Menu
2018-10-08T02:05:06-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Marina Gazzoni
Marina Gazzoni
Jornalista formada pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e com MBA em Informação Econômico-Financeira e Mercado de Capitais no Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Foi editora de Economia do G1 e repórter de O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo e do portal IG.
Eleições 2018

Bolsonaro e Haddad vão para 2º turno em eleição marcada pela polarização entre direita e esquerda

Votações de Bolsonaro e Haddad ficaram acima do que apontavam as pesquisas e fora do intervalo considerado tolerável pela margem de erro

7 de outubro de 2018
19:06 - atualizado às 2:05
Jair Bolsonaro e Fernando Haddad, candidatos às eleições presidenciais de 2018
Candidatos às eleições presidenciais 2018 - Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil e Sérgio Silva/Wikimedia Commons

O Brasil terá um embate entre direita e esquerda no segundo turno. Jair Bolsonaro (PSL) ficou com 46,03% dos votos válidos e Fernando Haddad (PT) conquistou 29,28%, com 99% das urnas apuradas, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A eleição marcou a morte do Centrão e a polarização extrema do país. Os candidatos que tentaram ser uma terceira via ao radicalismo, como Ciro Gomes, Marina Silva e Geraldo Alckmin, não conseguiram angariar votos.

A decisão da eleição ocorreu na reta final. Um dos fatos mais marcantes da eleição foi o atentado contra Bolsonaro no dia 6 de setembro, que deixou o líder das pesquisas internado no último mês da campanha. O caso trouxe exposição a Bolsonaro e ele ganhou mais votos após o episódio.

Outro fato marcante da reta final foi o avanço de Haddad. Antes de 17 de setembro, o petista não aparecia nas pesquisas no segundo turno. A vaga no segundo turno mostra que a estratégia do PT de lançar Lula como candidato, mesmo ele estando preso em Curitiba, foi bem-sucedida. O ex-presidente aparecia em primeiro lugar nas intenções de voto antes da eleição e conseguiu transferir um número suficiente de eleitores para garantir Haddad no segundo turno.

Reação dos mercados

O mercado começou a eleição na torcida por Geraldo Alckmin, que fechou um acordo com o Centrão e prometia propor as reformas econômicas no início do mandato. Como Alckmin não emplacou, o mercado financeiro rapidamente migrou para a torcida de Jair Bolsonaro. Na última semana, com o avanço do capitão do Exército trouxe euforia aos mercados, que passaram a vislumbrar a possibilidade da vitória de Bolsonaro no primeiro turno.

Não foi o que aconteceu, mas a votação de Bolsonaro (e também de Haddad) ficou acima do que apontavam as pesquisas e fora do intervalo considerado tolerável pela margem de erro. Na última pesquisa do Ibope, divulgada na véspera da eleição, Bolsonaro tinha 41% dos votos válidos, contra 25% de Haddad.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Número de casos do novo coronavírus no Brasil ultrapassa 510 mil

Com 480 mortes registradas nas últimas 24 horas, o número de óbitos pela covid-19 chega a 29.314

governo diante da crise

Bolsonaro atrasa promessas contra covid-19

Foram 17 compromissos sobre medidas de combate à pandemia entre 17 de março e 21 de abril. Dessas, 41% não foram cumpridas integralmente

crise em debate

Na China, preço do minério de ferro dispara 24%

Negociadores temem que a situação da pandemia por aqui provoque interrupções na cadeia de fornecimento do material

em meio à pandemia

Em Brasília, Bolsonaro vai a manifestação contra STF; São Paulo tem ato pró-democracia

Supremo tem sido alvo de ataques por parte do presidente após a Corte autorizar o cumprimento de mandados de busca e apreensão de aliados

conflito entre poderes

Ministro do STF compara Brasil à Alemanha de Hitler e diz que bolsonaristas querem ditadura

Em mensagem a ministros da corte, Celso de Melo diz que “é preciso resistir à destruição da ordem democrática”, segundo informações obtidas pela Folha de S. Paulo

histórico

SpaceX, de Elon Musk, chega à Estação Espacial; veja vídeo

Empresa finalizou primeira parte da missão espacial com astronautas da Nasa; operação deve abrir caminho para futuras viagens, inclusive turísticas

caos no país

EUA têm quinta noite seguida de protestos; ao menos 20 cidades declaram toque de recolher

Manifestações insurgiram após a morte de um homem negro de 46 anos, asfixiado por um policial branco no último dia 25; total de prisões é de 1,7 mil

DE OLHO NO LONGO PRAZO

Ouro ou imóveis: qual o melhor investimento para defender seu patrimônio?

Na hora da crise, os dois investimentos são considerados capazes de salvar seu dinheiro do derretimento dos mercados no longo prazo.

crise de saúde

Brasil tem 28.834 mortes por covid-19

Foram incluídas nas estatísticas 33.274 novas pessoas infectadas com o novo coronavírus, somando 498.440 casos confirmados

conflito entre poderes

‘Tudo aponta para uma crise’, diz Bolsonaro sobre decisões do STF e e TSE

Decisões recentes de Cortes miram a família, aliados e a sua campanha presidencial em 2018

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements