Menu
2018-11-22T19:32:24-02:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Privatização

Venda da Cemig pode acontecer antes se preço refletir ajuste na empresa, diz Zema

Se o mercado precificar bem, por que esperar pela privatização?, disse o governador eleito de Minas Gerais

22 de novembro de 2018
14:48 - atualizado às 19:32
Governador de MG, Romeu Zema
Romeu Zema, governador de Minas Gerais. - Imagem: Raul Junior/BTG

A eventual privatização da estatal de energia Cemig pode acontecer até mesmo antes que o novo governo conclua o processo de saneamento da empresa. A afirmação é do governador eleito de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo).

"Se o mercado precificar bem, por que esperar [pela privatização]?", disse Zema, que participou hoje de evento promovido pelo BTG Pactual, em São Paulo.

Como esperado, os investidores reagiram imediatamente às declarações do governador eleito. As ações da Cemig fecharam em alta de mais de 5%, enquanto o Ibovespa terminou o dia em leve alta de 0,24%.

Existem dois caminhos possíveis para a venda das empresas controladas pelo Estado, segundo o governador eleito. O primeiro seria fazer a melhora da gestão para recuperar o valor das companhias como a Cemig e a Copasa, de saneamento, em um processo de venda.

Mas caso o mercado esteja disposto a assumir o saneamento da empresa, e ainda ofereça ao Estado em uma privatização um preço que já considere a companhia ajustada, a venda poderia acontecer antes.

Constituição de Minas estabeleceu que empresas estatais, como a Cemig, só poderiam ser privatizadas mediante referendo popular. A alteração foi feita na gestão de Itamar Franco no governo do Estado. "Temos que mudar a Constituição para proceder a privatização", afirmou Zema.

O governador eleito de Minas disse ainda que o Estado pretende aderir ao programa de recuperação fiscal do governo federal. Para isso, ele anunciou o nome de Gustavo Barbosa para a Secretaria da Fazenda do Estado. Ele ocupou a mesma função no Rio de Janeiro quando o Estado aderiu ao programa de recuperação federal.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

ESTRADA DO FUTURO

Um pé no abismo e outro na casca de banana: como identificar ações de empresas decadentes

Excesso de otimismo, planos mirabolantes e desprezo pela inovação estão entre as receitas para uma empresa falhar, segundo o gestor que se dedicou a descobrir empresas terríveis

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies