Menu
2018-10-28T21:28:31-03:00
Eleições 2018

O que interessa é a formação de governo, diz economista do ABC Brasil

Para Luis Leal, confirmada a vitória é possível que o mercado “ande mais um pouco” e dólar busque a linha de R$ 3,60. Autonomia do BC é medida que pode surpreender

28 de outubro de 2018
21:28

O que interessa para o mercado é a formação do novo governo, dos nomes da equipe, especialmente para o Ministério da Fazenda, Banco Central (BC), e o que Jair Bolsonaro vai falar com relação às privatizações. A avaliação é do economista-chefe do Banco ABC Brasil, Luis Otavio Souza Leal.

Para o economista, confirmada a vitória é possível que o mercado “ande mais um pouco” nesta segunda-feira. Como exemplo, Leal citou o dólar que na sexta-feira foi a R$ 3,65, descolado da cena externa. É possível que dólar caminhe para a linha de R$ 3,60.

De acordo com Leal, a autonomia do Banco Central poder ser uma grande surpresa. A percepção é de que o projeto possa ser aprovado no Congresso, e que isso acabe determinando a permanência de Ilan Goldfajn no comando da instituição pelo período de transição.

“A conjunção dessa independência do BC com a permanência de Ilan pode contrabalancear uma certa frustração com a reforma da Previdência no curto prazo”, disse.

Pelos modelos de autonomia em discussão, presidente do BC e diretores teriam mandatos não coincidentes com o do presidente da República. Assim, Ilan poderia ficar por mais dois anos comandando o BC até a entrada em vigor da nova regra.

Para Leal, a reforma da Previdência não deve andar, pois Bolsonaro teria pouca disposição em levar adiante o modelo proposto por Michel Temer.

Segundo o economista, a Previdência é a reforma mais urgente, mas o candidato pode começar a tratar disso em 2019.

A nova etapa

Agora, diz Leal, começa uma segunda fase no jogo, com o mercado acompanhando de perto a mudança de Bolsonaro candidato para o Bolsonaro eleito e já jogando para frente como será o Bolsonaro presidente.

Quando Bolsonaro era candidato, havia uma complacência com as falas, pois elas eram “coisa de campanha”. Agora, as falas do eleito começam a ganhar contorno de verdade. Como exemplo, Leal cita a fala de Bolsonaro sobre não entregar a geração de energia elétrica para os chineses, quando falou sobre privatizações.

“Isso é bravata ou é o que ele pensa? Qualquer coisa que ele fale será tomada a valor de face”, diz Leal.

 

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

fora do Executivo

Bolsonaro diz que BB, Caixa e Casa da Moeda não serão privatizados em seu governo

Ele afirmou que não está “segurando privatizações” e que qualquer processo é “demorado”

mudança

BC altera assinatura no câmbio e permite conta pré-paga em compra internacional

No caso da assinatura eletrônica em contratos de câmbio, será permitido usar soluções como a gravação de imagem ou de voz, o registro de sinalização gráfica de concordância e o envio ou recebimento de e-mail

Sextou com o Ruy

Como investir bem em um país que insiste em não dar certo

Para não depender do sucesso do Brasil nem da boa vontade dos governantes, o Felipe Miranda decidiu procurar por um ativo que desse grandes lucros e não estivesse ligado a nenhum desdobramento macroeconômico

projeções da corretora

XP Investimentos amplia cobertura e recomenda compra para dois FIIs de lajes corporativas

Cotas dos fundos PVBI11 e RECT11 têm potencial de alta de no mínimo 12% e oferecem rendimento de dividendo de até 8,4%

pandemia no país

Covid-19: Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 134,9 mil mortes

O Brasil chegou a 4.455.386 casos de covid-19 desde o início da pandemia. Em 24 horas desde o boletim de ontem (16), foram registrados 36.303 novos diagnósticos positivos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements