Menu
2018-10-28T22:29:33-03:00
Eleições 2018

Nova governabilidade é desafio para Bolsonaro

Prometendo não entregar cargos em troca de apoio, eleito terá de inaugurar nova forma de relação com o Congresso

28 de outubro de 2018
22:29
Câmara dos Deputados
Câmara dos Deputados - Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Jair Bolsonaro está legitimado pelas urnas, mas sua governabilidade se mostra complexa. Para o diretor de Relações Governamentais da Barral M Jorge Consultoria, Juliano Griebeler, a grande fragmentação do Congresso, que conta com 35 partidos, cria dificuldades para conseguir votos suficientes para aprovar reformas.

Além disso, explica Griebeler, um novo meio de governabilidade terá de ser formatado, já que o candidato afirma que sua gestão não vai funcionar como os outros governos que tivemos até aqui, quando cargos no Executivo e em estatais eram moeda de troca para apoio das bancadas em votações.

“O que Bolsonaro vai dar em troca que não seja cargo para trazer esses partidos de centro, que serão importantes nas votações?”, questiona.

Em seu discurso de vitória, Bolsonaro disse que pretende fazer um governo com indicações técnicas e isentas das indicações políticas de praxe.

Ainda sobre a questão da governabilidade, o coordenador do curso de Relações Internacionais do IBMEC e professor de Ciência Política, Adriano Gianturco, chama atenção paras promessas de Bolsonaro de reduzir o número de ministérios.

“Essa é uma promessa comum no mundo interno, mas empiricamente falando quase ninguém consegue respeitar isso”, avalia.

Segundo Gianturco, a experiência nacional e internacional mostra que o governante até consegue começar o governo reduzindo a estrutura do Executivo, mas que no decorrer do mandato, o número de Ministério volta a aumentar.

Ao longo da campanha, Bolsonaro falava em reduzir para 15 o número de ministérios. Atualmente são 29 estruturas ministeriais.

Para Griebeler, Bolsonaro tem de mostrar, agora, um plano de governo suficientemente detalhado que agrade ao mercado e a população. No caso da reforma da Previdência é preciso saber qual o modelo de reforma que ele defende e, depois, iniciar um tralhado de educação e comunicação com o Congresso e com a sociedade.

Para Griebeler, Bolsonaro não terá uma oposição grande, mas ela é consolidada. Para Gianturco, o PT não deve fazer uma oposição moderada e deve seguir radicalizando o discurso, como foi visto ao longo do segundo turno.

“Bolsonaro já sinalizou que quer fazer uma limpeza no aparelhamento do Estado. O PT vai reagir. O partido não tem a mesma força de antes, pois o dinheiro acabou, mas tem nichos importantes em universidades e sindicatos”, avalia Gianturco.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

inflação de alimentos

Após ouvir cobrança, Bolsonaro reforça que preço do arroz não será tabelado

Ministra da Agricultura avisou que atual patamar de preços só deve baixar mesmo a partir de 15 de janeiro, quando entrar a safra brasileira.

ranking da forbes

Varejo invade lista de mais ricos do Brasil; saiba mais sobre os bilionários

Luiza Trajano, Ilson Mateus e Luciano Hang chegam entre os 10 mais ricos do país, em um ano marcado por mudanças no setor varejista, alta das ações e IPOs

Seu Mentor de Investimentos

Como proteger seus investimentos diante do risco de sanções comerciais por causa das queimadas

País tornou-se um pária no mundo por conta do que acontece no Pantanal e na Amazônia, diz colunista Ivan Sant’Anna; ele aponta uma série de tipos de ativos que podem estar imunes a uma eventual protesto da comunidade internacional

caso de fevereiro

Guedes ‘excedeu barbaramente’ limites ao comparar servidor a parasita, diz juíza

Cláudia da Costa Tourinho Scarpa, da 4ª Vara Federal Cível da Bahia, afirmou que o ministro da Economia ‘insultou’ os servidores públicos

em recuperação judicial

Justiça dos EUA libera empréstimo de US$ 2,4 bi da Latam

Nova proposta retirou cláusula questionada por minoritários

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements