Menu
2019-07-09T15:15:26+00:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
A tal curva invertida

Recessão nos EUA? Indicador do Fed de NY tem maior leitura desde 2008

Um modelo de probabilidade utilizado pelo Federal Reserve (Fed) de Nova York passou da linha dos 30%, patamar que antecedeu recessões recentes

9 de julho de 2019
15:15
Donald-Trump-Jerome-Powell
Presidente dos EUA, Donald Trump, e presidente do Fed, Jerome Powell - Imagem: Official White House Photo by Andrea Hanks

A economia americana deve crescer cerca de 2% neste ano e acabou de gerar 224 mil postos de trabalho em junho. Ainda assim, boa parte do noticiário por lá se dedica a avaliar qual a chance de uma recessão acontecer no curto ou médio prazos.

Nesta terça-feira, o que chama atenção é um indicador construído pelo Federal Reserve (Fed) de Nova York, uma das unidades do banco central americano. Utilizando parâmetros do mercado de títulos do Tesouro, os treasuries, a probabilidade de uma recessão nos próximos 12 meses está em 32,87%, leitura não observada desde a crise de 2008/2009.

O modelo tem como base o spread (diferença) entre os títulos de 10 anos e os de três meses. Quando essa relação é negativa, ou seja, o juro de curto prazo está acima do de longo prazo, os sinais de alerta se acendem nos EUA, pois esse tipo de fenômeno precedeu todas os episódios de recessão desde o fim da Segunda Guerra mundial. ( link para o gráfico do NY Fed).

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A tal curva invertida

Já tratamos dessa inversão da curva de juros em dezembro do ano passado, quando esse fenômeno aconteceu e trouxe uma onda de apreensão nos EUA. Naquele momento, a preocupação ainda era com o número de elevação de juros que o Fed poderia fazer agora em 2019.

Agora, as discussões no mercado são de quantas quedas serão anunciadas por Jerome Powell e companhia, que estarão reunidos no dia 31 de dezembro. Powell já disse que o Fed atuará para sustentar a expansão da economia americana, que está em crescimento há pouco mais de dez anos, maior período ininterrupto de crescimento já registrado.

A curva invertida não é causa da recessão, mas um sintoma do que estaria por vir. Uma das possíveis leituras para o fenômeno é que os investidores aumentam a demanda por ativos seguros, como os papéis de 10 anos, antevendo a desaceleração. Isso faz com a preço dos títulos aumentem e suas taxas caiam.

Outra avaliação possível é que curvas invertidas acabam impactando negativamente o mercado de crédito, estrangulando a economia. Dinheiro de curo prazo mais caro que o de longo prazo “mata” a lógica do crédito. Por isso, alguns especialistas ficam mais atentos à persistência da curva invertida por longos períodos de tempo.

O que nos parece certo é que esse será um assunto que vai tomar parte do debate nos EUA e por aqui, em função dos riscos de uma desaceleração forte por lá acabar minando os esforços de retomada da atividade local.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

De olho no pacto

Proposta sobre pacto federativo começará no Senado, diz presidente da CCJ

Ainda segundo a senadora, o governo já está trabalhando com o tema. “Não poderia ser diferente (o fato de começar pelo Senado), essa é a Casa da Federação. Eles já estão mexendo no pacto”, afirmou a presidente da CCJ

Mudanças à vista

Truxt Investimentos vende parte das ações que detinha do Banco Inter

A instituição financeira destacou que a venda da participação é “estritamente de investimento, não objetivando alteração do controle acionário ou da estrutura administrativa do banco”

Seu Dinheiro na sua noite

O falcão está à solta?

Entre os vários contatos que eu tinha nos anos em que escrevi diariamente o sobe e desce da bolsa e dos mercados, havia um experiente tesoureiro de um grande banco. Estava longe de ser a fonte mais bem humorada ou paciente, mas com o tempo ficamos amigos. Eu costumava recorrer a ele naqueles dias em […]

Futuro Embaixador?

Bolsonaro: Indicação de Eduardo como embaixador é juridicamente viável

Porta-voz da Presidência também afirma que Jair Bolsonaro ainda não decidiu sobre indicação do filho ao posto nos EUA

Vish!

Ex-presidentes do IBGE divulgam carta de protesto contra mudança no Censo 2020

Eles acusam a atual direção do instituto de improvisação e alertam para o risco de o próximo Censo deixar de fora 10 milhões de domicílios

Olha a dívida!

Tesouro: União bancou R$ 1,262 bilhão em dívidas de governos estaduais em junho

Embora o custo para a União com essas garantias seja crescente, o Tesouro está impedido de bloquear os repasses para Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás

Dados semanais

Balança tem superávit de US$ 695,509 milhões na segunda semana de julho

Em julho, o superávit acumulado é de US$ 1,819 bilhão. Já no total do ano, o superávit é de US$ 27,895 bilhões

reconciliação

Avaliação positiva de Bolsonaro salta de 14% para 55% entre agentes de mercado

Sondagem da XP Investimentos também mostra melhora na percepção com relação ao Congresso, Previdência na casa de R$ 850 bilhões e Ibovespa em 120 mil pontos

320% do PIB

Dívida global sobe a US$ 246 trilhões e endividamento de emergentes bate recorde

Instituto Internacional de Finanças (IIF) mostra que quanto menor o juro, maior o endividamento mundial, que está para bater o recorde visto no começo de 2018

Os detalhes sobre a nova cripto

Facebook: Libra não envolve política monetária nem competirá com bancos centrais

Segundo ele, a associação terá políticas para combater o uso da moeda para lavagem de dinheiro e financiamento de atos terroristas, entre outras questões de segurança nacional

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements