Menu
2019-05-03T18:05:53+00:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Portabilidade

Insatisfeito com seu plano de previdência privada? Saiba como mudar sem precisar resgatar e pagar imposto de renda

A portabilidade de previdência privada permite ao investidor mudar para um plano mais barato ou rentável sem precisar resgatar e pagar imposto de renda. Veja como fazer a portabilidade do seu plano

4 de maio de 2019
5:30 - atualizado às 18:05
Pessoas trocam sacos de dinheiro
Imagem: Watchara Ritjan/Shutterstock

Você já tem um plano de previdência privada, mas está insatisfeito com os altos custos ou baixa rentabilidade? Seus problemas acabaram! Com a portabilidade de previdência privada, você pode migrar os recursos aplicados para outro plano, de qualquer instituição financeira! E o melhor de tudo, completamente grátis!

O texto meio Organizações Tabajara - ou Polishop, na melhor das hipóteses - é só uma brincadeirinha para chamar a sua atenção. Mas as informações são verdadeiras.

Até pouco tempo atrás, planos de previdência privada eram produtos financeiros muito ruins: excessivamente conservadores, caros e pouco rentáveis.

Além de taxas de administração altas, eles costumavam cobrar uma tal de taxa de carregamento, que comia uma parte de tudo que o titular investia no plano, o que sacrificava ainda mais uma rentabilidade que já deixava a desejar, mesmo com todos os benefícios tributários com os quais esse tipo de produto conta.

Mas de uns anos para cá começaram a surgir planos interessantes, e muitos investidores perceberam que o plano no qual aplicavam seus recursos para a aposentadoria era fraco comparado aos novos produtos desse mercado.

Atualmente, várias gestoras renomadas dispõem de planos de previdência que investem em seus principais fundos, como Verde, SPX, Alaska e Adam. No lado das seguradoras, várias delas acabaram com a taxa de carregamento.

Vantagens da portabilidade de previdência privada

Nesse contexto, a portabilidade de previdência privada aparece como um bom mecanismo para quem deseja trocar o seu plano atual por outro com taxas menores, uma estratégia de investimentos mais adequada ao seu perfil ou um histórico de rentabilidade melhor.

É possível fazer portabilidade interna - quando você troca de plano dentro da mesma instituição financeira - ou externa - quando a migração ocorre entre instituições financeiras -, sem a necessidade de resgatar os recursos, pagar imposto de renda (que nesse tipo de aplicação pode ter alíquotas bem altas) e contratar outro plano do zero.

Além de não haver custos com IR, também não há cobrança de taxas - a menos que o seu plano original cobre taxa de saída.

Finalmente, ao migrar seus recursos para outro plano de previdência, você transfere também o tempo de aplicação. Assim, se você tiver optado pela tabela regressiva do IR no seu plano de origem, o prazo não volta a contar do zero no plano de destino.

Por exemplo, digamos que você já tivesse cinco anos de investimento no plano de origem. Pela tabela regressiva da previdência privada, caso resgatasse seus recursos, você estaria sujeito a uma alíquota de IR de 25%.

Tabela regressiva da previdência privada

Se fizesse portabilidade de plano naquele momento, você levaria junto esses cinco anos, sem necessidade de voltar a contar o prazo do zero e retornar à alíquota de 35%.

Em resumo, a portabilidade de previdência privada permite ao investidor melhorar o desempenho do seu plano de aposentadoria sem custos e sem perder o prazo da aplicação. É uma ótima maneira de readequar o seu investimento.

Mas lembre-se: ao migrar seus recursos para outro plano, não necessariamente você levará com você todas as coberturas de risco do plano antigo, como renda e pecúlio por morte ou invalidez. Ao menos não nas mesmas condições. É preciso verificar se o novo plano te atende não só do ponto de vista do investimento, como também da seguridade.

Regras gerais da portabilidade de previdência privada

A portabilidade de previdência privada pode ser feita entre planos abertos, entre planos fechados (como fundos de pensão), de um plano aberto para um fechado ou vice-versa.

Ou seja, se você tinha um plano pelo seu empregador e saiu da empresa, por exemplo, pode migrar seu plano fechado para um plano aberto de uma instituição financeira.

Conheça os diferentes tipos de previdência privada e as diferenças entre planos abertos e fechados.

O procedimento é bem simples: após escolher o plano para o qual deseja migrar, você deve entrar em contato com a instituição financeira responsável pelo plano de destino.

Ela deverá entrar em contato com a instituição financeira responsável pelo seu plano atual e concretizar o processo dentro de até cinco dias úteis.

Mas, como já foi dito, também é possível mudar de um plano para outro dentro de uma mesma instituição financeira.

Troca da tabela de tributação

Durante a portabilidade, você também pode trocar a tabela de tributação do seu plano da progressiva para a regressiva. O contrário, porém, não é permitido.

Ao iniciar um plano de previdência privada, você é enquadrado automaticamente na tabela progressiva, mas tem 60 dias para optar pela tabela regressiva, se quiser.

Passado esse prazo inicial, a troca de tabela poderá ser solicitada apenas na portabilidade, quando esse prazo de 60 dias se abre novamente. Mas é possível também solicitar uma portabilidade apenas para efetuar a troca de tabela. Então, na prática, você pode pode mudar a tabela de tributação a qualquer tempo.

A tabela progressiva é a mesma que incide sobre os salários. Nela, as alíquotas de IR crescem conforme o valor do resgate ou da renda que o titular do plano vai receber no futuro, quando se aposentar.

Já a tabela regressiva, conforme mostramos acima, tem funcionamento similar ao da tabela regressiva de outras aplicações financeiras, mas as alíquotas e os prazos são específicos da previdência privada.

As alíquotas reduzem conforme passa o tempo de aplicação, de forma a incentivar aplicações de longo prazo.

Assim, resgates em prazos curtos são punidos com alíquotas mais altas que as das demais aplicações financeiras, enquanto resgates após dez anos de investimento são beneficiados com uma alíquota de 10%, mais baixa que o mínimo de 15% das demais aplicações.

Entenda como funciona a cobrança de imposto de renda em previdência privada.

Restrições à portabilidade de previdência privada

Além de não ser possível trocar da tabela regressiva para a progressiva - a opção pela tabela regressiva é irretratável - a portabilidade de previdência privada conta com outras restrições.

A migração só é possível enquanto você ainda estiver na fase de acumulação do plano, ou seja, enquanto ainda estiver investindo recursos ou efetuando resgates por conta própria.

Depois de optar por uma modalidade de renda - por exemplo, renda vitalícia - não é mais possível fazer portabilidade.

Mas antes de se aposentar e contratar uma modalidade de renda, você pode simular quanto receberia como renda pelo patrimônio acumulado em diferentes planos e pedir a portabilidade para aquele que pagar mais.

Lembrando que converter seu plano em renda não é obrigatório. Você pode permanecer na fase de acumulação pelo resto da vida, programando seus resgates na época em que decidir usufruir os recursos acumulados no plano.

Portabilidade de previdência privada aberta

Os planos de previdência privada abertos são aqueles oferecidos por instituições financeiras, que sempre têm uma seguradora por trás e aos quais qualquer pessoa pode aderir.

Atualmente, há basicamente duas modalidades, o Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL) e o Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL).

A portabilidade entre planos de previdência abertos só pode ocorrer entre planos da mesma modalidade. Isto é, você só pode migrar de um PGBL para outro PGBL; ou de um VGBL para outro VGBL.

Para mudar de modalidade, você precisaria resgatar o plano original e reinvestir em outro plano de modalidade diferente, pagando imposto de renda e zerando o seu prazo de investimento, o que poderia matar a vantagem da migração.

Nesse caso, talvez o mais indicado seja simplesmente manter o plano original - para o qual você pode ou não continuar contribuindo - e abrir um novo da outra modalidade.

A portabilidade de previdência privada aberta tem carência mínima de 60 dias, mas o prazo pode ser maior, dependendo do regulamento do plano original.

Isso quer dizer que você precisa permanecer no plano original por pelo menos dois meses antes de migrar para outro.

Portabilidade de previdência privada fechada

Você também pode pedir a portabilidade de um plano de previdência fechado para outro plano, fechado ou aberto.

Se o plano de destino for aberto, ele provavelmente deverá ser um PGBL, pois planos fechados geralmente seguem regras similares às do PGBL do ponto de vista tributário.

No caso da portabilidade de planos fechados, a carência mínima é de três anos de permanência no plano original.

Se o plano for oferecido por um empregador como benefício a seus funcionários, a portabilidade só pode ser pedida se o titular não tiver mais vínculo empregatício com a empresa patrocinadora do plano.

Finalmente, depois de migrar os recursos de um plano fechado para um aberto, não é mais possível resgatá-los. O titular do plano fica obrigado a optar por uma modalidade de renda.

Planos multifundos

Atualmente, alguns planos de previdência são multifundos, isto é, há diversos fundos de investimento sob o seu guarda-chuva.

Quem investe em um plano desse tipo não precisa propriamente fazer uma portabilidade quando deseja apenas mudar a estratégia de investimento do seu plano.

Por exemplo, se você investe em um plano multifundos ainda na juventude, com investimentos mais concentrados em fundos de renda variável, pode ir migrando para fundos de renda fixa conforme vai ficando mais velho e próximo da aposentadoria.

Como esse tipo de migração ocorre dentro do próprio plano, não há burocracia nem carência.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

queda

Pedidos de recuperações judiciais no país caem quase 18% no primeiro semestre

Setor de Serviços foi o mais atingido no período, com 252 requerimentos no período; dados são do Serasa Experian

Recuperação judicial do Grupo Odebrecht

Fundo credor Castlelake quer ficar com Atvos

Atvos, empresa de açúcar e álcool do Grupo Odebrecht, pediu recuperação judicial em 29 de maio e tem 60 dias, contados a partir desta data, para apresentar um plano de reorganização financeira

sem passagem de volta

Petrobras e Uruguai firmam acordo sobre distribuidoras de gás

Estado uruguaio assumirá as operações da Conecta S.A. e a Distribuidora de Gas de Montevideo

a bula do mercado

Expectativa com Livro Bege deve manter ativos locais à deriva

Fed divulgará o documento às 15h

a volta por cima?

Oi quer ser uma empresa de fibra

Em recuperação judicial e com dívidas bilionárias, operadora dá uma guinada na sua estratégia e indica que pode vender seu negócio de telefonia móvel 

Será que volta?

Maia pede apoio de governadores a PEC para reinclusão de Estados na Previdência

“A gente vai precisar que o PT, PSB, PDT, PCdoB possam ajudar a aprovar a PEC paralela, senão vai acabar tendo obstrução de alguns pelos mesmos motivos que nós tivemos que tirar Estados e municípios da PEC da Previdência encaminhada pelo governo”, afirmou Maia

Seu Dinheiro na sua noite

Como será o amanhã?

Responda quem puder. Aliás, todas as suas decisões de investimento deveriam ter essa pergunta em mente. É com base no que será o amanhã, ou na ideia de cada um sobre o amanhã, que funciona o tal mercado financeiro. Bola de cristal, jogo de búzios, cartomante… Na canção que ficou famosa na voz da Simone, […]

De olhos bem abertos

CVM alerta que Robô Investe, página que possui mais de 22 mil seguidores no Facebook, possui atuação irregular

A comissão disse que recebeu uma série de denúncias em seu serviço de atendimento ao cidadão e verificou indícios de que os envolvidos vêm oferecendo serviço de análise de valores mobiliários

Colocando de volta?

Alcolumbre defende inclusão de Estados e municípios na reforma da Previdência

“Nesse caso, se o relator da matéria, o senador Tasso, tem o desejo de incluir, se é o sentimento do Senado como Casa da Federação, eu espero que o Senado possa debater e incluir Estados e municípios na nova Previdência”, disse o presidente do Senado

DE OLHO NO GRÁFICO

Sinal amarelo no S&P, o futuro do Ibovespa e 14 ações

No vídeo de hoje, Fausto Botelho analisa o futuro dos papéis de B3, Banco do Brasil, Iguatemi, Itaúsa, Itaú Unibanco, Klabin, Kroton, Minerva, Odontoprev, Petrobras, Santander, Ultrapar e mais

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements