Menu
2019-10-14T14:15:28+00:00
Repercussão

Maia se diz ‘perplexo’ com a demissão de Levy

Uma possível consequência aos ataques de Guedes, segundo uma fonte, seria o Congresso assumir totalmente o protagonismo da próxima grande reforma que é a tributária, deixando o Executivo de fora

17 de junho de 2019
8:21 - atualizado às 14:15
Presidente da Câmara dos Deputados, dep. Rodrigo Maia (DEM-RJ)
Presidente da Câmara, Rodrigo Maia - Imagem: Michel Jesus / Câmara dos Deputados

A participação do ministro da Economia, Paulo Guedes, no processo de "fritura" de Joaquim Levy antes do pedido de demissão da presidência do BNDES deixou o Congresso com a impressão de que a equipe econômica continua participando da "usina de crises". O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ao jornal O Estado de S. Paulo que ficou "perplexo" pela forma como o ministro tratou o subordinado. Para ele, o ex-ministro era um quadro de qualidade que tinha muito a acrescentar para garantir as reformas que o País precisa neste momento.

O presidente da Comissão Especial da Reforma da Previdência, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), também criticou a demissão. "O presidente Bolsonaro não entendeu que alguns quadros são suprapartidários. Eles não contribuem com um ou outro governo. Contribuem com o País", disse. "É uma pena. No fim das contas, quem perde é o Brasil."

Já o líder do Podemos, José Nelto (GO), levantou dúvidas sobre o real motivo da demissão. "Estou preparando para que ele seja convocado na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES, ele terá de ir lá explicar o motivo da demissão dele. Se foi por um motivo político ou se foi porque ele não quis abrir a caixa-preta do BNDES. Porque ele não mostrou os empréstimos internacionais, para países da América e da África, para a JBS também", disse.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

A Câmara criou em março uma CPI para examinar operações do banco de 2003 a 2015, com foco no financiamento à internacionalização de empresas. Em abril, o banco chegou a criar um Grupo de Trabalho para atender com informações e documentos solicitados pelos deputados.

Um pedido para Levy se explicar no Congresso já tinha sido aprovado em abril. O presidente da CPI, o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), disse ao Estado que vai decidir nesta segunda, 17, com os colegas da comissão a data da ida de Levy ao colegiado.

Até agora, Guedes era um dos poucos ministros do presidente Jair Bolsonaro que não tinha batido de frente com o Legislativo. Em um momento delicado para a tramitação da Previdência, a nova onda de crises incitou algumas lideranças a buscarem ainda mais o protagonismo das reformas econômicas.

Uma possível consequência aos ataques de Guedes, segundo uma fonte, seria o Congresso assumir totalmente o protagonismo da próxima grande reforma que é a tributária, deixando o Executivo de fora. A proposta do deputado Baleia Rossi (MDB-SP), prevê a unificação de cinco tributos - IPI, PIS, Cofins, ICMS e ISS - num único Imposto sobre Operações com Bens e Serviços.

Previdência

A equipe econômica, porém, trabalha para reatar a relação com o Congresso, com o principal objetivo de fazer ajustes no parecer da reforma da Previdência apresentado pelo deputado Samuel Moreira (PSDB).

"A equipe econômica começa a tumultuar a parte política", afirmou o líder do Podemos na Câmara, José Nelto (GO). "O Congresso tem sido parceiro do Brasil e vai tocar todas as reformas. Temos de assumir o protagonismo", afirmou. "O governo tem sido inconstante. Muda as coisas, como quem muda de camisa. Ninguém pode ensinar o governo a governar", critica o líder do PL (antigo PR), Wellington Roberto (PB).

Para o cientista político da Fundação Getulio Vargas (FGV), Marco Antonio Carvalho Teixeira, o governo a perder protagonismo em questões como a reforma da Previdência. "Não sabemos o futuro do governo desse jeito. O governo perdeu capacidade de articulação e a impressão que tenho é que o protagonismo em relação à reforma da Previdência vai sair do Congresso e não do governo", afirmou.

Os líderes são praticamente unânimes ao negar que as críticas de Guedes ao Congresso possam atrapalhar a aprovação da Previdência. "A reforma da Previdência é do Brasil", diz Wellington Roberto. Sem comentar a crise, o presidente do PRB, deputado Marcos Pereira (SP), reafirmou neste domingo pelo Twitter, seu apoio à proposta. "Não é de hoje que a reforma da Previdência é essencial para a recuperação econômica do Brasil, por isso eu sou favorável."

Procurado pela reportagem, Guedes não respondeu. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Agora vai?

Declarações de autoridades dos EUA mostram otimismo nas negociações com a China

O tom mais ameno assumido por duas autoridades dos EUA em relação às conversas com a China renova a esperança dos mercados quanto ao fechamento de um acordo

Siga o mestre

Warren Buffett fez novas apostas na bolsa e vendeu parte de suas ações da Apple

Um frenesi toma conta dos mercados americanos nesta sexta-feira: o lendário Warren Buffett comprou ações de duas empresas — o que faz esses papéis dispararem hoje

Feriado? Que feriado?

Os mercados estão abertos lá fora — e as bolsas dos EUA estão nas máximas

Uma sinalização animadora das autoridades americanas quanto às negociações com a China dá força aos mercados globais nesta sexta-feira

Sem crise

Sabesp tem lucro líquido de R$ 1,209 bilhão no 3º trimestre, alta de 113,9%

A Sabesp reportou forte expansão no lucro líquido e no Ebitda no terceiro trimestre deste ano, impulsionada pelo início das operações em Santo André e Guarulhos

Más notícias

A Braskem fechou o trimestre no vermelho e viu sua receita cair 18% em um ano

Empresa cujas ações têm o pior desempenho do Ibovespa no ano, a Braskem reportou um prejuízo líquido de mais de R$ 800 milhões no terceiro trimestre

Vídeo

Como levar a inflação em conta na hora de investir

Ela pode corroer a sua rentabilidade! Saiba por que você deve tomar cuidado com a inflação na hora de investir, até mesmo quando ela está baixa

O vai e vem dos mercados

Bolsas de Nova York fecham sem direção única, com S&P 500 em patamar recorde de fechamento

O índice Dow Jones fechou estável, em 27.784,61 pontos, o Nasdaq teve leve recuo de 0,04%, a 8.479,02 pontos, e o S&P 500 subiu 0,09%, a 3.096,82 pontos

Seu Dinheiro na sua noite

Show dos atrasados

Uma importante tradição da internet brasileira foi quebrada neste ano. Estou falando do #ShowDosAtrasados do Enem. As imagens de pessoas desesperadas chegando para a prova depois do horário simplesmente não aconteceram. Mas, no mercado financeiro, os atrasados de sempre não decepcionaram. Que o diga a agência de classificação de risco Fitch, que decidiu hoje manter […]

Investimento em ação

Petrobras inicia produção de petróleo e gás natural na plataforma P-68

Plataforma, do tipo FPSO, está localizada a aproximadamente 230 km da costa do Estado do Rio de Janeiro

220% do PIB

Dívida de países emergentes vai a US$ 71,4 trilhões e tem novo recorde histórico

Dados do IIF mostram que Chile, Coreia do Sul e Argentina foram os mercados onde os passivos mais aumentaram na comparação ano a ano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements