Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2018-10-09T20:29:30-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

Núcleo político da campanha de Bolsonaro diz que reforma da Previdência não está no seu programa de governo

Coordenador político da campanha, deputado Onyx Lorenzoni disse que Bolsonaro considera a reforma ruim e “que não resolve nada”

9 de outubro de 2018
20:09 - atualizado às 20:29
Onyx Lorenzoni
Onyx: "o Jair não era a favor dessa reforma e a maioria das pessoas que o apoiaram não são a favor dessa reforma porque ela é ruim" - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O coordenador político da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), afirmou nesta terça-feira, 9, ao Estadão/Broadcast que a reforma da Previdência - tão aguardada pelo mercado - não faz parte do programa de governo do capitão.

O deputado também declarou que a base do candidato não deve se movimentar, caso ele seja eleito, para a aprovação da reforma proposta por Michel Temer neste ano.

"Não tem no plano, não tem nas conversas. (...) O Jair não era a favor dessa reforma e a maioria das pessoas que o apoiaram não são a favor dessa reforma porque ela é ruim. É uma porcaria e não resolve nada", Onyx Lorenzoni.

Bate cabeça

As declarações marcam um novo episódio de contradição na equipe de Bolsonaro. Antes do primeiro turno, o candidato à vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB), criticou o 13º salário durante um evento no Rio Grande do Sul, e logo foi desmentido pelo próprio Bolsonaro nas redes sociais.

Com a declaração, Onyx traz uma posição contrária à de Mourão, que defende a aprovação do projeto ainda este ano, e de Paulo Guedes. O economista da campanha - e potencial Ministro da Fazenda - disse que vai fazer a reforma da Previdência para acabar com privilégios e as disparidades entre a aposentadoria de servidores públicos e da iniciativa privada.

Programa só em 2019

Onyx também declarou ao Broadcast que os programas de governo de Bolsonaro começarão a serem construídos somente em 2019. Ele chamou planos específicos de "armadilha que os marqueteiros impuseram aos políticos".

Vale lembrar que o deputado é cotado para ser ministro-chefe da Casa Civil em um eventual governo Bolsonaro.

Do meu jeito

Horas depois das declarações de Onyx, Bolsonaro se manifestou em relação à questão da Previdência. O candidato afirmou que, se eleito, irá procurar a atual equipe econômica do governo Temer para apresentar a sua proposta de reforma.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Dia Agitado

Após receber aporte bilionário, Ânima (ANIM3) compra participação em plataforma para formação de profissionais de saúde

Através de sua controlada Inspirali, a mesma a receber o aporte mais cedo, a companhia fechou um acordo para a aquisição de 51% da IBCMED

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ômicron e Powell assustam mercados, mas criptomoedas escapam da queda; confira os destaques do dia

O fim de novembro chega carregado de expectativa para o início oficial da temporada das festas de final de ano. As tradições natalinas podem variar de família para família, mas algumas coisas são universais — como as retrospectivas pessoais e a presença do clássico “Então é Natal”, da cantora Simone, em quase 100% dos lares […]

Natal antecipado

Dividendos: Blau Farmacêutica (BLAU3) vai distribuir juros sobre o capital próprio (JCP); confira o valor por ação

A ‘data de corte’ para os proventos, que devem cair na conta dos acionistas em 15 de dezembro, é na próxima sexta-feira (3)

FECHAMENTO DOS MERCADOS

PEC dos precatórios caminha e limita queda do Ibovespa, mas índice fecha novembro no vermelho; dólar vai a R$ 5,63

A nova variante do coronavírus e o posicionamento do Fed diante das ameaças amargaram o humor dos investidores no exterior, mas o Ibovespa conseguiu se segurar nos 100 mil pontos com o noticiário político.

Correria no Congresso

Governo quer esperar, mas presidente do Senado estuda votar PEC dos precatórios ainda hoje

O governo acredita já ter os votos necessários para aprovar a proposta, mas esperava garantir uma margem maior antes da votação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies