Menu
2019-04-20T17:00:05-03:00
Marina Gazzoni
Marina Gazzoni
CEO do Seu Dinheiro. É CFP® (Certified Financial Planner). Tem graduação em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e MBA em Informação Econômico-Financeira e Mercado de Capitais no Instituto Educacional BM&FBovespa. Foi Diretora de Conteúdo e editora-chefe do Seu Dinheiro, editora de Economia do G1 e repórter de O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e do portal IG.
Protestos

A prova de fogo de Bolsonaro contra um grupo de mulheres

Grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro marcou protestos contra Bolsonaro neste sábado. Movimento é um ataque ao líder das pesquisas na reta final da eleição.

29 de setembro de 2018
10:18 - atualizado às 17:00
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Shutterstock

O dia de hoje será marcado por uma série de protestos contra Jair Bolsonaro no país. O movimento nasceu nas redes sociais a partir do grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro, que tenta mobilizar o voto feminino contra o candidato. Trata-se de um ataque direto contra o capitão do Exército que lidera as pesquisas.

A rejeição de Bolsonaro subiu mais ainda entre as mulheres e alcançou 52% na pequisa divulgada pelo Datafolha nesta sexta-feira. Conquistar o voto feminino é o maior desafio de Bolsonaro para vencer a eleição. Essa é uma das razões pela qual o candidato ainda perde em um provável segundo turno contra Haddad, o que pode trazer o PT de volta para o poder - e azedar o humor dos investidores.

Bolsonaro enfrenta neste fim de semana um adversário que luta com as mesmas armas que ele. O candidato conseguiu a liderança nas pesquisas com uma campanha focada nas redes sociais. Agora ele vai enfrentar um movimento que também nasceu nas redes.

O Estado de S. Paulo de hoje traz um perfil da moça que conseguiu reunir 3,8 milhões de mulheres contra Bolsonaro. A baiana Ludimilla Teixeira, de 36 anos, criou há um mês o grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro no Bolsonaro. Ela se diz "anarquista" e fala que não sabe em quem vai votar, só em quem não vota.

O movimento cresceu nas redes e trouxe repercussão internacional para a #Elenão, usada para atacar Bolsonaro. Até a Madonna postou uma mensagem de apoio.

Foi nesta página que foram marcados os protestos contra Bolsonaro que ocorrem neste sábado, 29, em várias cidades do País.

Marina e Alckmin tentam surfar na onda

A reportagem conta também que depois que o grupo começou a crescer, representantes de candidatos procuraram a organizadora do movimento. Ela diz que o grupo é "suprapartidário" e não aceitou o apoio dos concorrentes.

Mesmo assim, Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) usaram a hashtag em suas propagandas eleitorais. O crescimento do movimento das mulheres é para eles a última esperança de tentar virar o jogo na reta final das eleições e conquistar um eleitor moderado.

As últimas eleições no Brasil mostram que nada é impossível. No entanto, é muito improvável que Bolsonaro fique de fora do segundo turno. Existe uma grande dúvida - e ela pode definir a eleição - sobre como vão votar as mulheres que não gostam de Bolsonaro, mas também vestiram a camisa verde-amarela para pedir a saída do PT nas manifestações de 2015 e 2016.  Quem elas odeiam menos?

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

objetivo mais ambicioso

CMN fixa meta de inflação em 3,00% para 2024, com margem de 1,5 pp

Objetivo fixado pelo governo é mais ambicioso do que nos anos anteriores e dá sequência ao processo de redução gradual da meta de inflação, iniciado em 2017

inovação

Duratex cria fundo de R$ 100 milhões para investir em startups

Fabricante de madeira, deca e revestimentos cerâmicos planeja realizar aportes em iniciativas em diferentes estágios de evolução, sendo a única cotista do fundo

FECHAMENTO

BC mais brando e novo ‘pacote Biden’ deram o que falar — com inflação em foco, dólar se firma em R$ 4,90 e Ibovespa volta aos 129 mil pontos

A moeda americana registrou o quarto dia consecutivo de queda, com a pressão do pacote de infraestrutura dos EUA e a melhora do cenário local. No mercado de juros, os investidores reduziram as apostas em uma alta agressiva da Selic na próxima reunião

Fome de propostas

Presidente da Câmara quer acelerar reformas e pautas econômicas no Congresso

Lira espera receber ainda hoje o projeto do governo para mudanças no Imposto de Renda e comprometeu-se a votar a privatização dos Correios no mês que vem

Meta ambiental

Vale triplica para até US$ 6 bi previsão de investimentos para reduzir emissões de carbono

O objetivo da empresa é reduzir 33% das emissões diretas e indiretas de carbono até 2030

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies