Menu
2019-04-04T14:09:03-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Para pressionar

Trump ameça fechar fronteira com México e voltar ao ambiente pré-Nafta se não conseguir aprovar seu muro

Em meio à paralisação do governo, que já dura uma semana, presidente norte-americano prometeu retrocessos caso não consiga aprovação de orçamento

28 de dezembro de 2018
12:42 - atualizado às 14:09
Donald Trump, presidente americano
Donald Trump - Imagem: shutterstock

No dia em que a paralisação parcial do governo dos Estados Unidos completa uma semana, o presidente Donald Trump voltou a fazer ameças para tentar pressionar um acordo.

"Ou construímos um muro ou fechamos a fronteira sulista", escreveu em sua conta no Twitter, projetando ainda que, neste último cenário, a indústria automotiva americana "voltaria aos Estados Unidos, aonde pertence".

Para o republicano, o país regressaria ao ambiente "pré-Nafta" (Tratado Norte-Americano de Livre-Comércio), "antes de tantas de nossas companhias e empregos serem bobamente mandados para o México".

"Seremos forçados a fechar a fronteira sulista se os democratas obstrucionistas não nos derem o dinheiro para terminar o muro e também mudar as ridículas leis de imigração que pesam sobre o nosso país", afirmou, em uma das várias publicações sequenciais sobre o tema.

Desde o primeiro minuto do último sábado, 22, a máquina pública federal está parcialmente paralisada pela ausência de um orçamento vigente. Trump exige receber do Congresso um documento que preveja cerca de US$ 5 bilhões para erguer uma barreira física ao longo da divisa sulista, mas precisaria de votos do Partido Democrata para conseguir a verba. A oposição se nega a apoiar qualquer projeto de lei com dinheiro para o muro, o que levou ao atual impasse e à expiração do orçamento-tampão na semana passada sem que o Legislativo aprovasse um nova peça para substituí-lo.

Nos tuítes desta sexta-feira, Trump também escreveu que os EUA "perdem tanto dinheiro no comércio com o México sob o Nafta, mais de 75 bilhões de dólares ao ano (não incluindo o dinheiro de drogas que seria muitas vezes essa soma)", que ele "consideraria fechar a fronteira sulista uma 'operação lucrativa'".

Por fim, sobrou ainda para Honduras, Guatemala e El Salvador, que, na visão do presidente american, "não estão fazendo nada pelos Estados Unidos além de tomar nosso dinheiro". "Dizem que uma nova caravana está se formando em Honrudras e eles não estão fazendo nada sobre isso. Cortaremos toda a assistência a esses três países [que estão] tirando vantagem dos EUA por anos!", concluiu.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Ivan Sant'Anna

O novo superciclo das commodities já é uma realidade. Como você pode ganhar dinheiro com ele

Nas últimas décadas, tivemos três grandes bull markets de commodities. Agora, os astros estão se alinhando para um novo superciclo

Contas brasileiras em jogo

STF retoma julgamento sobre ICMS e PIS/Cofins; decisão pode ter impacto de R$ 258,3 bilhões para União

Os ministros já haviam declarado inconstitucional a cobrança de ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins, mas o governo pede que a decisão não tenha efeito retroativo

São Jorge e o dragão inflacionário

A grande e ameaçadora besta da inflação começa a sair do seu sono profundo. Aos poucos, movimenta as asas e mexe sua cauda incendiária. Um vagaroso e temerário despertar. Nem de longe está cuspindo fogo — e quem viveu no Brasil nos anos 80 e 90 lembra bem do seu poder destrutivo. Mas mesmo o […]

FECHAMENTO

Dragão americano da inflação assombra ativos globais e resultado é bolsa, dólar e juros sob pressão; Ibovespa recua 2% e volta aos 119 mil pontos

A pressão inflacionária superou até mesmo o cenário político interno caótico nos holofotes do mercado e levou o principal índice brasileiro a amargar uma queda brusca

Primeiro encontro

Presidentes de Petrobras e BR se reúnem para tratar da saída da estatal da distribuidora

Os executivos, que assumiram os cargos há cerca de uma vez, discutirão a venda da participação de 37,5% que a Petrobras ainda detém na empresa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies