Menu
2019-04-04T14:10:51-03:00
Ana Paula Ragazzi
Ana Paula Ragazzi
Negócios alimentícios

Sapore confirma intenção de comprar parte da empresa que controla o Frango Assado e o Viena; edital deve sair nesta 2ª

Negócio envolvendo a International Meal Company foi revelado pelo Seu Dinheiro em 8 de novembro

18 de novembro de 2018
18:13 - atualizado às 14:10
frango-assado IMC
Sapore encaminhou uma carta à IMC confirmando o a intenção de fazer “brevemente” uma oferta parcial pelas ações da IMC - Imagem: Facebook/Divulgação

A International Meal Company (IMC), dona das redes Viena e Frango Assado, subiu o tom para tentar se defender do desejo da empresa de refeições corporativas Sapore de fazer uma oferta hostil por parcela relevante da companhia. A intenção da Sapore foi revelada pelo Seu Dinheiro no último dia 8 de novembro. Depois disso, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pediu esclarecimentos às empresas e deu prazo de cinco dias para que a Sapore publicasse o edital da oferta.

Em vez de publicar o edital, a Sapore encaminhou uma carta à IMC, no último dia 16, confirmando o a intenção de fazer “brevemente” uma oferta parcial pelas ações da companhia. A IMC neste domingo (18), informa que foi à CVM exigir que a autarquia imponha um prazo de 5 dias para a publicação do edital, ou que, do contrário, a Sapore anuncie “de maneira inequívoca” que não pretende realizar a oferta.

O que se lê da correspondência divulgada hoje pela IMC é que esta empresa acredita que o empresário uruguaio Daniel Mendez, dono da Sapore, não conseguiu levantar os recursos para a oferta e por isso quer colocá-lo em corner com os prazos. Mas Seu Dinheiro apurou que o edital da oferta deverá ser publicado nesta segunda-feira (19) em jornais de grande circulação. O aval que faltava de um consórcio de bancos formado por Bradesco, Banco do Brasil e Votorantim foi conseguido na última semana e Mendez está pronto para lançar a operação.

Na correspondência enviada à IMC, a Abanzai, holding controladora de 100% da Sapore, relembra que as empresas estiveram perto de uma fusão, mas o processo foi abandonado “unilateralmente pela IMC” em setembro _ à época ela alegou problemas no decorrer da auditoria. No entanto, a Abanzai diz que entende que o potencial de combinação de negócios das duas ainda apresenta “forte racional estratégico” para ambas, seus acionistas, mercados e parceiros, pois “resultará numa companhia líder na América Latina”.

A oferta será por no mínimo 69 milhões de ações da IMC e no máximo 69,375 milhões de ações. Ou seja, Mendez quer ter aproximadamente entre 41,5% e 42% da IMC. Vai pagar, por ação, R$ 8,63. Para tanto, conseguiu recursos de até R$ 600 milhões com os três bancos.

As ações da IMC subiram 4,19% na sexta-feira (16) e fecharam a R$ 6,96 _ em relação a este valor, o prêmio oferecido aos acionistas na oferta será de 24%. A IMC não tem controlador definido e seus principais acionistas são Itaú (10%); Advent (10%); KAB Outer (7,8%); XP (5,1%), NEO (5%) e UV (5%).

A Abanzai vai pagar R$ 8 no dia da liquidação da oferta e os R$ 0,63 restantes três dias úteis depois, após ter sido equacionada uma operação de redução de capital que foi aprovada pela IMC em setembro passado. Se a oferta for bem-sucedida, a Abanzai já informa que vai apresentar nova proposta de combinação de negócios de ambas. Conforme informou Seu Dinheiro, a Abanzai vai votar na assembleia sobre a fusão, que deverá ser acompanhada por um comitê independente.

Na carta que enviou em resposta, a IMC afirma que em vez de publicar o edital da oferta, como pediu a CVM, a Abanzai falou apenas que irá lança-la “brevemente” e não cita a existência de recursos ou financiamento firme para a concretização do negócio. Sequer citou a instituição intermediária da operação _ segundo apurou Seu Dinheiro, será a Brasil Plural.

A IMC quer o prazo cumprido porque o anúncio de intenção de fazer a oferta pela empresa, seguido de uma possível combinação de negócios, faz com que a IMC tenha que “redobrar esforços para manter o curso normal de seus negócios e relações não só com seus investidores, mas também colaboradores, fornecedores e parceiros comerciais”. E isso tudo, diz, sem que se tenha sequer a certeza de que a Abanzai já assegurou os recursos financeiros para a oferta.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Recuperando lentamente

Volkswagen prevê lucro operacional ajustado mais baixo em 2020

A montadora projeta fluxo de caixa líquido de cerca de 6 bilhões de euros.

“HBRE3”

Segmento imobiliário da B3 vai ganhar mais um nome, a HBR Realty

Do mesmo fundador da Helbor, companhia chega à bolsa após levantar R$ 729,6 milhões em oferta restrita de ações

Mercados hoje

Ibovespa recua mais de 1% em meio a risco fiscal e aumento da covid-19; dólar vai a R$ 5,45

Pela manhã, já havia uma expectativa que a bolsa brasileira acompanhasse as quedas das bolsas europeias, americanas e das commodities.

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta sexta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

MELHORANDO

Mesmo com avanço do faturamento, prejuízo do IRB cresce em novembro

Perda de R$ 124,5 milhões foi atribuída pelo ressegurador ao aumento das despesas financeiras após mudanças regulatórias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies