Menu
2018-10-09T20:29:30-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

Núcleo político da campanha de Bolsonaro diz que reforma da Previdência não está no seu programa de governo

Coordenador político da campanha, deputado Onyx Lorenzoni disse que Bolsonaro considera a reforma ruim e “que não resolve nada”

9 de outubro de 2018
20:09 - atualizado às 20:29
Onyx Lorenzoni
Onyx: "o Jair não era a favor dessa reforma e a maioria das pessoas que o apoiaram não são a favor dessa reforma porque ela é ruim" - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O coordenador político da campanha de Jair Bolsonaro (PSL), deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), afirmou nesta terça-feira, 9, ao Estadão/Broadcast que a reforma da Previdência - tão aguardada pelo mercado - não faz parte do programa de governo do capitão.

O deputado também declarou que a base do candidato não deve se movimentar, caso ele seja eleito, para a aprovação da reforma proposta por Michel Temer neste ano.

"Não tem no plano, não tem nas conversas. (...) O Jair não era a favor dessa reforma e a maioria das pessoas que o apoiaram não são a favor dessa reforma porque ela é ruim. É uma porcaria e não resolve nada", Onyx Lorenzoni.

Bate cabeça

As declarações marcam um novo episódio de contradição na equipe de Bolsonaro. Antes do primeiro turno, o candidato à vice-presidente, general Hamilton Mourão (PRTB), criticou o 13º salário durante um evento no Rio Grande do Sul, e logo foi desmentido pelo próprio Bolsonaro nas redes sociais.

Com a declaração, Onyx traz uma posição contrária à de Mourão, que defende a aprovação do projeto ainda este ano, e de Paulo Guedes. O economista da campanha - e potencial Ministro da Fazenda - disse que vai fazer a reforma da Previdência para acabar com privilégios e as disparidades entre a aposentadoria de servidores públicos e da iniciativa privada.

Programa só em 2019

Onyx também declarou ao Broadcast que os programas de governo de Bolsonaro começarão a serem construídos somente em 2019. Ele chamou planos específicos de "armadilha que os marqueteiros impuseram aos políticos".

Vale lembrar que o deputado é cotado para ser ministro-chefe da Casa Civil em um eventual governo Bolsonaro.

Do meu jeito

Horas depois das declarações de Onyx, Bolsonaro se manifestou em relação à questão da Previdência. O candidato afirmou que, se eleito, irá procurar a atual equipe econômica do governo Temer para apresentar a sua proposta de reforma.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

FECHAMENTO DA SEMANA

Ufa! Ibovespa avança quase 5% em semana de alta volatilidade, mas dólar vai a R$ 5,68

A PEC emergencial e a disparada dos títulos públicos norte-americanos monopolizaram o noticiário, pressionando o câmbio e a bolsa

Regime especial

STF forma maioria para manter sigilo das informações do programa de repatriação

A análise tem origem em uma ação proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 2017.

Algo não agradou

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O sentimento na equipe de Guedes foi de perda da possibilidade de acionamento dos gatilhos em caso de calamidade por mais dois anos seguintes

DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

Suspeita de crime

CVM confirma processo para investigar suposto ‘insider trading’ na Petrobras

A suspeita de que alguém pode ter lucrado R$ 18 milhões com o vazamento de informações sobre o que ocorreria na estatal vieram à tona no início da semana e mexeram com os ânimos do mercado.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies