Menu
2019-04-04T16:03:13-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA. Trabalhou por 18 anos nas principais redações do país, como Agência Estado/Broadcast, Gazeta Mercantil e Valor Econômico. É coautor do ensaio “Plínio Marcos, a crônica dos que não têm voz" (Boitempo) e escreveu os romances “O Roteirista” (Rocco), “Abandonado” (Geração) e "Os Jogadores" (Planeta).
Ações

Sapore marca reuniões com acionistas da IMC para diminuir resistência a ‘oferta hostil’

Depois de lançar oferta por 40% das ações da dona das redes de restaurantes Frango Assado e Viena na bolsa, Sapore vai abrir seus números aos acionistas da empresa que participarem dos encontros

10 de dezembro de 2018
14:58 - atualizado às 16:03
Daniel Mendez, dono da Sapore
Daniel Mendez, dono da Sapore Imagem: Reprodução / YouTube

A disputa pelo controle da IMC, dona das redes de restaurantes Frango Assado e Viena, chega ao ápice nesta semana.

A empresa de refeições coletivas Sapore, que lançou no mês passado uma oferta para comprar 40% das ações da IMC na bolsa, convidou os acionistas da companhia para reuniões que acontecem amanhã e quarta-feira.

O objetivo é diminuir a resistência aos planos do empresário Daniel Mendez, dono da Sapore. Após a oferta, ele pretende propor a fusão das duas empresas. O convite aos acionistas foi publicado no site da Sapore.

Da fusão à hostilidade

No começo do ano, a Sapore e a IMC chegaram a acertar uma fusão. Mas a rede dona do Viena e do Frango Assado desistiu do negócio meses depois, já na fase de auditoria das contas das empresas.

Mendez, porém, não desistiu e voltou à carga com uma oferta direta aos acionistas da IMC. Esse processo é conhecido como "oferta hostil", já que não passou por uma negociação prévia com a administração da companhia.

O dono da Sapore oferece R$ 8,63 por ação da dona do Viena e Frango Assado na operação, o equivalente a quase R$ 600 milhões.

Na tarde de hoje, as ações da IMC eram negociadas a R$ 6,85 na bolsa, em queda de 1,44%.

Em entrevista na semana passada ao site "Brazil Journal", o dono da Sapore defendeu a fusão entre as empresas e culpou a atual administração da IMC pelas dificuldades em fechar o negócio.

"Sou contra"

Na semana passada, o conselho de administração da IMC recomendou aos acionistas que não aderissem à oferta pública de aquisição (OPA), marcada para o dia 19 de dezembro.

Para tentar convencer os acionistas que participarem das reuniões, a Sapore vai apresentar os números da auditoria realizada durante a negociação de fusão entre as empresas.

O receio de eventuais "esqueletos" no balanço da Sapore é justamente um dos fatores de resistência à oferta lançada por Mendez, segundo me contou um dos acionistas da IMC.

Com 40% das ações, ele seria capaz de levar adiante a fusão mesmo com a eventual discordância dos minoritários. Por isso, os acionistas também querem que Mendez aceite não votar nas assembleias que decidirem sobre a posterior fusão das empresas como condição para aderir à OPA.

Pílula de veneno

As reuniões da Sapore acontecem na véspera de uma assembleia de acionistas da IMC que pode barrar de vez os planos de Mendez.

A assembleia vai decidir sobre a inclusão de uma cláusula para obrigar qualquer investidor que atingir uma participação de pelo menos 30% na empresa a fazer uma oferta a todos os acionistas, pelo mesmo preço por ação.

Esse tipo de condição estabelecida em estatuto é chamada no mercado de "poison pill" (pílula de veneno). O objetivo é justamente dificultar a tomada do controle em companhias com o capital pulverizado na bolsa, como é o caso da IMC.

A assembleia está marcada para quinta-feira, dia 13. Mendez  já disse que vai cancelar a oferta se os acionistas aprovarem a mudança no estatuto, que obrigaria o empresário a comprar 100% da empresa. Mas para barrar os planos do empresário, a reunião deverá contar com a presença de pelo menos dois terços dos acionistas.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Não vai mais rolar

Iguá Saneamento desiste de oferta inicial de ações

O pedido de abertura de capital havia sido protocolado no dia 1º de setembro e seria uma oferta pública de distribuição primária e secundária.

follow on

Notre Dame Intermédica anuncia oferta em que Bain Capital venderá até R$ 3,7 bi em participação

Tamanho da operação equivale a 44% do total de ações detidas pela empresa de private equity americana na operadora de saúde

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil registra 24.468 casos e 272 mortes em 24 horas

Nas últimas 24 horas foram computados 24.468 novos casos e 272 mortes, segundo Ministério da Saúde

o que vem por aí

Os segredos da bolsa: PIB do Brasil ganha holofotes após rali de novembro

PIB do 3º trimestre pode aumentar ainda mais a euforia dos investidores vista em novembro ou frear os ânimos

Análise

Como ficam as peças do xadrez da política após as eleições municipais

A eleição marcou a conquista de peças importantes, vitórias que serviram apenas para demarcar território e derrotas claras. Mas houve também avanços importantes mesmo de quem perdeu nas urnas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies