A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2019-04-20T17:00:05-03:00
Marina Gazzoni
Marina Gazzoni
CEO do Seu Dinheiro. É CFP® (Certified Financial Planner). Tem graduação em Jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e MBA em Informação Econômico-Financeira e Mercado de Capitais no Instituto Educacional BM&FBovespa. Foi Diretora de Conteúdo e editora-chefe do Seu Dinheiro, editora de Economia do G1 e repórter de O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo e do portal IG.
Protestos

A prova de fogo de Bolsonaro contra um grupo de mulheres

Grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro marcou protestos contra Bolsonaro neste sábado. Movimento é um ataque ao líder das pesquisas na reta final da eleição.

29 de setembro de 2018
10:18 - atualizado às 17:00
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Shutterstock

O dia de hoje será marcado por uma série de protestos contra Jair Bolsonaro no país. O movimento nasceu nas redes sociais a partir do grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro, que tenta mobilizar o voto feminino contra o candidato. Trata-se de um ataque direto contra o capitão do Exército que lidera as pesquisas.

A rejeição de Bolsonaro subiu mais ainda entre as mulheres e alcançou 52% na pequisa divulgada pelo Datafolha nesta sexta-feira. Conquistar o voto feminino é o maior desafio de Bolsonaro para vencer a eleição. Essa é uma das razões pela qual o candidato ainda perde em um provável segundo turno contra Haddad, o que pode trazer o PT de volta para o poder - e azedar o humor dos investidores.

Bolsonaro enfrenta neste fim de semana um adversário que luta com as mesmas armas que ele. O candidato conseguiu a liderança nas pesquisas com uma campanha focada nas redes sociais. Agora ele vai enfrentar um movimento que também nasceu nas redes.

O Estado de S. Paulo de hoje traz um perfil da moça que conseguiu reunir 3,8 milhões de mulheres contra Bolsonaro. A baiana Ludimilla Teixeira, de 36 anos, criou há um mês o grupo Mulheres Unidas Contra Bolsonaro no Bolsonaro. Ela se diz "anarquista" e fala que não sabe em quem vai votar, só em quem não vota.

O movimento cresceu nas redes e trouxe repercussão internacional para a #Elenão, usada para atacar Bolsonaro. Até a Madonna postou uma mensagem de apoio.

Foi nesta página que foram marcados os protestos contra Bolsonaro que ocorrem neste sábado, 29, em várias cidades do País.

Marina e Alckmin tentam surfar na onda

A reportagem conta também que depois que o grupo começou a crescer, representantes de candidatos procuraram a organizadora do movimento. Ela diz que o grupo é "suprapartidário" e não aceitou o apoio dos concorrentes.

Mesmo assim, Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) usaram a hashtag em suas propagandas eleitorais. O crescimento do movimento das mulheres é para eles a última esperança de tentar virar o jogo na reta final das eleições e conquistar um eleitor moderado.

As últimas eleições no Brasil mostram que nada é impossível. No entanto, é muito improvável que Bolsonaro fique de fora do segundo turno. Existe uma grande dúvida - e ela pode definir a eleição - sobre como vão votar as mulheres que não gostam de Bolsonaro, mas também vestiram a camisa verde-amarela para pedir a saída do PT nas manifestações de 2015 e 2016.  Quem elas odeiam menos?

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

IMPASSE CONTINUA

Vitória do governo ameaçada? FUP vai à Justiça para anular resultado de assembleia que elegeu novo conselho da Petrobras (PETR4)

19 de agosto de 2022 - 20:20

A FUP vai centrar argumentação contra a eleição a conselheiros de dois nomes barrados pelo Comitê de Elegibilidade da estatal

1ª troca em 20 anos

Americanas (AMER3) anuncia Sergio Rial, ex-CEO do Santander, para o comando da companhia no lugar de Miguel Gutierrez

19 de agosto de 2022 - 19:17

Trata-se da primeira troca no cargo de diretor presidente da varejista em 20 anos; Rial assumirá cargo no início do ano que vem

Acionistas felizes

Dividendos: Telefônica (VIVT3) e Marfrig (MRFG3) pagam nova rodada de proventos. Veja as condições para receber

19 de agosto de 2022 - 19:14

A Telefônica não fixou data para o pagamento dos dividendos, mas segundo a companhia, os créditos serão realizados até 31 de julho de 2023

VAI DISPARAR?

Polo Capital aumenta participação na Tenda (TEND3) e se aproxima do gatilho para “poison pill”; construtora discutirá fim do mecanismo em assembleia

19 de agosto de 2022 - 18:36

O movimento ocorre poucos dias após a companhia anunciar que, atendendo a um pedido da gestora, vai convocar uma Assembleia Geral Extraordinária para discutir a exclusão da “poison pill” de seu estatuto social

FECHAMENTO DO DIA

Frente fria chega ao Ibovespa e índice recua 1,12% na semana; dólar vai a R$ 5,16

19 de agosto de 2022 - 18:33

Apesar da semana calma, o Ibovespa refletiu a cautela com os juros americanos e a queda das commodities

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies