Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:55:05-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Discussões sobre muro no México

Governo dos Estados Unidos entra em paralisação parcial por falta de acordo sobre orçamento

Parlamentares democratas não aceitaram realocar R$ 5 bilhões do orçamento federal para construir um muro na fronteira com o México

22 de dezembro de 2018
9:22 - atualizado às 13:55
GIf de Donald Trump
Essa é a terceira paralisação da administração norte-americana em 2018 - Imagem: Giphy

Após o Congresso americano rejeitar as exigências de Donald Trump de reservar US$ 5 bilhões no orçamento para erguer o polêmico muro na fronteira com o México, o governo dos Estados Unidos entrou em paralisação parcial neste sábado, 22.

Essa é a terceira paralisação da administração norte-americana em 2018. A primeira delas aconteceu em janeiro, provocada pela insistência dos democratas de que as medidas orçamentárias viessem com proteções para jovens imigrantes conhecidos como "dreamers". Em fevereiro, houve uma lacuna de financiamento que durou apenas 9 horas e não provocou afastamento de funcionários ou paralisação do governo, efetivamente.

Sem acordo

Na noite de ontem, 21, o vice-presidente Mike Pence, o conselheiro e genro de Trump, Jared Kushner, e o diretor do Conselho de Orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, passaram horas dentro do parlamento tentando chegar a um acordo com os deputados e senadores, sem sucesso.

Há expectativa de que as negociações continuem. Câmara e Senado marcaram sessões para hoje e os deputados foram avisados de que receberiam um aviso 24 horas antes de uma votação.

Enquanto o acordo não vem, as agências estatais norte-americanas seguem executando seus planos de paralisação ordenada. A paralisação bloqueia recursos para nove dos 15 departamentos de nível de gabinete e dezenas de agências, incluindo os departamentos de Segurança Nacional, Transporte, Interior, Agricultura, Estado e Justiça.

A falta de fundos vai atrapalhar diversas operações do governo e também a rotina de 800 mil funcionários federais. Cerca de 420 mil trabalhadores foram considerados essenciais e trabalharão sem salário dias antes do Natal, enquanto outros 380 mil serão afastados, ou seja, ficarão em casa sem receber. Entre os afastados, estão inclusos quase todos os trabalhadores da Nasa.

Algumas agências, incluindo o Pentágono e os departamentos de Assuntos de veteranos e Saúde, já estão financiadas para o ano inteiro em acordos feitos no decorrer do ano e vão operar normalmente.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

De onde vem o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de renda para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

O que vem depois da lua?

Depois do recorde: até onde vai a alta do bitcoin? Especialista em criptomoedas responde

Depois da aprovação do primeiro ETF em criptomoedas, o bitcoin (BTC) não para de subir e as estimativas são otimistas — mas os EUA podem mudar o jogo

Analistas respondem

Ações da Vale aprofundam queda com sinais ruins do relatório de produção e vendas no 3º trimestre. Hora de comprar VALE3?

Analistas apontam que, enquanto a produção foi sólida, a venda de minério de ferro veio abaixo do esperado até pelas estimativas mais conservadoras

Puxando os ETFS

Chove bitcoin, molha ETF: fundos de índice brasileiros sobem até 19% em dia de recorde do BTC

Enquanto o primeiro ETF de criptomoeda dos Estados Unidos avança tímidos 3%, na B3, o avanço é de até 19,78%

Cabo de guerra

Sem explicar origem da verba, Bolsonaro confirma Auxílio Brasil em R$ 400 e promete respeitar teto de gastos

Apesar da promessa do presidente, o governo flerta com a flexibilização do teto para conseguir arcar com o valor do benefício

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies