Menu
2019-04-04T13:58:11-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Reforma parada na Câmara

Na contramão de Bolsonaro, Congresso não dá sinais de que vai aprovar a reforma da Previdência neste ano

Câmara parece pouco disposta a tocar a discussão do texto proposto pela equipe econômica de Temer

30 de outubro de 2018
18:40 - atualizado às 13:58
Câmara dos Deputados
Aprovação da reforma neste ano é considerada como "impossível" pelos deputados - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Nem mesmo os aliados do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) acreditam que a reforma da Previdência possa ser aprovada ainda neste ano pelo Congresso. A ideia ganhou fôlego nesta terça-feira, 30, depois que Bolsonaro disse em entrevistas que tem a intenção de negociar com o governo Temer a aprovação de toda ou parte da reforma que tramita atualmente no Congresso.

Mas a tarefa não é nada fácil. O próprio líder da bancada da bala na Câmara e aliado do capitão reformado, deputado Alberto Fraga (DEM-DF), não acredita que a negociação da reforma avance. "Não posso falar pela Casa, estou falando pelo clima que eu sinto dos colegas. Acho muito difícil".

Quando questionado se haveria tempo para elaboração de um novo projeto sobre a Previdência, ele disse achar isso uma tarefa impossível para a atual legislatura. "Essa responsabilidade tem de ficar com o novo Congresso, com os parlamentares que foram eleitos", afirmou.

Por outro lado, Fraga acredita que ainda haja espaço para a atual legislatura aprovar outros temas como a reforma tributária e as alterações no estatuto do desarmamento.

Partidos não se movem

Líderes das bancadas partidárias da Câmara também avaliam como baixa a possibilidade da Casa aprovar qualquer mudança sobre Previdência ainda neste ano.

O líder do governo, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse que o calendário é muito apertado e a matéria é complexa. "Vai exigir um esforço conjunto muito grande para isso poder acontecer", disse.

Já o líder do PPS, deputado reeleito Alex Manente (SP), diz que não há possibilidade nem de se passar um texto reduzido ou com alterações sobre a proposta. "Se ficou empatado até agora não vai passar e ser for um texto muito reduzido não resolve o problema da Previdência".

Na oposição, o mesmo discurso. O líder do PT na Casa, Paulo Pimenta (RS), também não acha possível passar o projeto neste ano.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

NOVIDADE NA BOLSA

Hidrovias do Brasil cai mais de 2% em estreia na B3 após IPO

Empresa levanta cerca de R$ 3,44 bilhões com oferta, que teve caráter secundário

EM BUSCA DE RECURSOS

Santos Brasil arrecada R$ 790 milhões com follow-on

Recursos levantados irão ao caixa da empresa, que pretende expandir operações

Oferta de ações

Petz tem participação de 39 mil investidores em IPO

Do total de investidores que compraram as ações (PETZ3) no IPO, 37.928 são pessoas físicas, que ficaram com 12% do volume total da oferta de R$ 3 bilhões

mercados hoje

Ibovespa ignora melhora em Wall Street e cai com temores fiscais; dólar retoma alta

Covid-19 na Europa segue preocupando o mercado; EUA têm impasse fiscal e Brasil passa por uma sexta-feira de agenda esvaziada, mas segue com temor sobre as contas públicas

DESINVESTIMENTOS

Petrobras vende participação em distribuidora GNL e inicia oferta de campos no RJ

Estatal já vendeu sete ativos em 2020, levantando um total de R$ 2,3 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements