Cotações por TradingView
Danielle Fonseca
COMÉRCIO ELETRÔNICO

Além dos R$ 19 bilhões: Mercado Livre (MELI34) vai investir ainda mais na operação brasileira em 2024; conheça os planos

Mercado Livre vem liderando investimentos no varejo brasileiro e pode ganhar espaço frente a concorrentes como Via e Americanas com estratégia de sortimento de produtos e aportes em logística

Danielle Fonseca
19 de setembro de 2023
18:04 - atualizado às 10:03
Logo do Mercado Livre (MELI34) com fundo de gráfico e cotações
Logo do Mercado Livre (MELI34) com fundo de gráfico e cotações -

De um lado, uma oportunidade com a crise dos principais concorrentes brasileiros, como o Grupo Casas Bahia e Americanas. Do outro, a ameaça da “invasão” asiática das comprinhas da Shein e Shopee. No meio desse cenário, o Mercado Livre (MELI34) pretende marcar posição para se consolidar no comércio eletrônico brasileiro.

Depois de investir R$ 19 bilhões no país neste ano, o plano é colocar ainda mais dinheiro na operação local, de acordo com Fernando Yunes, vice-presidente sênior e líder do Mercado Livre no Brasil.

O executivo não revelou exatamente quanto a mais pretende investir no Brasil no ano que vem, mas destacou os planos do Mercado Livre de melhorar ainda mais o processo de entrega das mercadorias.

“A logística segue avançando forte, quanto mais encurtamos o processo de entrega, maior é a projeção de vendas”, disse Yunes em conversa com o Seu Dinheiro após participar da Latam Retail Show, evento do setor de varejo que acontece em São Paulo.

Parte dos R$ 19 bilhões investidos pelo Mercado Livre no país neste ano foram destinados justamente à expansão da malha logística. “Estamos construindo um centro de distribuição no Nordeste e vamos para o Centro-Oeste e para o Sul.”

Segundo Yunes, o objetivo é aumentar o número de encomendas enviadas no mesmo dia ou no dia seguinte da realização da compra.

Vale lembrar que o Brasil é o principal mercado da companhia que nasceu na Argentina e já representa cerca de 54% da receita líquida total do negócio na América Latina.

Ao contrário das principais concorrentes, como Magazine Luiza e Casas Bahia, o Mercado Livre vem operando com lucro mesmo diante do cenário mais difícil de juros altos.

No segundo trimestre de 2022, o Mercado Livre registrou lucro líquido de US$ 123 milhões, o que representa um aumento de 81% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Enquanto os competidores sofrem nos resultados e na bolsa, as ações do MELI, listadas na Nasdaq, acumulam alta de quase 60% em 2023.

Mercado Livre: de blusinha a pneu

Além dos fortes investimentos na sua rede logística para garantir uma entrega rápida, o líder do Mercado Livre no Brasil destacou que outro pilar importante e no qual tem investido é o de sortimento de produtos, com a entrada de novos segmentos e parcerias com outras varejistas.

Questionado pelo Seu Dinheiro, Yunes não conta quais os próximos segmentos de produtos em que a empresa deve atacar, mas ressalta que querem estar em todos e que a “estratégia de sortimento está avançando”.

É um pilar importante, queremos garantir vendedores como marcas e parceiros, além de distribuidores varejistas que tenham qualidade. A demanda está lá, milhões de consumidores estão buscando produtos que eu não vendo porque não tem”, disse.

Em junho deste ano, o Mercado Livre avançou em um segmento forte para concorrentes como a chinesa Shein, se aproximando de polos de moda como a região do Brás, no centro de São Paulo.

Outro segmento em que tem apostado mais é o de eletrônicos e eletrodomésticos, onde pode aproveitar o espaço deixado pela Americanas – que está em recuperação judicial – e pela Casas Bahia – que também enfrenta situação financeira delicada.

Mas as investidas em novos segmentos e parcerias não param por aí. Na área de alimentos, por exemplo, o maior parceiro em supermercados é o Pão de Açúcar, e também há expectativa de que o volume vendido desses produtos cresça com maior oferta.

Outros segmentos mais específicos, como o de produtos automotivos, também estão engordando o mix de produtos oferecidos.

O Mercado Livre vai vender serviços além dos financeiros?

Durante a sua participação no Latam Retail Show, Yunes ainda disse que está no radar da companhia passar a oferecer serviços relacionados a produtos que vende, indo além dos serviços financeiros que já oferece via Mercado Pago, que funciona como o banco da empresa.

“Isto está no radar. Devemos entrar com algumas categorias para testar. Nesse serviço vai entrar mão-de obra, gente executando”, disse.

“Não temos o lado presencial e vamos testar com parceiros. Se um cliente compra um pneu no Mercado Livre hoje, ele tem que carregar para algum lugar ou pedir para entregar em uma oficina, então ter um serviço faz sentido”, completou.

Mercado Livre: melhora da rede e da experiência na hora da troca

Ao lado do investimento em logística e sortimentos de produtos, também está sendo feita a melhora da experiência na hora da coleta e troca de produtos.

Yunes contou que há um projeto piloto em andamento para testar ter lojas do Pão de Açúcar como ponto de coleta, onde os clientes podem retirar produtos, como até então era feito em lojas dos Correios.

Outra questão em estudo é o Mercado Livre passar a ir na casa do cliente que quer fazer alguma devolução.

“Estamos estudando isso principalmente na categoria de moda, porque isso tiraria uma fricção no consumo, mas tem custo logístico alto. Estamos vendo como pensar essa infra sem perder produtividade”, afirmou.

PODCAST TOUROS E URSOS - O que vai ser, Campos Neto? As apostas do mercado para a decisão do Banco Central sobre a Selic

“Combinação matadora: entrega rápida e frete grátis”

Aliada ainda ao objetivo de acelerar o tempo de entrega, o Mercado Livre destacou que busca formas de reduzir o frete pago para clientes na hora da entrega dos produtos.

Uma dessas maneiras é o programa de fidelidade que lançou recentemente, a exemplo do que faz a Amazon, por exemplo.

O programa, chamado de Meli+, cobra assinatura mensal de R$ 17,99 e dá direito a frete grátis em produtos acima de R$ 29. A assinatura ainda oferece o streaming da Disney e desconto nos streamings da Paramount e da HBO.

“Cai bastante o valor mínimo para ter frete grátis. A combinação de frete grátis e entrega rápida é matadora hoje em dia”, disse.

Além de atrair com frete grátis, Yunes afirma que o programa ajuda a trazer maior fluxo de pessoas para a plataforma do Mercado Livre.

Além do Meli+, foi lançado o Mercado Livre Play, uma plataforma de streaming gratuita, com conteúdo de parceiros e que é monetizada por meio de anúncios.

Compartilhe

EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Saraiva vai virar ‘Amazon brasileira’? Livraria confirma decisão de demitir funcionários e migrar totalmente pro e-commerce

21 de setembro de 2023 - 19:48

São 33 lojas físicas em operação, sendo que o estado de São Paulo concentra a maior parte delas, com 11 unidades

ALERTA DE PROVENTOS

Dividendos e JCP: Lojas Renner (LREN3) anuncia pagamento milionário de proventos e B3 (B3SA3) ajusta valor; confira

21 de setembro de 2023 - 19:22

Têm direito a receber o JCP os acionistas que tiverem ações da Lojas Renner até o dia 26 de setembro

CONTRA HACKERS

Cisco compra empresa de segurança cibernética por R$ 138 bilhões — e pode pagar multa bilionária se desistir do acordo

21 de setembro de 2023 - 17:11

A companhia adquiriu a empresa de software de segurança cibernética Splunk por US$ 28 bilhões, equivalente a R$ 137,98 bilhões, nas cotações atuais

PROBLEMA DE ACESSO

C6 Bank fora do ar? Clientes registram instabilidade no aplicativo do banco digital; entenda o que aconteceu

21 de setembro de 2023 - 11:42

Os problemas na plataforma do C6 nos aparelhos móveis começaram por volta das 10h de hoje, segundo dados do site DownDetector

EMBARGO TEMPORÁRIO?

Caso de gripe aviária no MS faz Japão suspender importações de frango e pressiona ações da Marfrig (MRFG3) e BRF (BRFS3); entenda

20 de setembro de 2023 - 20:35

O Ministério da Agricultura confirmou um caso no estado e os papéis de frigoríficos como Marfrig e da BRF ficaram entre as maiores perdas do Ibovespa no pregão de hoje

DINHEIRO NO BOLSO

Dividendos e JCP: Copel (CPLE6) fará pagamento quase bilionário aos acionistas e Cemig (CMIG4) anuncia distribuição de R$ 417 milhões em proventos

20 de setembro de 2023 - 18:55

A maior soma foi divulgada pela Copel, que distribuirá um total de R$ 958 milhões aos acionistas que detiverem papéis da empresa em 29 de setembro

RECURSO DO BB

Tribunal suspende recuperação judicial da 123 Milhas, mas empresa continua blindada contra cobranças de credores e clientes; entenda

20 de setembro de 2023 - 18:04

O TJMG atendeu a um pedido do Banco do Brasil, um dos credores da companhia, que alegou que a petição inicial não continha todos os documentos exigidos pela lei das RJs

CONEXÃO NOS TRILHOS

Por que a Vale (VALE3) vai investir R$ 240 milhões na rede de internet 4G na ferrovia de Carajás com a Vivo (VIVT3)

20 de setembro de 2023 - 17:15

O acordo determina que a mineradora desenvolverá uma infraestrutura de tecnologia para ampliar a rede 4G ao longo da Estrada de Ferro Carajás

INCERTEZAS E QUEIMA DE CAIXA

A venda da Braskem (BRKM5) está emperrada? Ação cai 5% após desistência de mais um comprador e piora de recomendação; entenda

20 de setembro de 2023 - 13:51

As ações da Braskem têm mostrado volatilidade e lideram as perdas do Ibovespa hoje em meio a novas notícias sobre possível venda e visão mais negativa de banco

LOGÍSTICA

Após dar calote, Sequoia (SEQL3) lança oferta para trocar dívida por debênture conversível; ações derretem 95% desde IPO

20 de setembro de 2023 - 12:52

Oferta de debêntures conversíveis em ações pode chegar a R$ 400 milhões e acontece após a Sequoia conseguir aval dos credores para suspender o pagamento de juros devidos para este mês

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies