Menu
2018-09-23T23:18:06-03:00
Estadão Conteúdo
Previsões

OCDE projeta crescimento menor para o país até 2019

Incertezas políticas e problemas relacionados à recente greve dos caminhoneiros são as principais causas

20 de setembro de 2018
9:05 - atualizado às 23:18
Homem indica que algo é pequeno
Porto de Santos: efeitos da greve dos caminhoneiros, que causou desabastecimento no país, pesaram nas expectativas da OCDE para crescimento brasileiroImagem: Shutterstock

A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) revisou para baixo nesta quinta-feira (20) suas projeções para o crescimento do Brasil neste ano e no próximo. A entidade prevê crescimento de 1,2% do país em 2018 e 2,5% em 2019, quando em maio projetava avanços de 2,0% e 2,8%, respectivamente.

Cenário Incerto

Na avaliação da OCDE, o ritmo da recuperação do Brasil desacelerou, em meio a "considerável incerteza sobre as políticas futuras e problemas relacionados à greve" recente dos caminhoneiros. "As condições financeiras estão um pouco mais apertadas, apesar das vulnerabilidades externas menores do que em muitas outras economias emergentes", afirma a OCDE.

Tá avisado...

"Reiniciar reformas, particularmente da previdência, ajudaria a melhorar a confiança e o gasto do setor privado, permitindo que o crescimento do PIB avance para cerca de 2,5% em 2019", sustenta a entidade.

Já na escala global

A OCDE afirmou que a economia global continuará a mostrar força nos próximos anos, mas revisou para baixo projeções para o ano atual e o próximo. A organização alertou que as tensões comerciais, como a escalada da guerra tarifária entre EUA e China, podem prejudicar os investimentos e desacelerar o ritmo do mundo.

"Não é o fim da recuperação, mas os riscos têm crescido", afirmou Laurence Boone, economista-chefe da OCDE. "As empresas têm retardado seus planos de investimento. As encomendas de exportação têm desacelerado."

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Ruim, mas nem tanto?

“É um dos países que menos caíram no mundo”, afirma Bolsonaro, sobre queda de 4% no PIB

Para Bolsonaro a queda do PIB só não foi maior devido a movimentação da economia gerada pelo auxílio emergencial.

Queda bilionária

BC tem perda de R$ 5,081 bi com swap cambial em fevereiro

O BC obteve ainda um ganho de R$ 9,699 bilhões com a rentabilidade na administração das reservas internacionais no mês passado.

pandemia em alta

Alta de casos de covid-19 e restrições em SP derrubam ações de varejistas e shopping centers

Governo paulista decide fechar comércio não essencial após estado bater recorde no número diário de mortes

via de mão dupla

PEC do auxílio tem de ter contrapartida, diz Funchal

“Se essa PEC não andar com as contrapartidas, o vulnerável que vai ter o benefício hoje será o desempregado dos próximos anos”, diz Funchal.

Mudanças a caminho

Se PEC for aprovada, 14 Estados já podem congelar salário de servidor

Pela proposta, as medidas de ajuste seriam acionadas sempre que as despesas obrigatórias primárias excedessem 95% das receitas correntes.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies