Menu
2019-04-04T14:10:49-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Revista britânica

Depois de dois ataques a Bolsonaro, The Economist volta a falar de eleição brasileira

Revista publicou uma reportagem em que defende o sistema de votação eletrônico, afirmando que o modelo tornou as eleições mais seguras

6 de outubro de 2018
19:15 - atualizado às 14:10
urna eletrônica brasileira
Urna eletrônica - Imagem: Shutterstock

Depois de criticar Jair Bolsonaro em uma de suas capas e divulgar um vídeo contra o candidato nas redes sociais, a The Economist voltou a publicar conteúdos relacionados às eleições neste sábado, 6. Mas dessa vez a revista britânica mudou o foco e falou sobre a desconfiança que parte dos brasileiros têm com relação à urna eletrônica.

A reportagem defende o uso do sistema eletrônico, afirmando que ele "tornou as eleições brasileiras mais confiáveis, não menos". Lembrou também que, em 22 anos de votações eletrônicas, não foi comprovado nenhum caso sólido de adulteração dos resultados. O texto cita que discursos contra a urna eletrônica ganharam força no Brasil em meio a um contexto "marcado pelo descontentamento popular com o establishment político corrupto".

Discursos pró-urna

A véspera da eleição foi marcada por discursos de defesa ao uso das urnas eletrônicas. A procuradora-geral da República e eleitoral, Raquel Dodge, disse que "não é fácil atingir o ponto de credibilidade que a Justiça Eleitoral brasileira alcançou".

Dodge participou hoje do processo de verificação dos sistemas de votação, na sede do Tribunal Superior Eleitoral, onde foram conferidas a autenticidade e a integridade de quatro softwares utilizados no recebimento dos arquivos das urnas eletrônicas e a inserção dos dados no sistema de totalização da Corte.

Os TRE's também fizeram os últimos ajustes nas máquinas e imprimiram documentos que comprovam que todas as urnas chegarão zeradas aos pontos de voto.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

A inflação americana na Broadway e outros destaques

O dilema dos Bancos Centrais renderia um musical na Broadway. Um enredo cheio de intrigas e drama; personagens em conflito, cientes de que suas decisões impactam o mundo todo. Subir ou não subir os juros, eis a questão. A inflação americana, afinal, começa a aumentar num ritmo preocupante — e muito por causa da postura […]

Fechamento

Mercado modera reação à inflação americana e bolsa consegue recuperação parcial; dólar sobe a R$ 5,31

Os investidores respiraram fundo, pegaram um copo d’água e digeriram melhor o choque da pressão inflacionária nos Estados Unidos

Caça às pendências

BNDES quer viabilizar privatização da Eletrobras e refazer leilão de bloco da CEDAE ainda este ano

Além disso, o banco de fomento trabalha em outros 120 projetos de desestatização que podem chegar a um investimento total de R$ 243 bilhões em obras

Oferta secundária à vista?

BNDES vai esperar o ‘melhor momento’ para vender ações da Copel

A BNDESPar, empresa de participações do banco, pretende se desfazer da fatia de 24% que possui das ações Copel

Mais uma para a lista

Mesmo com apoio de grandes investidores, Dotz interrompe processo de IPO

A empresa, que pretendia movimentar R$ 1,1 bilhão com a oferta, citou a atual condição do mercado de capitais brasileiro como o motivo por trás da desistência

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies