Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-06-10T07:48:03-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
pessimismo global

Segunda onda de coronavírus pode derrubar PIB do Brasil em 9,1%, diz OCDE

Economia mundial deve sofrer uma violenta contração de 6% em 2020, mas queda pode chegar a 7,6% com segunda onda

10 de junho de 2020
7:45 - atualizado às 7:48
coronavírus covid-19 brasil
Imagem: Shutterstock

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil pode derreter 9,1%, se houver um segundo surto da covid-19 no país no último trimestre do ano, de acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A entidade prevê uma baixa de 7,4% da economia brasileira.

“A economia estava finalmente se recuperando de uma longa recessão quando o surto de covid-19 atingiu o País, e agora, a previsão é que sofra uma recessão profunda”, diz um documento da entidade.

O OCDE lembra que as medidas locais de isolamento estão em vigor, mas a epidemia ainda se espalha rapidamente pelo País. O relatório apontou que o número declarado de infectados ultrapassou 500 mil no final de maio e que os óbitos aumentam rapidamente com uma curva ascendente das mortes diárias.

A capacidade das unidades de terapia intensiva (UTI) é avaliada em 15,6 leitos por 100 mil habitantes, mas há uma grave escassez, de acordo com a OCDE, em algumas regiões, incluindo o Norte e o Nordeste.

A organização afirma que o governo federal não tomou medidas coercitivas de isolamento, mas que elas foram introduzidas pelos governos estaduais e municipais desde o dia 20 de março, incluindo o fechamento de lojas, escolas e praias, além do cancelamento de eventos públicos.

Economia global

A economia mundial deve sofrer uma violenta contração de 6% em 2020, segundo relatório da OCDE. A entidade alerta que a queda do PIB global este ano pode ser ainda mais acentuada e chegar a 7,6% se houver uma segunda onda de infecções pela covid-19.

Para 2021, a OCDE projeta recuperação da economia global, com crescimento de 5,2%. Num cenário de segunda onda da pandemia, o avanço do PIB mundial se limitaria a 2,8%, acredita a entidade.

Para os EUA, a OCDE prevê contração econômica de 7,3% este ano e expansão de 4,1% no próximo. Na eventualidade de uma segunda onda do coronavírus, o PIB americano poderá encolher 8,5% em 2020, diz a OCDE.

No caso da China, a OCDE espera queda de 2,6% do PIB este ano e avanço de 6,8% em 2021. Na hipótese de uma segunda onda, a economia chinesa poderá afundar 3,7% em 2020, projeta a entidade.

Em relação à zona do euro, a OCDE prevê contração de 9,1% este ano - ou de 11,5%, com uma segunda onda - e crescimento de 6,5% em 2021.

Ainda no relatório, a OCDE projeta que o PIB do Reino Unido, que está em processo de separação da União Europeia, sofrerá um tombo de 11,5% este ano.

*Com informações de Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

MÚSICA NO FANTÁSTICO

Unilever recebe mais um não da Glaxo para oferta de US$ 68 bilhões por divisão que produz Advil; entenda o caso

Se fosse concretizado, o acordo seria o maior em termos globais desde o início da pandemia de covid-19

EFEITOS COLATERAIS

Ômicron e seus investimentos: variante do coronavírus terá efeitos distintos sobre empresas de saúde na bolsa; saiba quais são eles

Planos de saúde devem enfrentar um cenário menos favorável dado o aumento dos índices de sinistralidade e pressão sobre os custos

FOI DADA A LARGADA

Petrobras (PETR4) e Novonor iniciam oficialmente processo para vender participações na Braskem; veja quanto a operação bilionária pode levantar

O pedido de registro para a oferta pública secundária, que será realizada no Brasil e no exterior, foi publicado na madrugada deste sábado (15) na CVM

INCENTIVO À MUDANÇA

Meca das criptomoedas? Estado americano tenta atrair trabalhadores com pagamento em bitcoin (BTC)

Iniciativa acontece em meio a explosão de crescimento no setor de tecnologia, especificamente naquelas habilitadas para blockchain

HEY, BROTHERS!

BBB é ‘fábrica de milionários’: prêmio de R$ 1,5 milhão é fichinha perto da fortuna que ex-participantes constroem; veja como Juliette, Gil do Vigor e outros ficaram ricos após reality

A edição de 2022 do BBB começa na próxima segunda e pode conceder o título de milionário a mais pessoas; veja quem já conseguiu se consagrar com a participação na casa mais vigiada do Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies