Menu
2019-04-04T14:10:32-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
IPCA

Inflação volta a subir em setembro e confirma ‘faro’ dos investidores

Índice foi puxado pelo setor de transportes, que teve alta de 1,69%; em 12 meses, indicador tem alta de 4,53%

5 de outubro de 2018
10:02 - atualizado às 14:10
Rodovia
O setor de transporte é o que mais pesou no mês, representando 0,31% da taxa - - Imagem: shutterstock

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,48% em setembro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira, 5. Em agosto, o índice registrou uma deflação de 0,09%.

No ano, o IPCA acumula alta de 3,34% enquanto nos últimos 12 meses, de 4,53%. O resultado para setembro é o maior para o mês desde 2015, quando o índice chegou a 0,54%.

O resultado vai de acordo com o previsto pelo relatório de mercado Focus, que prevê 2018 fechando com inflação em alta.

Veja um comparativo com os meses anteriores:

Os mais pesados

Entre os setores que mais pesaram estão o de transportes (1,69%), que corresponde a 0,31% da taxa de 0,48% para o mês. Essa variação é a maior para o setor nesse mês desde 1994, quando a alta foi de 1,22%, segundo o IBGE.

Os combustíveis também ganharam os holofotes, saindo de um deflação de 1,86% em agosto para 4,18% em setembro. O diesel subiu 6,91% no mês, seguido do etanol, com alta de 5,42% e a gasolina, com 3,94%.

Confira como ficou a inflação para cada setor em setembro:

  • Alimentação e bebidas: 0,10%
  • Habitação: 0,37%
  • Artigos de residência: 0,11%
  • Vestuário: - 0,02%
  • Transportes: 1,69%
  • Saúde e Cuidados Pessoais: 0,28%
  • Despesas pessoais: 0,38%
  • Educação: 0,24%
  • Comunicação: - 0,07%
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Educação

Ações da Cogna avançam, mesmo com prejuízo líquido de R$ 90,975 milhões no 1º trimestre

Confira outros destaques do balanço da empresa, que viu uma queda de 18,1% nos investimentos

Exile on Wall Street

As bolsas deixaram os fundamentos de lado esta semana — mas você não deve!

A semana é de resultados, mas não se fala em outra coisa a não ser na alta de juros, após reunião do Copom que levou a Selic para 3,5% ao ano. Além disso, a inflação americana, que veio acima da expectativa, elevou as estimativas de juros futuros nos Estados Unidos.  Com isso, mesmo empresas com […]

esg

BTG e consórcio de investidores compram ativos florestais da Arauco no Chile por US$ 385,5 milhões

Segundo o banco, a transação do TIG envolve cerca de 80,5 mil hectares de áreas florestais de “alta qualidade e com manejo sustentável”, nas regiões do Centro e Sul do país

No Velho Continente

Amplo apoio monetário é essencial para garantir volta da inflação à meta, diz Banco Central Europeu

A avaliação, consensual entre os dirigentes, é justificada por incertezas sobre a pandemia e o ritmo de vacinação contra o coronavírus

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies