Menu
2018-09-23T23:18:06-03:00
Previsões

OCDE projeta crescimento menor para o país até 2019

Incertezas políticas e problemas relacionados à recente greve dos caminhoneiros são as principais causas

20 de setembro de 2018
9:05 - atualizado às 23:18
Homem indica que algo é pequeno
Porto de Santos: efeitos da greve dos caminhoneiros, que causou desabastecimento no país, pesaram nas expectativas da OCDE para crescimento brasileiroImagem: Shutterstock

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) revisou para baixo nesta quinta-feira (20) suas projeções para o crescimento do Brasil neste ano e no próximo. A entidade prevê crescimento de 1,2% do país em 2018 e 2,5% em 2019, quando em maio projetava avanços de 2,0% e 2,8%, respectivamente.

Cenário Incerto

Na avaliação da OCDE, o ritmo da recuperação do Brasil desacelerou, em meio a "considerável incerteza sobre as políticas futuras e problemas relacionados à greve" recente dos caminhoneiros. "As condições financeiras estão um pouco mais apertadas, apesar das vulnerabilidades externas menores do que em muitas outras economias emergentes", afirma a OCDE.

Tá avisado...

"Reiniciar reformas, particularmente da previdência, ajudaria a melhorar a confiança e o gasto do setor privado, permitindo que o crescimento do PIB avance para cerca de 2,5% em 2019", sustenta a entidade.

Já na escala global

A OCDE afirmou que a economia global continuará a mostrar força nos próximos anos, mas revisou para baixo projeções para o ano atual e o próximo. A organização alertou que as tensões comerciais, como a escalada da guerra tarifária entre EUA e China, podem prejudicar os investimentos e desacelerar o ritmo do mundo.

"Não é o fim da recuperação, mas os riscos têm crescido", afirmou Laurence Boone, economista-chefe da OCDE. "As empresas têm retardado seus planos de investimento. As encomendas de exportação têm desacelerado."

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Exclusivo SD Premium

“Ground Stop”: É hora de se aventurar nas ações do setor aéreo?

Imagine, caro amigo leitor, o quanto não está custando a atual paralisação provocada pelo surto da Covid-19 para os setores aeronáutico e aeroportuário em todo o mundo. Cem bilhões? Duzentos bilhões? Trezentos bilhões? Um trilhão?

Reflexos da pandemia

Com coronavírus, lucro do Iguatemi cai 77,5% no 1º tri, para R$ 12,5 milhões

Operadora de shopping centers viu queda nas vendas, na receita líquida e no Ebitda com fechamento da maioria das lojas no fim de março por conta da pandemia

Atualização do Ministério da Saúde

Brasil tem 391.222 casos confirmados e 24.512 mortes pelo coronavírus

Segundo Ministério da Saúde, 158.593 pacientes foram recuperados

Projeto de ajuda a Estados

Bolsonaro diz não poder mais socorrer Estados e insiste na reabertura da economia

“Nós não podemos continuar socorrendo Estados e municípios que devem no meu entender de forma racional começar a abrir o mercado”, afirmou

seu dinheiro na sua noite

Magalu à prova de coronavírus

No último dia 18 de março, o Ibovespa amargou uma queda de 10,35%, depois de passar pela sexta vez no mês por um circuit breaker – a paralisação que acontece toda vez que o principal índice da bolsa cai mais de 10% durante um pregão. Nesse mesmo dia, as ações do Magazine Luiza registraram uma […]

Condição para socorro financeiro

MP que concede reajuste salarial a policiais e bombeiros no DF é publicada

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro disse que deve sancionar o projeto de socorro a Estados e municípios até amanhã; edição de medida provisória era uma das condições para a sanção

Energia elétrica

Aneel retira de pauta reajuste da Cemig e prorroga vigência de tarifas atuais

Com isso, as tarifas atuais serão prorrogadas até 30 de junho

Pessimismo aumenta

IIF passa a prever que PIB do Brasil terá contração de 6,9% em 2020

Em relatório divulgado nesta terça-feira, 26, a instituição explica que a crise terá efeitos duradouros para o País

Mais alívio no câmbio

R$ 5,35: com uma ajuda do exterior, o dólar zerou os ganhos no mês e virou para queda

O clima tranquilo visto nos mercados globais abriu espaço para mais uma queda no dólar à vista — a sexta nas últimas sete sessões. Com isso, a moeda americana voltou aos níveis do fim de abril, afastando-se cada vez mais do patamar dos R$ 6,00

Títulos públicos

Tesouro Direto tem emissão líquida recorde de R$ 1,57 bilhão em abril

Com a emissão recorde, o estoque do programa fechou abril em R$ 60,24 bilhões, um aumento de 3,1% em relação ao mês anterior (R$ 58,44 bilhões)

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements