoje, Mendez terá de desembolsar R$ 1,357 bilhão para estender a oferta a todos os acionistas. Bem acima dos R$ 600 milhões que ele se dispôs a pagar para ficar com os 40% da empresa. Mas o dono da Sapore afirmou que desistiria do negócio se a pílula de veneno fosse aprovada.

A assembleia de hoje contou com quórum de 82% dos acionistas, acima do mínimo necessário de dois terços da base acionária para ser instalada. Desse total, pouco mais de 99% votaram pela inclusão da cláusula no estatuto da IMC, segundo duas fontes que estiveram na reunião.

Antes da assembleia, o dono da Sapore convidou os acionistas da IMC para reuniões em uma tentativa de diminuir a resistência à oferta e aos planos de união entre as duas empresas. Uma tentativa de adiar a reunião dos acionistas foi barrada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Lado a lado

O resultado da votação mostrou que os acionistas da IMC preferiram ficar do lado do conselho da empresa, que se posicionou contra a investida de Mendez.

Do lado da Sapore, a decisão dos acionistas deve sepultar de vez o projeto de fusão. "O voto é soberano", me disse uma fonte a par do assunto.

Depois de todo esse clima bélico, a possibilidade de as partes se sentarem para uma nova rodada de conversas também é tida como improvável.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Alívio intenso

Ibovespa sobe e encosta nos 90 mil pontos, sustentado pelo exterior positivo

O Ibovespa continua recuperando o terreno perdido, impulsionado pelo clima de menor aversão ao risco no mundo. No câmbio, o dólar à vista cai forte e já fica abaixo de R$ 5,30

no twitter

Grupo divulga dados pessoais que seriam de Bolsonaro, família e aliados

Um perfil publicou imagens que alega retratarem a lista de bens declarados pelo presidente, com valor idêntico à declaração apresentada ao TSE

INVESTIGAÇÃO POLÍTICA

‘Presidente esqueceu de combinar comigo’, diz Aras sobre suposto arquivamento

Cabe a Aras decidir se denuncia ou não Bolsonaro, o que poderia resultar no afastamento do presidente do cargo.

em diário oficial

Governo publica MP que pode destravar o crédito às pequenas empresas

Dentre os vários pontos, o texto autoriza a União a aumentar em até R$ 20 bilhões a sua participação no Fundo Garantidor para Investimentos (FGI), gerido pelo BNDES

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

12 notícias para você começar o dia bem informado

Cada vez que o dólar sobe eu, você e os demais brasileiros ficamos mais pobres relativamente. Isso fica evidente na hora de converter os custos de uma viagem de férias. Aquele jantar de US$ 50 sai perto de R$ 300 na cotação atual mais custos para o turista.   Dá para minimizar esse efeito alocando […]

efeito coronavírus

Sodexo se volta ao consumidor e entra na disputa por delivery de comida no Brasil

Nas três primeiras semanas de testes da nova estratégia, a Sodexo entregou mais de mil refeições nos Estados de São Paulo e Rio Grande do Sul

assunto encerrado

Celso de Mello arquiva pedido para apreender celular de Bolsonaro

Partidos PDT, PSB e PV haviam solicitado ao Supremo a apreensão dos aparelhos “o quanto antes, sob pena de que haja tempo suficiente para que provas sejam apagadas ou adulteradas”

Esquenta dos mercados

China segue comprando soja dos EUA e notícia anima os mercados globais

Ao contrário do noticiado ontem pela Bloomberg, o jornal chinês Global Times afirmou que o país asiático continuará comprando soja dos Estados Unidos. O alívio visto nas bolsas globais deve ajudar o Ibovespa em dia de agenda ecnômica fraca.

questões do governo

PGR dá aval para prorrogar inquérito

Procuradoria vai avalizar pedido da Polícia Federal (PF) para prorrogar por 30 dias as investigações sobre a suposta tentativa do presidente Jair Bolsonaro de interferir politicamente na corporação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements