🔴 NOVA META: ATÉ R$ 3.000 POR DIA COM DUAS OPERAÇÕES – CONHEÇA O INDICADOR X

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
IR 2024

Como declarar o imposto de renda 2024: tudo que você precisa saber para prestar contas ao Leão

Neste guia, você encontra o caminho das pedras para preencher e entregar a sua declaração de imposto de renda, mesmo que seja a sua primeira vez

Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
28 de maio de 2024
6:58 - atualizado às 6:25
Leão do imposto de renda 2024
Prazo para a entrega da declaração de IR 2024 vai até 31 de maio. Imagem: Andrei Morais/Adobe Firefly

O prazo para entregar a Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda 2024 termina na próxima sexta-feira, dia 31 de maio, às 23h59, bem no meio do feriadão de Corpus Christi. E o Seu Dinheiro preparou um superguia sobre como declarar o imposto de renda, com base em todo o conteúdo que publicamos a respeito neste ano.

Se essa é a primeira vez que você vai declarar, esse guia também é bastante útil e educativo. Vamos lá?

Como declarar o imposto de renda: primeiros passos

A declaração de imposto de renda nada mais é que um ajuste de contas com o Leão. As pessoas obrigadas a entregar a declaração de imposto de renda 2024 devem informar à Receita Federal todos os seus rendimentos, bens e dívidas, além de terem o direito de abater uma série de gastos da base de cálculo do IR ou do próprio IR devido.

O objetivo do Fisco é verificar a origem e o destino dos seus rendimentos, bem como acompanhar a sua evolução patrimonial para saber se seus bens e dívidas são compatíveis com a sua renda.

Além disso, a Receita soma todos os seus rendimentos tributáveis que estão sujeitos ao ajuste anual, abate as deduções às quais você tiver direito e aplica novamente a alíquota de imposto de renda de acordo com as tabelas progressivas:

Tabela progressiva mensal válida de janeiro a abril de 2023

Base de cálculoAlíquotaDedução
Até R$ 1.903,98--
De R$ 1.903,99 até R$ 2.826,657,5%R$ 142,80
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,0515,0%R$ 354,80
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,6822,5%R$ 636,13
Acima de R$ 4.664,6827,5%R$ 869,36

Tabela progressiva mensal válida a partir de maio de 2023

Base de cálculoAlíquotaDedução
Até R$ 2.112,00--
De R$ 2.112,01 até R$ 2.826,657,5%R$ 158,40
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,0515,0%R$ 370,40
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,6822,5%R$ 651,73
Acima de R$ 4.664,6827,5%R$ 884,96
Limite mensal de desconto simplificado: R$ 528,00

Tabela progressiva anual válida em 2023

Base de cálculoAlíquotaDedução
Até R$ 24.511,92--
De R$ 24.511,93 até R$ 33.919,807,5%R$ 1.838,39
De R$ 33.919,81 até R$ 45.012,6015,0%R$ 4.382,38
De R$ 45.012,61 até R$ 55.976,1622,5%R$ 7.758,32
Acima de R$ 55.976,1627,5%R$ 10.557,13

Após este procedimento, é possível que se conclua que você ainda tem mais imposto a pagar, pois pagou menos IR do que deveria no ano anterior; ou ainda, que você pagou imposto a maior, pois as deduções garantiram um desconto no IR devido. Neste último caso, o contribuinte tem direito à restituição, paga em cinco lotes a partir de maio.

Veja em detalhes como a Receita Federal calcula o imposto devido e as restituições. Confira também o calendário com as datas de restituição do imposto de renda 2024.

A declaração de imposto de renda de um ano (ano de exercício) sempre se refere aos eventos ocorridos no ano anterior (ano-calendário). Assim, a declaração de imposto de renda 2024 se refere aos eventos ocorridos em 2023.

Quem precisa entregar a declaração de imposto de renda 2024

Antes de começar a preencher a declaração de imposto de renda 2024, é preciso verificar se você está obrigado a declarar.

Muitos contribuintes ficam isentos desta responsabilidade por não se enquadrarem nos critérios de obrigatoriedade, que dizem respeito a aspectos como renda e patrimônio.

Mesmo quem está desobrigado de entregar a declaração pode fazê-lo, caso deseje a restituição de algum imposto de renda retido na fonte em 2023 – por exemplo, sobre salários.

Se você ainda não sabe se é obrigado a entregar a declaração de imposto de renda 2024, verifique se você se enquadra nos critérios de obrigatoriedade.

Primeiro passo: reúna os comprovantes e informes de rendimentos

A primeira coisa que você deve fazer antes de começar a sua declaração é reunir todos os informes de rendimentos e comprovantes de gastos dedutíveis referentes a 2023.

É o caso dos informes entregues pelo seu empregador, pelo INSS (no caso dos aposentados) e pelas suas instituições financeiras.

Reúna também os comprovantes de despesas dedutíveis ou de declaração obrigatória, como plano de saúde; consultas médicas ou odontológicas que não tenham sido reembolsadas pelo plano; hospitais; instituições de ensino de níveis fundamental, médio e superior; pensão alimentícia; aluguel; reformas no seu imóvel; plano de previdência privada e assim por diante.

Regra geral, todo rendimento (ainda que isento) ou pagamento que você informar na sua declaração precisa ser comprovável mediante documentação idônea (informes de rendimentos, notas fiscais ou recibos).

A Receita vai comparar o que você declarou como renda com a declaração da fonte pagadora, e o que você declarou como gasto com quem declarou o mesmo recurso como renda. As duas pontas precisam declarar os mesmos valores, para não serem questionadas pelo Leão.

Veja a lista de todos os informes e comprovantes que você precisa reunir. Saiba também que instituições precisam enviar informes de rendimentos para você e o que fazer caso você não tenha recebido algum deles.

Segundo passo: baixe o Programa Gerador da Declaração do Imposto de Renda 2024

Existem três formas de preencher a declaração de imposto de renda 2024 e transmiti-la à Receita: por meio do app Meu Imposto de Renda para dispositivos móveis; pela internet, por meio do serviço Meu Imposto de Renda, disponível no e-CAC; ou pelo Programa Gerador da Declaração (PGD), baixado diretamente do site da Receita Federal.

Eu falo mais sobre essas maneiras de preencher a declaração nesta outra matéria.

O PGD é um caminho mais universal para declarar. Você pode baixá-lo no site da Receita Federal e instalá-lo no seu computador.

Terceiro passo: Inicie uma nova declaração, importe uma declaração passada ou acesse a declaração pré-preenchida

Caso você esteja declarando pela primeira vez, crie uma nova Declaração de Ajuste Anual ou acesse a declaração pré-preenchida utilizando o seu login gov.br.

Para quem já declarou antes, é possível importar os dados da declaração anterior para apenas atualizá-los com as informações referentes ao ano passado, ou também lançar mão da declaração pré-preenchida.

A declaração pré-preenchida já vem com boa parte das informações preenchidas de antemão, com base nos documentos enviados pelas fontes pagadoras à Receita Federal.

A modalidade está disponível para todos os contribuintes que tiverem conta gov.br níveis prata ou ouro, tanto nas versões online (via e-CAC ou app Meu Imposto de Renda) quanto dentro do Programa Gerador da Declaração.

Para acessar a declaração pré-preenchida no PGD, basta fazer login com a sua conta gov.br. Se você ainda não tem uma conta, veja nesta matéria como abrir uma e migrar para o nível prata ou ouro.

Apenas lembre-se de checar cuidadosamente as informações contidas na declaração pré-preenchida, pois pode haver algum erro ou estar faltando alguma coisa.

Além disso, é bem possível que ela não inclua todas as informações que você precisa prestar à Receita, então verifique se você não tem que acrescentar algum dado manualmente.

A primeira ficha a aparecer é a de identificação do contribuinte, que você deverá preencher com os dados pessoais do contribuinte titular da declaração.

VEJA TAMBÉM: QUER SONEGAR IMPOSTO DE RENDA? VEJA OS RISCOS!

Como declarar imposto de renda: dependentes, alimentandos e gastos dedutíveis

Caso você tenha dependentes ou alimentandos (pessoas a quem você pague pensão alimentícia), é preciso cadastrá-los nas respectivas fichas.

A Receita exige que todos os dependentes e alimentandos tenham CPF informado na declaração, independentemente da idade.

Lembre-se de que uma mesma pessoa não pode constar como dependente e alimentando numa mesma declaração, como dependente em mais de uma declaração ou ser declarada como dependente e também entregar declaração própria no mesmo ano, com algumas exceções.

Se você tem dependentes ou alimentandos menores de idade e ainda não tirou CPF para eles, veja como fazer isso nesta matéria.

Como declarar dependentes

No imposto de renda 2024, você tem direito a abater R$ 2.275,08 por dependente na base de cálculo do seu imposto de renda. Além disso, pode deduzir também todos os gastos dedutíveis feitos com os seus dependentes.

Mas lembre-se de que você também deve informar todos os bens, dívidas e rendimentos dos seus dependentes na sua declaração de IR.

Isso inclui aposentadoria de pais idosos, pensão alimentícia de filhos, salário de cônjuge ou bolsa-estágio de filhos universitários, por exemplo.

Em todas as fichas, você deverá sempre identificar se os bens, dívidas e ganhos obtidos são seus (titular) ou dos seus dependentes. Ao informar que dizem respeito a algum dependente, o programa obrigará você a escolher entre os nomes cadastrados na ficha de dependentes.

Rendimentos tributáveis de dependentes podem tornar desvantajosa a sua inclusão na declaração, pois elevam seu IR devido.

Por isso, vale a pena simular as duas situações, com e sem os dependentes. Caso estes fiquem obrigados a entregar declaração própria ao serem excluídos da sua declaração, eles deverão declarar em separado.

Veja quem pode ser seu dependente na declaração e como fazer a declaração de dependentes no imposto de renda 2024.

Como declarar pensão alimentícia

A pensão alimentícia paga, por sua vez, é dedutível da base de cálculo do IR, desde que tenha sido definida em decorrência de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente ou por escritura pública. Os valores pagos ao longo de 2023 devem ser informados na ficha de Pagamentos Efetuados.

O alimentante (pessoa que paga a pensão) pode também deduzir gastos com saúde e educação do alimentando (pessoa que recebe a pensão) desde que estes também tenham sido estabelecidos em decisão judicial ou acordo homologado judicialmente ou por escritura pública.

Para o alimentando, a pensão configura rendimento isento. Se o alimentando for dependente de outro contribuinte, este deverá declarar esses rendimentos na ficha Rendimentos Isentos e Não Tributáveis, código 28.

Já se o alimentando declarar em separado, ele deverá seguir o mesmo procedimento, mas na própria declaração.

Veja mais detalhes sobre como declarar pensão alimentícia paga ou recebida no imposto de renda 2024.

O FIM DO PRAZO DO IR ESTÁ CHEGANDO: Ainda não “se livrou” da declaração na Receita Federal? Clique aqui e baixe gratuitamente nosso guia de IR para fazer a sua declaração o mais rápido possível.

Gastos dedutíveis: quais são e como informá-los

Além do desconto por dependente e do abatimento da pensão alimentícia paga, os contribuintes obrigados a entregar a declaração de imposto de renda 2024 têm direito a uma série de outras deduções, seja na base de cálculo do imposto de renda, seja no IR devido diretamente.

De uma forma geral, são dedutíveis da base de cálculo os gastos com saúde e educação, contribuições para a Previdência Social, além de contribuições para planos de previdência privada (PGBL ou plano fechado), feitos no seu próprio nome ou no de seus dependentes.

Gastos com saúde e educação de alimentandos, como eu já disse acima, só são dedutíveis quando determinados em decisão judicial ou acordo homologado judicialmente ou por escritura pública.

Pagamentos feitos a alguns profissionais liberais podem ser deduzidos de certos tipos de rendimentos, de forma a reduzir o imposto a pagar sobre eles.

A única dedução diretamente do imposto de renda devido que continua válida é o abatimento das doações incentivadas, aquelas que contam com incentivos fiscais. Saiba o que são doações incentivadas, como informá-las na declaração e como fazer doações na própria declaração.

Gastos dedutíveis devem ser informados na ficha de Pagamentos Efetuados, sob o código mais apropriado. No caso das doações incentivadas, porém, o certo é informá-las na ficha de Doações Efetuadas, mas também é possível realizá-las na própria declaração, em ficha específica.

Você deve sempre preencher a identificação do destinatário do pagamento ou doação.

Veja a lista completa e detalhada dos gastos dedutíveis, seus limites e a forma correta de informá-los na declaração.

Saiba também como declarar plano de saúde.

Declaração completa vs. declaração simplificada

A declaração de imposto de renda 2024 pode ser entregue em duas modalidades: a completa ou a simplificada.

A declaração completa é aquela que aproveita todas as deduções legais que eu mencionei anteriormente. Já a declaração simplificada aplica um desconto único de 20% sobre a base de cálculo do IR, limitado a R$ 16.754,34 no imposto de renda 2024.

A modalidade mais vantajosa é aquela que resulta em menos imposto a pagar ou mais imposto a restituir.

Para escolher o modelo mais vantajoso para o seu perfil, o único jeito é preencher integralmente a sua declaração, com todos os gastos dedutíveis. O próprio programa apontará, no canto inferior esquerdo, o imposto a pagar ou restituir em cada opção.

Mesmo que a declaração simplificada seja a mais interessante no seu caso, informar os gastos dedutíveis e qualquer outro pagamento comprovável feito a pessoas físicas, ainda que não dedutível, é obrigatório.

É o caso, por exemplo, dos aluguéis pagos a pessoas físicas, que não são dedutíveis, mas precisam ser declarados pelos locatários. Veja como declarar aluguéis pagos.

Saiba mais sobre as modalidades completa e simplificada da declaração.

Rendimentos tributáveis: salários, aposentadorias, aluguéis, pro labore

Depois de preencher a ficha de Dependentes e/ou Alimentandos (quando estes existirem), em geral as pessoas começam a declarar seus rendimentos tributáveis, que normalmente são o seu ganha-pão.

Rendimentos recebidos de empresas, como salários, pro labore e aluguel de imóvel para PJ (por exemplo, de uma loja ou conjunto comercial), assim como as aposentadorias e pensões pagas pela Previdência Social, devem ser informados na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica.

Preencher essa ficha é bem fácil, pois basta seguir o informe de rendimentos que a instituição é obrigada a fornecer.

Você deverá informar o nome e o CNPJ da fonte pagadora, os rendimentos, a contribuição previdenciária oficial (quando for o caso), o imposto de renda retido na fonte, o 13º salário (quando for o caso) e o IR sobre o 13º salário (quando for o caso).

Já os rendimentos recebidos de pessoas físicas devem ser informados na ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior.

É o caso dos aluguéis recebidos de pessoas físicas (no caso de quem aluga uma casa ou apartamento), das rendas recebidas do exterior e dos pagamentos de serviços prestados a pessoas físicas, no caso dos profissionais autônomos.

Em geral, não é necessário que o contribuinte preencha essa ficha manualmente. Isso porque o recolhimento do imposto de renda sobre os rendimentos recebidos de pessoas físicas é de responsabilidade de quem os recebe, e isso já deve ter sido feito mês a mês, ao longo do ano-calendário, por meio do programa Carnê-Leão Web, disponível online, no e-CAC.

Em outras palavras, os rendimentos de pessoa física que você recebeu no ano passado devem ter sido lançados no Carnê-Leão Web, na parte referente ao ano de 2023.

Na hora de preencher a declaração, basta importar os dados do Carnê-Leão para o programa, que o preenchimento desta ficha se dá automaticamente. Para isso, você terá que fazer login no e-CAC com a sua conta gov.br.

Mesmo que os rendimentos estejam abaixo do limite mensal de isenção do IR, preencher o Carnê-Leão é uma boa, para poupar o trabalho de preencher esta ficha manualmente na época da declaração. Nesta matéria eu falo mais sobre como declarar aluguéis recebidos.

Se você é aposentado pela Previdência Social, preparamos uma matéria especial para você sobre como declarar suas aposentadorias no imposto de renda 2024.

Quem é microempreendedor individual (MEI) ou autônomo também não deve se desesperar. Confira as nossas matérias detalhadas sobre como declarar como MEI e como declarar como autônomo, incluindo as deduções de livro-caixa.

Bens e seus rendimentos: como declarar imóveis, veículos, investimentos, entre outros bens

Finalmente, vamos falar de como declarar os seus bens, os rendimentos gerados por eles, bem como as formas de adquiri-los e se desfazer deles: compras, vendas, doações, empréstimos e financiamentos.

Antes de mais nada, quais bens você precisa declarar? Para cada tipo de bem, a Receita estabelece um limite diferente.

Por exemplo, imóveis e veículos devem ser declarados independentemente do seu valor de aquisição; outros bens móveis e direitos só devem ser declarados caso seu valor de aquisição unitário tenha sido igual ou superior a R$ 5 mil.

Investimentos também precisam ser informados. Conta-corrente, poupança e outras aplicações financeiras devem ser declaradas quando tiverem valor individual superior a R$ 140 em 31/12/2023. Já ações de uma mesma empresa e ouro ativo financeiro devem ser informados quando seu valor de aquisição tiver sido superior a mil reais.

Observe que essas regras podem obrigar você a declarar bens valiosos como obras de arte e joias.

Nesta matéria, eu dei uma geral na declaração de bens e direitos, explicando quais bens devem ser informados na declaração e como declarar cada um, incluindo cartas de crédito de consórcios e bens adquiridos por meio deles.

Ficha de Bens e Direitos

Todos os bens devem ser informados na ficha de Bens e Direitos, sob grupo e código mais adequado. Informe o país em que o bem está localizado, além de uma breve descrição do que se trata (as informações exigidas variam de acordo com o bem em questão) e as posições que você detinha em 31/12/2022 e 31/12/2023.

Lembrando que bens devem ser sempre declarados pelo seu custo de aquisição, e que este inclui eventuais custos de transação (por exemplo, juros de financiamento, corretagem de ações, corretagem de imóveis etc.), mas jamais devem ser atualizados a preço de mercado.

No caso dos investimentos, o valor no campo referente a 2023 só vai mudar em relação a valor declarado em 2022 caso você tenha adquirido mais do mesmo tipo de bem ou feito alienações.

Especificamente para imóveis e veículos, é possível acrescer, no campo referente à posição em 2023, eventuais benfeitorias que tenham sido feitas no bem ao longo do ano passado, desde que seja possível comprová-las por meio de recibos e notas fiscais. É o caso das reformas em imóveis.

Esse tipo de benefício faz com que, na hora de vender o bem, a diferença positiva entre o valor de venda e o custo de aquisição fique um pouco menor, reduzindo o imposto a pagar sobre esse ganho de capital.

No caso de bens adquiridos em 2023, o campo relativo a 2022 deve ficar zerado; já no caso de bens alienados integralmente no ano passado (vendidos, doados, roubados ou que sofreram perda total, por exemplo), o campo relativo a 2023 deve ficar zerado.

Bens que foram adquiridos e alienados em 2023 ainda assim devem constar na declaração de imposto de renda 2024, mantendo-se os campos relativos às duas datas zerados. O programa colocará um indicador amarelo de "atenção" na ficha Verificar Pendências, mas você pode ignorá-lo, pois isto não impede a transmissão da declaração.

Os principais bens que os contribuintes brasileiros costumam declarar são imóveis e veículos. Por isso, temos matérias específicas para cada um deles.

Veja como declarar imóveis e veículos no imposto de renda 2024, incluindo situações de financiamento e doações. Saiba ainda como declarar investimentos no Brasil, como declarar investimentos no exterior como pessoa física, e como declarar investimentos no exterior se você investe por meio de uma pessoa jurídica.

Rendimentos: retornos de aplicações financeiras e aluguéis

Pode ser que pelo menos uma parte do seu patrimônio tenha gerado rendimentos no ano passado, e estes também devem ser declarados.

Além de informar a aquisição, alienação e/ou mera posse dos seus bens na ficha de Bens e Direitos, você deverá informar os rendimentos gerados por eles na ficha que corresponde à sua classificação.

Isso pode ser feito diretamente nas fichas de rendimentos ou, em muitos casos, diretamente na ficha de Bens e Direitos, no item correspondente ao bem que gerou o rendimento.

Investimentos (rendimentos isentos ou tributados na fonte)

Por exemplo, os investimentos financeiros em geral geram rendimentos isentos e não tributáveis, ou então rendimentos sujeitos à tributação exclusiva/definitiva.

Esses tipos de rendimentos não são somados aos seus rendimentos tributáveis recebidos de pessoas físicas e jurídicas e não estão sujeitos ao ajuste anual, o que significa que eles não afetam a sua restituição ou seu IR a pagar.

Entre os investimentos que podem ter produzido rendimentos isentos para você no ano passado, podemos citar a caderneta de poupança, as LCI e LCA, os CRI e CRA, as debêntures incentivadas e os fundos de debêntures incentivadas.

Há três casos de rendimentos isentos também na renda variável: o ganho líquido com operações comuns com ações no mercado à vista, desde que a venda total de ações no mercado à vista em um único mês tenha sido inferior a R$ 20 mil; os dividendos distribuídos por empresas; e os rendimentos distribuídos por fundos imobiliários e fiagros negociados em bolsa e que atendem a certos critérios.

Todos esses rendimentos devem ser informados na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis, na linha mais adequada, com a identificação da fonte pagadora e a especificação sobre se foram recebidos pelo titular ou por um dos dependentes da declaração.

Confira a lista completa de rendimentos isentos e não tributáveis.

Já os rendimentos de aplicações financeiras como fundos de investimento, CDB, debêntures, títulos públicos (Tesouro Direto) e COE, bem como os Juros sobre Capital Próprio recebidos pelo investimento em ações, devem ser informados na ficha Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva, linha 06.

Eu já publiquei no Seu Dinheiro reportagens sobre como declarar cada tipo de aplicação financeira no imposto de renda 2024, dá uma olhada:

Previdência privada

Os planos de previdência privada são um bicho à parte. Do ponto de vista de quem ainda está contribuindo, a maneira de declarar depende do tipo de plano.

Se você contribui para um PGBL ou plano fechado de previdência, tipo fundo de pensão, você só deve declarar as contribuições feitas em 2023, na ficha de Pagamentos Efetuados.

Elas são dedutíveis da base de cálculo do IR num valor de até 12% da sua renda bruta tributável anual. Já o saldo acumulado no plano não deve ser informado.

Caso você contribua para um VGBL, você deve informar somente o saldo do plano na ficha de Bens e Direitos, e não as contribuições, pois estas não são dedutíveis.

Do ponto de vista de quem está recebendo recursos de um plano de previdência privada, a forma de declarar depende da tabela de tributação escolhida.

Para quem recebe recursos tributados segundo a tabela progressiva, é preciso declará-los na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica.

Já quem recebe recursos de previdência tributados pela tabela regressiva, é preciso declará-los na ficha de Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva.

Saiba mais sobre como declarar previdência privada no imposto de renda 2024.

Renda Variável

Os ganhos líquidos tributados, bem como os prejuízos com ativos de renda variável devem ser informados mês a mês na aba Renda Variável.

Ganhos e perdas com ações (vendas acima de R$ 20 mil em um mês, no caso dos ganhos, e qualquer valor de venda, no caso das perdas), ETF, BDRs e derivativos entram na ficha Operações Comuns/Day-Trade.

Ganhos e perdas com fundos imobiliários devem ser informados na ficha Operações em FII ou Fiagro.

Repare que você precisa ainda informar o IR retido na fonte e o IR já pago. O recolhimento de imposto de renda sobre ganhos com renda variável é de responsabilidade do investidor e deve ser feito até o último dia útil do mês seguinte ao da operação que gerou o ganho.

A geração do DARF para pagamento pode ser feita pelo programa Sicalc, da Receita, código 6015, que também já gera o DARF com multa e juros em caso de atraso no recolhimento do imposto. Operações comuns são tributadas em 15%, e fundos imobiliários e day trade de qualquer ativo, em 20%.

Confira as matérias sobre como declarar diferentes ativos de renda variável no imposto de renda 2024:

Aluguel

Finalmente, temos os aluguéis imobiliários, que configuram rendimento tributável recebido de pessoa física ou jurídica, dependendo do inquilino. Ou seja, eles engordam a base de cálculo do IR e aumentam seu imposto devido.

Como já falei anteriormente, se o inquilino é pessoa jurídica, ele é o responsável por recolher o IR de acordo com o valor do aluguel e emitir um informe de rendimentos para auxiliar o contribuinte a preencher a ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica.

Já se o inquilino é pessoa física, o locador é o responsável pelo recolhimento mensal do imposto de renda sobre o aluguel recebido, via Carnê-Leão, e na época do ajuste anual pode somente importar os dados para a ficha Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior.

Veja como declarar aluguéis recebidos no imposto de renda 2024.

  • Já sabe como declarar seus investimentos no Imposto de Renda? Baixe nosso guia de IR e acesse o curso completo da jornalista Julia Wiltgen, de forma totalmente gratuita. É só clicar aqui.

Ganho de capital: lucro depois de vender um bem

Tirando os investimentos já citados, cujos rendimentos têm outra natureza, outros bens podem gerar o chamado ganho de capital ao serem vendidos, o que nada mais é do que o lucro do vendedor.

É o que acontece quando você vende um imóvel por um preço maior do que seu custo de aquisição, por exemplo.

Mas é possível auferir ganho de capital com a venda de muitos outros bens: moeda estrangeira, bitcoins e outros criptoativos, obras de arte, joias e, em situações mais raras, veículos. É que os veículos tendem a se desvalorizar, e dificilmente alguém vende um veículo por um preço maior do que pagou na compra. Mas isso não é impossível de acontecer.

Além de você informar as compras e vendas de bens na sua ficha de Bens e Direitos, também é necessário informar o ganho de capital na aba Ganhos de Capital.

Ali há quatro fichas, dependendo do tipo de bem vendido em 2023: Imóveis, Direitos/Bens Móveis, Participações Societárias (em empresas cujas ações não são negociadas na bolsa brasileira) e Moeda Estrangeira.

A única forma de preencher esta ficha é por meio da importação dos dados do programa Ganhos de Capital, da Receita, mais conhecido como GCAP. Ao fazer isso, os itens correspondentes na ficha de Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva também são preenchidos automaticamente.

Assim, quem obteve ganho de capital com a venda de algum bem em 2023 precisa ter baixado o GCAP 2023, apurado o IR a pagar sobre o lucro auferido e recolhido o imposto até o último dia útil do mês seguinte ao da venda.

A tributação sobre os ganhos de capital segue a seguinte tabela:

Alíquota de IRGanho de capital
15,0%Até R$ 5 milhões de lucro
17,5%Acima de R$ 5 milhões até R$ 10 milhões
20,0%Acima de R$ 10 milhões até R$ 30 milhões
22,5%Acima de R$ 30 milhões

Existem algumas situações em que o ganho de capital é isento de IR. São elas:

  • Venda de ações em mercado de balcão por menos de R$ 20 mil em um mês;
  • Venda de bens ou direitos com valor total de alienação inferior a R$ 35 mil em um mês (por exemplo, se você tiver vendido menos de R$ 35 mil em bitcoins com ganho de capital em determinado mês, você ficará isento de IR sobre este ganho);
  • Venda de único imóvel por valor igual ou inferior a R$ 440 mil, desde que não tenha feito nenhuma outra alienação de imóvel nos últimos cinco anos;
  • Venda de imóveis residenciais para aquisição, dentro de 180 dias, de outros imóveis residenciais localizados no Brasil, desde que não tenha optado por esta isenção nos últimos cinco anos;
  • Venda de imóveis adquiridos até 1969 (imóveis adquiridos de 1969 até 1988 contam com um redutor no imposto sobre o ganho de capital na alienação);
  • Venda de moeda estrangeira em espécie em valor inferior ou equivalente a US$ 5 mil no ano-calendário.

O ideal é preencher o GCAP e importar seus dados para a declaração mesmo que o ganho de capital tenha ficado isento de IR. Assim, além do preenchimento automático da aba Ganhos de Capital, será preenchido também o item correto na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

De toda forma, a ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis conta com itens específicos para todas as situações de isenção listadas acima, que podem também ser preenchidos manualmente pelo contribuinte.

Damos mais detalhes sobre as isenções de IR sobre o ganho de capital com a venda de imóveis na nossa matéria sobre como declarar imóveis no imposto de renda 2024.

Veja também como declarar seus bitcoins e outras criptomoedas no imposto de renda 2024.

Como você adquiriu ou alienou o seu bem?

No campo “Discriminação” de cada bem na ficha de Bens e Direitos, você deve informar a forma de aquisição e/ou alienação do bem. Em outras palavras, sua origem e, caso ele tenha sido alienado em 2023, também o destino.

Isso não vale tanto para o caso de investimentos e aplicações financeiras, mas se aplica aos bens móveis e imóveis.

Por exemplo, você comprou o bem à vista ou a prazo? Por meio de financiamento ou consórcio? Ou os recursos vieram de uma indenização que você recebeu por conta de um seguro? Foi um bem doado ou herdado?

Informe sempre os dados do vendedor, doador ou autor da herança. No caso da indenização de seguros, informe os dados da seguradora. Ou dê detalhes do financiamento, se for o caso.

Se você tiver se desfeito do bem em 2023, informe os dados do comprador, caso tenha sido uma venda, ou donatário, caso tenha sido doação.

A seguir, vou dar detalhes sobre como declarar cada uma das formas de aquisição de bens e direitos. Deixaremos herança para o próximo item.

Dívidas

Nem todos os bens são comprados ou vendidos à vista. Para aumentar nosso patrimônio, podemos nos valer de financiamentos e empréstimos.

Mesmo não sendo tributadas, essas transferências patrimoniais precisam ser informadas na declaração. Empréstimos e financiamentos explicam por que você foi capaz de adquirir um imóvel pelo qual não poderia pagar à vista, por exemplo.

Financiamentos com alienação fiduciária – isto é, que têm o bem financiado como garantia – não devem ser informados na ficha de Dívidas e Ônus Reais, mas sim na própria ficha de Bens e Direitos.

Basicamente, você abre um item para o bem financiado e informa quanto pagou pelo financiamento até cada data, incluindo não só o principal da dívida, mas também qualquer outro encargo, como juros, seguro obrigatório etc.

Esse procedimento deve ser repetido na declaração até você quitar o financiamento. O valor total pago será o custo de aquisição do bem.

Esse tipo de financiamento é mais comum para imóveis e veículos. É por isso que nós explicamos melhor como declarar essas dívidas nas matérias sobre como declarar imóveis e como declarar veículos.

Outras dívidas devem, estas sim, ser informadas na ficha de Dívidas e Ônus Reais. Abra um item para cada dívida e identifique de quem ela foi contraída (banco, pessoa jurídica, pessoa física etc.).

Explique do que se trata no campo “Discriminação” e informe o saldo devedor em cada data, bem como o valor pago em 2023.

Pessoas físicas que deram dinheiro emprestado em 2023, devem informar o crédito a receber na ficha de Bens e Direitos, grupo 05 - Créditos, código 01 - Empréstimos concedidos.

Saiba mais sobre como declarar dívidas no imposto de renda 2024.

Doações

Outra modalidade de transferência de bens entre pessoas físicas é a doação, que também deve constar na declaração. Estas transferências patrimoniais também não sofrem cobrança de IR, mas explicam por que um bem saiu do patrimônio de um contribuinte e foi parar no de outro.

Doações devem ser declaradas por doador e donatário, cada um de uma maneira. O doador simplesmente as informa na ficha de Doações Efetuadas, identificando o tipo de doação (se em bens ou em espécie), o valor da doação e os dados do donatário.

O donatário, por sua vez, deve informar o valor recebido por doação na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

No caso de doações de bens, o doador precisa dar baixa do bem na sua ficha de Bens e Direitos, e o donatário deve abrir um item para o bem na sua ficha de Bens e Direitos. Ambos precisam discriminar que houve doação, além de informar nome e CPF da outra ponta da transação.

Veja todos os detalhes sobre como declarar doações no imposto de renda 2024.

Consórcios

Outros jeito de viabilizar a compra de um bem são os consórcios.

Consórcios não contemplados devem ser declarados como bens, sob o código 05 do grupo 99, desde que os valores pagos pelo contribuinte tenham somado, em 31/12/2023, R$ 5 mil ou mais.

Informe o CNPJ da administradora do consórcio em campo próprio. Na “Discriminação”, informe o nome da administradora, o tipo de bem ou serviço que é objeto do consórcio (imóvel, veículo, cirurgia plástica etc.), além da quantidade de parcelas já pagas e a pagar.

No campo “Situação em 31/12/2022”, informe o valor constante na declaração do ano anterior, com a quantia paga até então. Caso o consórcio tenha sido iniciado em 2023, este campo ficará em branco.

No campo “Situação em 31/12/2023”, informe o valor de 2022 acrescido dos valores pagos ao longo de 2023.

Caso você tenha tido um consórcio contemplado em 2023, você deverá declará-lo da mesma forma na ficha de Bens e Direitos, porém deixando em branco o campo “Situação em 31/12/2023”.

Abra um novo item na ficha para o bem que você tiver adquirido com a carta de crédito e informe na “Discriminação” os dados do consórcio. Deixe em branco o campo “Situação em 31/12/2022” e declare em “Situação em 31/12/2023” os valores pagos até esta data.

Nas declarações subsequentes, você deverá ir acrescendo os valores das parcelas pagas a cada ano ao custo de aquisição do bem até terminar de pagar o consórcio.

Indenizações de seguros

Caso você tenha recebido indenização de seguro em 2023, você deverá informá-la na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Se a tiver utilizado para repor o bem coberto pelo seguro, você deverá informar, na ficha de Bens e Direitos, que o adquiriu com a indenização do seguro.

Por exemplo, se seu carro tiver sofrido perda total no ano passado, você deverá dar baixa do bem na sua declaração de imposto de renda 2024.

Caso você tenha recebido indenização do seguro e usado esses recursos para comprar um novo carro, basta abrir um item para o novo veículo e informar que o seguro foi a origem dos recursos utilizados para a compra.

Saiba mais sobre como declarar indenização de seguro no imposto de renda 2024.

Como declarar imposto de renda para quem já faleceu: espólio e herança

Dito tudo isto sobre a Declaração de Ajuste Anual, vamos agora passar para uma outra modalidade de declaração, a de Espólio, e também explicar como você deve declarar heranças recebidas.

Contribuintes que morreram e deixaram bens a inventariar precisam ter suas contas prestadas ao Leão até a conclusão do inventário e a partilha dos bens.

O inventariante pode precisar entregar a declaração de espólio anualmente, desde o ano em que o inventário começa até o ano em que ele termina, quando então será entregue a declaração final de espólio.

As declarações inicial e intermediária nem sempre são obrigatórias, mas a declaração final sim.

Esta é preenchida da mesma forma que a declaração de ajuste anual, apenas com alguns campos extras para preencher. Por exemplo, se um imóvel em inventário continuar gerando aluguéis, o imóvel deve ser declarado como bem do espólio e seus aluguéis como rendimentos.

Já os herdeiros só devem declarar a herança recebida na declaração referente ao ano em que o inventário é concluído e a partilha é feita.

Assim, se você recebeu herança em 2023, os valores herdados (em bens ou dinheiro) devem ser informados na ficha de Rendimentos Isentos e Não Tributáveis.

Caso você receba bens passíveis de serem declarados, abra um novo item para cada um deles na ficha de Bens e Direitos e explique, na “Discriminação”, que eles foram recebidos por herança, com os dados do falecido.

Se você precisa preencher uma declaração de espólio ou se recebeu herança em 2023, veja em detalhes como declarar espólio e herança no imposto de renda 2024.

Como declarar imposto de renda: últimos passos

Terminado o preenchimento da sua declaração de imposto de renda 2024, clique em Verificar Pendências, no menu à esquerda, para verificar se há alguma inconsistência no preenchimento.

Certos problemas podem impedi-lo de entregar a declaração caso não sejam sanados. Eles aparecerão com um alerta em vermelho. Os alertas em amarelo são apenas pontos de atenção, mas não impedem a transmissão da declaração.

Transmita a declaração à Receita

Em seguida, verifique qual a modalidade mais vantajosa, se a completa ou a simplificada, faça a sua escolha e transmita a declaração à Receita Federal. Para isso, basta ir até a opção “Entregar Declaração” no menu “Declaração”, também à esquerda.

Guarde a documentação

Salve uma cópia da declaração e do recibo no seu computador. Eu aconselho também a imprimir ambos e guardar em local seguro.

Agora, é hora de guardar toda a documentação, em mídia digital e/ou impressa por, no mínimo, cinco anos a contar do primeiro dia do ano seguinte ao do processamento da declaração.

Se a sua declaração de imposto de renda 2024 for processada ainda neste ano, o que é o mais provável, o prazo começa a contar a partir do primeiro dia de 2025. Alguns prazos, porém, podem variar.

Saiba quais documentos você precisa guardar após entregar a declaração e por quanto tempo.

Pague o imposto de renda (se for o caso)

Se você ainda tiver imposto a pagar, emita o DARF no próprio programa. O IR pode ser pago em até oito quotas, com juros Selic.

A primeira parcela ou quota única vence no dia 31 de maio, quando também termina o prazo de entrega da declaração.

Atrasos no pagamento de alguma das cotas levam à cobrança de multa de 0,33% ao dia, limitado a 20%. O Programa Gerador da Declaração também emite DARFs para pagamentos com atraso.

É possível pagar o IR por PIX, desde que a sua chave PIX seja o seu CPF. Os DARFs também vêm com código de barras.

Nesta outra reportagem, ensinamos passo a passo como emitir os DARFs e recolher o imposto de renda.

Errou? Saiba como fazer a declaração retificadora

Caso você tenha constatado um erro ou omissão após a entrega da declaração, não se preocupe, você pode retificar.

Pode ser que você precise retificar a própria declaração de imposto de renda 2024 ou então alguma declaração anterior, para não dar alguma inconsistência na declaração atual. Você pode retificar até cinco declarações anteriores.

Para isso, basta abrir a declaração original que você deseja retificar na versão do programa que você usou para preenchê-la. Por exemplo, se você quiser retificar a declaração do imposto de renda 2020, referente a 2019, utilize o programa do IRPF 2020.

Outra opção é fazer a retificação online, por meio do serviço Meu Imposto de Renda, disponível no e-CAC.

Na ficha Identificação do Contribuinte, escolha a opção “Declaração Retificadora”, na resposta à pergunta “Que tipo de declaração você deseja fazer?”

Você deverá informar ainda o recibo da declaração original que deseja retificar. Caso o tenha perdido, saiba como recuperá-lo.

Corrija o que for necessário ou acrescente as informações faltantes e transmita a declaração novamente.

A declaração retificadora deve conter todas as informações da declaração original, com as devidas correções, pois ela substitui integralmente a declaração original.

Caso você retifique a declaração de imposto de renda 2024, sua declaração vai para o fim da fila de processamento.

Assim, se você entregou a original no início do prazo, mas vai retificá-la agora, mais perto do fim do prazo, sua restituição (se houver) só vai cair lá pelos últimos lotes, e não mais nos primeiros.

Lembrando que eventual mudança de modelo da declaração (de simplificado para completo ou vice-versa) só pode ocorrer para quem retifica antes do fim do prazo de entrega. Passado o prazo, essa mudança não é mais possível.

Saiba todos os detalhes sobre como retificar a declaração de imposto de renda.

Deixei de pagar imposto de renda que eu deveria ter pago em 2023, e agora?

Como você pôde ver, o recolhimento do IR sobre alguns tipos de rendimentos é de responsabilidade do próprio contribuinte e deve sempre ser feito até o último dia útil do mês seguinte ao da transação que gerou o ganho.

É o caso dos rendimentos recebidos de pessoas físicas (sujeitos a Carnê-Leão), ganhos de capital e rendimentos tributados com renda variável.

Se você tiver deixado de recolher o IR sobre algum rendimento no ano passado, você pode pagá-lo com atraso, com multa e juros de mora.

A multa é de 0,33% ao dia de atraso, limitada a 20% do valor do imposto devido. Já os juros de mora correspondem à Selic do período que vai do mês seguinte ao do vencimento do tributo até o mês anterior ao pagamento, mais 1% referente ao mês do pagamento. O percentual incide sobre o imposto devido.

O DARF com os encargos pode ser emitido pelo programa Sicalc. Utilize o código 6015 para operações de renda variável, o 0190 para Carnê-Leão e o 4600 para Ganhos de Capital.

Nos dois últimos casos, você pode usar os programas Carnê-Leão Web ou GCAP, respectivamente, para calcular o valor do imposto que deverá ser informado no Sicalc para a emissão de DARF com os encargos legais.

Na hora de informar o imposto pago na declaração, quando for o caso, informe apenas o principal, sem os valores de multa e juros.

Compartilhe

Combate aos criminosos

Pix: Febraban e BC preparam mecanismo para apertar o cerco contra golpistas e fraudadores

13 de junho de 2024 - 13:33

Instituições trabalham no MED 2.0, mecanismo que irá rastrear a triangulação de recursos em contas

DIA DOS NAMORADOS NO CARTÓRIO

Amor, amor, negócios à parte: busca por proteção de bens faz contratos de namoro baterem recorde; saiba como funciona

12 de junho de 2024 - 6:28

O documento tem como objetivo de reconhecer e formalizar um relacionamento afetivo e também serve para esclarecer que não existe uma união estável entre o casal

Caiu na rede

Banco Central detecta vazamento de dados do Pix de clientes da Pagcerto e da iugu

11 de junho de 2024 - 10:07

Autoridade monetária afirma que dados vazados são de natureza cadastral e não de movimentação de recursos

Endividamento

Dívida das famílias sobe pelo 3º mês seguido, diz pesquisa da CNC; inadimplentes diminuem

10 de junho de 2024 - 19:11

Inadimplência entre as famílias brasileiras alcança 28,6%, um pouco abaixo do mesmo mês de 2023

A DINHEIRISTA

Ele teve o apartamento invadido por anos e agora pode perder a propriedade de vez para os invasores — tem como reverter usucapião? 

10 de junho de 2024 - 18:09

A Dinheirista, nossa especialista em perrengues financeiros, responde um caso cabeludo no novo episódio do quadro em nosso canal do YouTube. A situação envolve a usucapião. É o seguinte:  Sou proprietário de um imóvel no Centro de São Paulo, próximo à região da Cracolândia, que foi invadido há mais de dez anos. Queria retirar os […]

A DINHEIRSTA

O marido dela arrumou uma amante em outro país — e ainda sumiu com os bens do casal. O que dá para fazer?

10 de junho de 2024 - 17:24

“Se eu me separar, perco tudo?”. Veja em A Dinheirista

Aperta o play!

Bolsa nas mínimas e dólar perto dos R$ 5,30: é hora de recalcular a rota dos investimentos?

8 de junho de 2024 - 11:00

Especialista líder em investimentos do Itaú Unibanco, Martin Iglesias indica duas composições de carteira que consideram a mudança de cenário

IR 2024

Caiu na malha fina? Veja como regularizar a situação

3 de junho de 2024 - 7:45

Saiba como regularizar a sua situação junto a Receita Federal caso a sua declaração apresente informações inconsistentes e caia na malha fina do imposto de renda

IR 2024

Perdeu o prazo para entregar a declaração de imposto de renda 2024? Saiba o que fazer

1 de junho de 2024 - 0:00

Prazo oficial para o envio da sua declaração do imposto de renda 2024 terminou às 23h59 de 31 de maio. Saiba como acertar as contas com o Leão agora e pagar a multa por atraso

Renda variável

Itaú corta de R$ 20 mil para R$ 5 mil aplicação mínima da sua carteira automatizada de ações

31 de maio de 2024 - 17:03

Valor aplicado na Carteira Automatizada Top 5 de Ações é distribuído igualmente entre 5 papéis recomendados por analistas

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar