Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T14:19:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Corte de produção

GM quer cortar 8 mil funcionários na América do Norte e Trump responde

Presidente americano pediu que empresa parasse de produzir carros na China e abrisse fábrica em Ohio, já que o país “fez muito” pela GM

27 de novembro de 2018
6:40 - atualizado às 14:19
Presidente dos EUA, Donald Trump; Facebook; Mark Zuckerberg
Imagem: Shutterstock

A General Motors planeja fazer cortes significativos em sua força de trabalho na América do Norte e pretende cortar mais de 8 mil funcionários assalariados na região e encerrar a produção em três fábricas, potencialmente afetando outros 6 mil empregos na linha de montagem. A decisão da montadora ocorre em um momento no qual ela planeja abandonar diversos modelos de veículos, incluindo o Chevrolet Cruze e o Chevrolet Impala, como parte de um plano mais amplo de redução de custos.

Apesar de dois anos consecutivos de lucro operacional recorde e uma corrida historicamente forte de vendas de veículos nos Estados Unidos, a GM afirmou que deseja apertar o cinto enquanto os tempos estão positivos. A presidente-executiva da companhia, Mary Barra, disse que a empresa deseja ser mais eficiente em seu negócio principal de engenharia e construção de carros, enquanto investirá mais dinheiro em inovações em potencial, como carros elétricos e autônomos.

"Não vemos nada específico no horizonte", disse Barra a jornalistas nesta segunda-feira. "Isso é para garantir que a GM seja ágil para chegar à frente e liderar em veículos autônomos e elétricos."

Cortes planejados

Os cortes salariais planejados na América do Norte seriam alcançados por meio de uma combinação de demissões e aquisições anunciadas anteriormente. Muitos, provavelmente, estarão nas grandes operações de desenvolvimento de produtos da empresa. A GM está mudando seu foco para veículos elétricos e híbridos, assim como veículos utilitários esportivos e caminhões em vez de sedãs.

Durante a tarde, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou, em entrevista ao Wall Street Journal, que a GM deveria parar de fabricar carros na China e que deveria abrir uma nova fábrica em Ohio rapidamente. Antes de embarcar rumo ao Mississippi, Trump disse que os EUA fizeram muito pela GM. Mary Barra irá se reunir com o diretor do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, Larry Kudlow, ainda nesta segunda-feira.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Coluna do jojo

Mercados hoje: Em terra de Copom, quem sobe os juros é rei

Para hoje, além da continuidade da temporada de resultados com pesos pesados – por aqui, esperamos nomes como Gerdau, Banco do Brasil e Petrobras –, mais pesquisas de opinião sobre o sentimento empresarial estão por vir

O melhor do seu dinheiro

O que mexe com seu dinheiro: bolão do Copom na bolsa, novo fundo da Inter, IPO da Raízen e mais

Bem, amigos do Seu Dinheiro. Hoje é dia de decisão! Com o desfalque do diretor Bruno Serra, que testou positivo para a covid-19, o Banco Central entra em campo nesta quarta-feira para definir a taxa básica de juros (Selic). Haja coração! As reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) são para a imprensa econômica o […]

Cliente difícil

Barrada na alfândega: Carne de unidade da BRF não é mais bem vinda na China

País asiático suspende compra de produtos suínos e de aves processados na unidade de Lucas do Rio Verde (MT), alegando problemas no transporte

Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: cautela antes da decisão do Copom e risco fiscal devem dividir atenção com balanços do dia

Em meio ao exterior positivo, bolsa brasileira deve lidar com cenário interno de incertezas quanto ao teto de gastos

Preparar para decolagem

Renovação total: Gol faz acordo para adquirir aviões novos; veja os detahes

Presidente da companhia aérea afirma que movimento é uma antecipação à esperada retomada da demanda por viagens após a pandemia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies