IPCA + 7,5%: receba esta e outras ofertas ‘premium’ de renda fixa no WhatsApp; clique aqui

Cotações por TradingView
2023-01-16T18:35:03-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
MERCADOS AGORA

Bolsas agora: Ibovespa inicia a semana em queda e dólar vai a R$ 5,14; Americanas tem novo tombo, enquanto Magazine Luiza registra maior alta do dia

16 de janeiro de 2023
7:19 - atualizado às 18:35

RESUMO DO DIA: O feriado do dia de Martin Luther King deixa as bolsas de Nova York fechadas nesta segunda-feira. Os demais índices ampliam o rali dos últimos dias, de olho no Fórum Econômico de Davos. Existe uma grande expectativa de um alinhamento entre as nações para o combate da inflação generalizada por todo mundo. Além disso, as autoridades devem discutir sobre a possível recessão global. Por aqui, os olhos também se voltam para a pequena cidade suíça. O ministro da Economia se encontra com o brasileiro Ilan Goldfajn, presidente do BID, hoje.

FECHAMENTO DO DIA

Depois de um início de verão mais gélido que o normal, o sol finalmente brilhou no céu de São Paulo e reinou o clima típico da estação. A exceção foi na B3, em cuja sede, apesar de estar na ensolarada capital paulista, permaneceu com o tempo fechado nesta segunda-feira (16).

Algumas das nuvens escuras que pesam sobre o Ibovespa ainda são formadas pela tempestade na Americanas (AMER3) e a descoberta de inconsistências bilionárias em seus balanços.

A incerteza sobre o tamanho real do estrago e a possibilidade de que a empresa entre em uma recuperação judicial trouxeram um início de semana com queda brusca nos papéis, superior aos 38%, e seguem causando perdas aos bancos credores da companhia.

Mas a varejista não foi a única a soprar ventos que esfriaram os negócios. O dia de Martin Luther King manteve as bolsas dos Estados Unidos fechadas hoje e reduziu a liquidez no mercado por aqui.

Leia mais.

FECHAMENTO DO DÓLAR

O dólar à vista fechou a segunda-feira (16) em alta. A moeda norte-americana subiu 0,83% hoje, cotada em R$ 5,1486.

Um dos combustíveis para a alta da divisa foi a notícia de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avalia reajustar o salário mínimo em 2021 acima de R$ 1.320 previstos no Orçamento. O Ministério da Fazenda é contrário à proposta.

Um reajuste maior que os R$ 1.320 é defendido pelo presidente e por integrantes da ala política do governo. O valor final ainda não foi definido, assim como a data de início da vigência da medida.

AMERICANAS (AMER3) ENFRENTA NOVO REBAIXAMENTO

A agência de classificação de risco Moody’s rebaixou a nota de crédito da Americanas (AMER3) de Ba2 para Caa3 e colocou a varejista em revisão para futuros cortes. Com isso, a empresa ficou a um passo do grau altamente especulativo (Ca) e a dois da pior nota (C). Mas o que isso significa?

A divulgação do rombo de R$ 20 bilhões da empresa — que elevou a dívida para R$ 40 bilhões — colocou as principais agências de classificação de risco em estado de alerta. Fitch e S&P Global já haviam cortado a nota de crédito da Americanas na semana passada e nesta segunda-feira (16) foi a vez da Moody’s. 

O movimento simboliza a deterioração da capacidade da varejista de honrar dívidas e manter os negócios. 

O que diz a Moody’s sobre a Americanas

Na sexta-feira (13), a Americanas obteve uma liminar para suspender os efeitos de toda imposição contratual de vencimento antecipado de dívida ou obrigações relativas aos instrumentos financeiros do grupo. 

Leia mais.

JUROS FUTUROS AVANÇAM COM DISCUSSÕES SOBRE SALÁRIO MÍNIMO

Os juros futuros (DIs) intensificaram alta na tarde desta segunda-feira, com o reajuste do salário no radar. Confira:

NOME ULT  FEC 
DI Jan/2413,55%13,44%
DI Jan/2512,65%12,42%
DI Jan/2612,49%12,24%
DI Jan/2712,47%12,23%

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) avalia reajustar o salário mínimo em 2021 acima de R$ 1.320 previstos no Orçamento. O Ministério da Fazenda é contrário à proposta.

Um reajuste maior que os R$ 1.320 é defendido pelo presidente e por integrantes da ala política do governo. O valor final ainda não foi definido e bem a data de início da vigência da medida.

*Com informação de Broadcast.

PETROBRAS (PETR4) APROFUNDA PERDAS

Com o encerramento das negociações do petróleo em baixa de quase 1%, a Petrobras (PETR4) intensificou a queda há pouco.

As ações preferenciais da petroleira caem quase 3% e puxam o Ibovespa para baixo. As companhias do setor também operam em tom negativo:

CÓDIGONOMEULTVAR
PETR3Petrobras ONR$ 26,89-2,85%
PETR4Petrobras PNR$ 23,95-2,52%
RRRP33R Petroleum ONR$ 44,10-0,25%
PRIO3PetroRio ONR$ 39,02-0,08%
PETRÓLEO FECHA EM QUEDA

O petróleo tipo Brent encerrou as negociações, de contratos para março, em queda de 0,96%, com o barril a US$ 84,46.

A menor liquidez do mercado, com as bolsas de Nova York sem operações devido a feriado nacional, e incertezas sobre os efeitos econômicos da reabertura chinesa pesaram sobre as negociações da commodity.

O ESTRAGO DA AMERICANAS NOS FUNDOS DE AÇÕES

A derrocada das ações da Americanas (AMER3) na semana passada não passou despercebida pelos fundos de investimento em ações. Parte deles ficou no vermelho na quinta-feira (12), quando os papéis da varejista fecharam em queda de 77%, de acordo com levantamento realizado pela Empiricus Investimentos para o Seu Dinheiro.

É o caso, por exemplo, dos fundos da Moat Capital, que, segundo a carteira mais recente, de dezembro, tinham uma fatia significativa do patrimônio investido na Americanas. Vale destacar que a divulgação das carteiras dos fundos pode ter uma defasagem de 90 dias e, portanto, a maioria dos gestores opta por essa prerrogativa.

No caso da Moat, a gestora divulgou sua carteira em 30 de dezembro de 2022. No Moat Capital FIC Ações, os papéis da Americanas representavam 7,29% da carteira naquela data, enquanto no Moat Capital Long Bias FIC Multimercado, o peso da varejista era de 5,13% no final do ano passado.

Só naquela derradeira quinta-feira (12), o Moat Ações caiu 6,83%, enquanto o Moat Long Bias recuou 3,52%. O Seu Dinheiro tentou contato com a Moat para saber se os fundos continuam com Americanas na carteira, mas fomos avisados de que a gestora não vai se pronunciar.

Leia mais.

AMERICANAS (AMER3) CONTRATA ROTHSCHILD & CO PARA NEGOCIAR DÍVIDAS

As negociações das ações da Americanas (AMER3) foram brevemente interrompidas na tarde desta segunda-feira (16) para a divulgação de um fato relevante. No documento, a empresa informa que contratou o Rothschild & Co para negociar suas dívidas com credores brasileiros e internacionais.

"A Americanas reforça seu compromisso na busca de uma solução de curto prazo com os seus credores. Todos os órgãos sociais (conselho, diretoria e comitês) estão trabalhando conjuntamente com o objetivo de manter as operações da companhia de forma adequada", diz o comunicado.

Vale relembrar que, na última sexta-feira (13), a companhia obteve uma medida de tutela de urgência cautelar a pedido da própria empresa, etapa que antecede e é preparória para a recuperação judicial.

Essa decisão blinda a Americanas contra possíveis bloqueios ou penhoras de bens e adia o pagamento das dívidas, que, ainda de acordo com o documento, chegam a R$ 40 bilhões.

O valor é o dobro do estimado para as inconsistências contábeis descobertas na última quarta-feira (11). A varejista afirma na petição que a diferença da cifra deve-se a cláusulas de vencimento antecipado e imediato presentes em "praticamente todos os contratos".

A suspensão dos pagamentos a credores valerá até que haja um pedido de recuperação judicial. A empresa tem 30 dias para avaliar a situação.

Por volta das 15h20, as ações AMER3 operavam em queda de 41,59%, cotadas em R$ 1,84.

SOBE E DESCE DO IBOVESPA

A Americanas (AMER3) segue em queda brusca na tarde desta segunda-feira (16) e, por volta das 15h, lidera a ponta negativa do Ibovespa.

Veja abaixo:

CÓDIGONOMEULTVAR
AMER3Americanas S.AR$ 1,84-41,59%
BRFS3BRF ONR$ 7,60-5,00%
BPAC11BTG Pactual unitsR$ 21,30-4,10%
BRKM5Braskem PNAR$ 22,45-3,98%
ABEV3Ambev ONR$ 13,36-3,75%
Fonte: B3

Já as outras varejistas eletrônicas da B3 estão na tabela oposta, entre as maiores altas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
VIIA3Via ONR$ 2,6612,24%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 3,8010,79%
EMBR3Embraer ONR$ 16,384,00%
PCAR3GPA ONR$ 18,872,67%
POSI3Positivo Tecnologia ONR$ 7,701,85%
Fonte: B3
FECHAMENTO NA EUROPA

Com a liquidez reduzida pelo feriado nos Estados Unidos e agenda econônica esvaziada, as maior parte das principais bolsas da Europa fecharam a segunda-feira (16) em alta.

O FTSE 100, por exemplo, de Londres, encerrou o pregão com um leve avanço de 0,2%. O resultado foi parecido em Paris, onde o CAC 40 subiu 0,28%. Já o DAX, da Alemanha, registrou ganhos de 0,31%.

POSSÍVEL RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA AMERICANAS (AMER3) PODE ACELERAR SUA PERDA DA PARTICIPAÇÃO NO E-COMMERCE

A cada notícia que sai sobre o rombo de R$ 20 bilhões dentro da Americanas (AMER3), fica claro que a saída da crise será bastante difícil.

Na sexta-feira (13), após o fechamento do mercado, foi divulgado que um juiz do Rio de Janeiro concedeu uma medida de tutela de urgência cautelar a pedido da empresa, etapa que antecede e é preparatória para a recuperação judicial.

Essa decisão blinda a Americanas contra possíveis bloqueios ou penhoras de bens e adia o pagamento das dívidas, que, ainda de acordo com o documento, chegam a R$ 40 bilhões.

Essa possibilidade já era considerada por agentes do mercado, uma vez que não existe solução fácil diante de um problema tão grande. Assim, as equipes de análise já trabalham com essa hipótese em suas previsões para o setor de varejo.

Leia mais.

A BOLSA AGORA

O Ibovespa acentuou a trajetória de queda em que opera desde o início desta segunda-feira (16). Com o feriado em NY reduzindo a liquidez, o índice repercute principalmente os últimos desdobramentos do escândalo contábil na Americanas (AMER3) e a queda das ações ligadas às commodities.

Além disso, as perspectivas de avanço da inflação e recuo da atividade econômica apontadas pelo Boletim Focus, do Banco Central, também mexem com os negócios brasileiros.

Por volta das 12h55, o Ibovespa operava com um recuo de 1,46%, aos 109.299 pontos. Já o dólar à vista registrava leve alta de 0,23%, cotado em R$ 5,117.

SOBE E DESCE DA BOLSA

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
VIIA3Via ONR$ 2,6712,66%
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 3,779,91%
EMBR3Embraer ONR$ 16,253,17%
PCAR3GPA ONR$ 18,832,45%
CPFE3CPFL Energia ONR$ 32,511,44%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
AMER3Americanas S.AR$ 1,98-37,14%
BRFS3BRF ONR$ 7,67-4,13%
CSNA3CSN ONR$ 16,28-3,61%
BEEF3Minerva ONR$ 14,72-3,48%
BPAC11BTG Pactual unitsR$ 21,45-3,42%
ESH PEDE INSTALAÇÃO NOVO PROCEDIMENTO ARBITRAL CONTRA GAFISA

A Gafisa (GFSA3) obteve recentemente uma vitória contra a Esh Capital. Os acionistas da construtora votaram a favor do aumento de capital de R$ 78 milhões questionado pela gestora e também rejeitaram ações de responsabilidade contra o empresário Nelson Tanure, membros do conselho fiscal e outros administradores da companhia.

Mas a Esh já havia sinalizado que não recuaria tão cedo da guerra que trava com os controladores da empresa. A gestora apresentou um requerimento para a instauração um novo procedimento arbitral contra a Gafisa.

A construtora já tomou conhecimento da nova ação, mas ainda não foi notificada oficialmente sobre o procedimento. "Uma vez devidamente citada e ciente do conteúdo da arbitragem, [a empresa] irá apresentar manifestação às alegações apresentadas pela Esh", diz a Gafisa em comunicado enviado ao mercado ontem (15).

Além do procedimento arbitral, a Esh — que detinha, por meio do fundo Esh Theta, uma posição de cerca de pouco mais de 15,1% na companhia antes do aumento de capital — já havia convocado uma nova assembleia geral extraordinária na Gafisa.

Leia mais.

COMO ANDAM OS MERCADOS

Com a agenda esvaziada e menor liquidez com as bolsas americanas fechadas em razão de feriado nacional, o Ibovespa opera em queda nesta segunda-feira (16).

As perspectivas de avanço da inflação e recuo da atividade econômica apontadas pelo Boletim Focus, do Banco Central; a desvalorização do petróleo e do minério de ferro; e os desdobramento do rombo contábil de R$ 20 bilhões das Lojas Americanas (AMER3) na esfera judiciária são alguns dos fatores que movimentam (e derrubam) a bolsa brasileira.

O Ibovespa cai 1,41%, aos 109.351 pontos.

Os destaques da bolsa são:

  • Magazine Luiza (MGLU3) e Via (VIIA), que sobem 10,50% e 13,92% respectivamente, e lideram a ponta positiva da bolsa;
  • Americanas (AMER3) e CSN (CSAN3) lideram as perdas do dia, com recuo de 37,46% e 3,49%, respectivamente.

No mesmo horário, o dólar à vista tenta recuperar as perdas da semana anterior e sobe 0,45%, cotada a R$ 5,1189.

PETROBRAS (PETR4) CAI COM PETRÓLEO; PARES TAMBÉM

Com a queda acima de 1% no barril do petróleo, a companhia brasileira Petrobras (PETR4) cai 1,47%, a R$ 24,21 no Ibovespa, o que contribui para o desempenho negativo da sessão.

Prio (PRIO3) e 3R Petroleum (RRRP3) também acompanham a desvalorização da commodity. Confira:

CÓDIGONOMEULTVAR
PETR3Petrobras ONR$ 27,24-1,63%
PETR4Petrobras PNR$ 24,21-1,47%
RRRP33R Petroleum ONR$ 43,97-0,54%
PRIO3PetroRio ONR$ 38,88-0,44%

O Ibovespa renova mínima com queda de 1,61%, aos 109.131 pontos.

No mesmo horário, o dólar à vista sobe 0,57%, a R$ 5,1235.

C&A (CEAB3) DISPARA COM RUMORES

Os papéis da C&A (CEAB3), negociadas fora do Ibovespa, registra alta de 16,46%, a R$ 2,83.

O desempenho positivo é impulsionado por rumores de que a Lojas Renner (LREN3) estuda a aquisição da C&A (CEAB3). A possibilidade de operação foi noticiada pela coluna Lauro Jardim n'O Globo; as companhia ainda não se pronunciaram sobre o assunto.

Por fim, os ativos de Lojas Renner (LREN3), por outro lado, perderam os ganhos da abertura enquanto C&A seguia em leilão. Os papéis LREN3 caem 1,14%, a R$ 19,92.

SOBE E DESCE DA BOLSA

Sem negociações em Nova York, em razão de feriado nacional, o Ibovespa opera em queda de 0,90%, aos 109.917 pontos.

O desempenho negativo reflete os desdobramentos do rombo contábil bilionário. Além disso, os investidores repercutem as perspectivas de inflação e queda da atividade econômica, a partir do Boletim Focus.

Confira as maiores altas:

CÓDIGONOMEULTVAR
MGLU3Magazine Luiza ONR$ 3,8211,37%
VIIA3Via ONR$ 2,609,70%
EMBR3Embraer ONR$ 16,283,37%
PCAR3GPA ONR$ 18,852,56%
LWSA3Locaweb ONR$ 6,602,17%

E as maiores quedas do dia:

CÓDIGONOMEULTVAR
AMER3Americanas S.AR$ 1,98-37,14%
ABEV3Ambev ONR$ 13,40-3,46%
CSNA3CSN ONR$ 16,46-2,55%
VALE3Vale ONR$ 91,61-2,36%
WEGE3Weg ONR$ 38,07-2,31%
MAGAZINE LUIZA (MGLU3) E VIA (VIIA3) LIDERAM OS GANHOS

As varejistas Magazine Luiza (MGLU3) e Via (VIIA3) sobem mais de 6% e lideram os ganhos do Ibovespa.

Antes de entrarem em leilão, há pouco, por oscilação máxima permitida, os papéis MGLU3 avançavam 11,37%, a R$ 3,82; VIIA3 registravam alta de 6,33%, a R$ 2,52.

As companhias se beneficiam do forte recuo de Americanas (AMER3), como potenciais de "oportunidade" no setor de varejo.

AMERICANAS (AMER3) DESPENCA

As ações das Lojas Americanas (AMER3), que fecharam em alta no último pregão, iniciaram as negociações em forte queda nesta segunda-feira (16).

Os papéis recuam 23,81%, a R$ 2,40.

A retomada do intenso recuo das ações se deve a novos desdobramentos do rombo contábil bilionário, que veio à tona na semana passada.

Neste fim de semana, o BTG Pactual entrou com recurso contra a decisão de protege a varejista dos credores, por suposta fraude. Isso porque, na última sexta-feira (13), a Americanas conseguiu na Justiça proteção contra credores que queiram antecipar o pagamento de dívidas.

O banco argumenta que, tão logo foi divulgado o fato relevante de 11 de janeiro, que revela a identificação de uma inconsistência contábil no balanço da varejista estimada em R$ 20 bilhões, foi acelerado o vencimento de todas as operações de crédito entre as Americanas e o BTG, com compensação do saldo devedor em aberto com recursos mantidos pela empresa junto à instituição financeira.

EMBRAER (EMBR3) CONFIRMA PEDIDO DE 15 AERONAVES — AÇÕES SOBEM MAIS DE 2%

A Embraer (EMBR3) turbinou a sua carteira de pedidos firmes: a companhia brasileira informou nesta segunda-feira (16) que recebeu uma encomenda de 15 aeronaves comerciais do modelo E195-E2. No entanto, a empresa não revelou quem é o cliente.

Dado o tamanho do pedido — segundo a Embraer, está avaliado em US$ 1,17 bilhão, a preço de lista —, o mercado reage positivamente à notícia: por volta de 11h, as ações EMBR3 avançavam 3,05%, a R$ 16,23; o Ibovespa, por outro lado, recua 0,86% hoje.

Há três tipos de aeronaves comerciais de modelo E2: o E175, menor de todos, comporta até 90 pessoas; o E190, modelo intermediário, tem capacidade para até 114 passageiros, em classe única; e o E195, mais amplo, pode ter até 144 assentos.

A família E2 — a segunda geração dos chamados e-Jets da Embraer — conta com aeronaves mais modernas e que consomem menos combustível que os aviões comerciais do modelo tradicional da fabricante brasileira. A primeira entrega de uma aeronave do tipo E2 foi feita em 2018.

Leia mais.

‘RISCO AMERICANAS’ DERRUBA BANCOS

As instituições financeiras caem em bloco com o "Risco Americanas", mas também com a menor liquidez dos mercados.

Confira as maiores altas do setor:

CÓDIGONOMEULTVAR
SANB11Santander Brasil unitsR$ 29,29-2,04%
BBDC4Bradesco PNR$ 14,70-1,93%
BPAC11BTG Pactual unitsR$ 21,80-1,85%
BBDC3Bradesco ONR$ 12,98-0,99%

O Ibovespa intensificou a queda há pouco. Sem a ancoragem dos EUA, a bolsa brasileira cai 0,98%, aos 109.800 pontos.

O dólar à vista sobe 0,38%, a R$ 5,1159.

DANÇA DAS CADEIRAS

A semana começou movimentada para as subsidiárias da Simpar (SIMH3), com uma verdadeira dança das cadeiras no grupo. A companhia anunciou reestruturações estratégicas nas diretorias da Movida (MOVI3) e da Vamos (VAMO3) a partir de meados de fevereiro.

Após seis anos na posição, o atual diretor financeiro (CFO) da Movida, Edmar Prado Lopes Neto, será substituído por Gustavo Henrique Paganoto Moscatelli, que também assumirá a diretoria de relações com investidores (DRI) em 16 de fevereiro.

Segundo o comunicado, Lopes Neto permanecerá no cargo pelos próximos trinta dias para realizar o processo de transição para o novo CFO. Depois deste período, o executivo deverá assumir novas funções no grupo Simpar.

“A área financeira, mais do que viabilizar a execução do nosso planejamento de forma responsável, é uma importante ferramenta para o atingimento e superação das metas e dos resultados para o desenvolvimento sustentável da Movida”, destacou o CEO da companhia, Renato Franklin.

Leia mais.

LOJAS RENNER (LREN3) SOBE

Com rumores de que a Renner (LREN3) esteja avaliando a compra da companhia C&A (CEAB3), de acordo com informações da coluna de Lauro Jardim d'O Globo, os papéis LREN3 avançam 1,14%, a R$ 20,37.

Já as ações da C&A, negociadas fora do Ibovespa, ainda seguem em leilão. No fechamento anterior, os papéis encerraram a R$ 2,43.

ABERTURA DO IBOVESPA

Sem negociações em Nova York, e com menor liquidez no mercado, o Ibovespa opera em queda de 0,14%, aos 110.754 pontos, após a abertura.

O movimento é impulsionado, entre outros fatores, pelo recuo das commodities.

Por hoje, com a agenda esvaziada, os investidores concentram as atenções na participação do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, no Fórum Econômico de Davos.

ABERTURA DO JUROS FUTUROS

Em dia de menor liquidez nos mercados e a retomada da força da moeda americana, os juros futuros abriram as negociações em alta nesta segunda-feira (16). Soma-se a isso, as projeções de avanço da inflação, conforme o Boletim Focus.

Confira:

NOME ULT  FEC 
DI Jan/2413,49%13,44%
DI Jan/2512,50%12,42%
DI Jan/2612,32%12,24%
DI Jan/2712,31%12,23%
MATHEUS SPIESS: MERCADO EM 5 MINUTOS

HÁ ESPAÇO PARA UMA TRÉGUA NA SEGUNDA-FEIRA

Lá fora, os mercados asiáticos fecharam em alta nesta segunda-feira, acompanhando as indicações amplamente positivas dos mercados globais na sexta-feira, com a inflação dos preços ao consumidor e os dados de sentimento do consumidor dos EUA aumentando as esperanças de que o Fed reduza seu ritmo de alta de juros nos próximos meses. Notadamente, o mercado internacional pode voltar a experimentar “bull market rallies", uma vez que ainda não se discute com profundidade a recessão.

O mesmo bom humor, entretanto, não é verificado nos mercados europeus e nos futuros americanos, que caem nesta manhã. Nos EUA, a semana é mais curta por conta de um feriado. Por lá, a agenda econômica (teremos Livro Bege do Fed e inflação ao produtor) e a temporada de resultados dominam as mesas de debates dos investidores. No Brasil, ainda acompanhamos a questão envolvendo as Lojas Americanas e os eventos políticos, com atenção especial ao Fórum de Davos.

A ver…

00:46 — O que Haddad falará em Davos?

Por aqui, os investidores ainda debatem entre si quais serão as consequências da tragédia chamada Lojas Americanas em outros setores, com atenção especial para o impacto nos bancos, representativos no interior do Ibovespa em termos de peso. No final de semana, alguns players entraram em cena para impedir uma catástrofe.

Enquanto isso, acompanhamos a ida de Fernando Haddad e de Marina Silva ao Fórum Econômico Mundial, em Davos. A ideia é a de defender a agenda econômica do governo, apresentar a iniciativa para zerar o déficit até 2024 e indicar comprometimento brasileiro com a agenda de sustentabilidade, no combate à mudança climática.

01:17 — Semana mais curta

Os mercados americanos entram em feriado hoje com o dia de Martin Luther King; ainda assim, a semana segue sendo importante, com inúmeras falas de autoridades monetárias que antecedem o encontro do Fed entre o dia 31 de janeiro a 1º de fevereiro, o qual poderá seguir reduzindo o ritmo de aperto monetário.

Além da questão monetária, também acompanhamos a temporada de resultados, a qual se aprofundará nos próximos dias com nomes como Goldman Sachs, Netflix e Procter & Gamble. Por fim, há quem esteja acompanhando a saga do teto da dívida americana, que pode ser atingido em 19 de janeiro (pode provocar estresse na curva).

02:48 — O Grande Fórum

Os investidores começam a acompanhar hoje o início do Fórum Econômico Mundial, em Davos. O evento é tido como um dos mais relevantes em nível global para o alinhamento econômico entre os países e empresas dos mais diferentes setores. Com isso, teremos muitos líderes falando nos próximos dias.

No caso do Brasil, sinalizações de compromisso fiscal por parte de Haddad serão importantes para o investidor local, ainda que seja pouco provável que tenhamos alguma novidade que já não tenha sido apresentada nos últimos dias. Além dele, Marina Silva tentará recolocar o Brasil no debate climático, agenda que poderá atrair capital.

03:18 — Entre a inflação alemã e a política monetária britânica

Na Europa, a inflação dos preços no atacado na Alemanha em dezembro caiu 1,6% no mês, a maior queda mensal desde a crise financeira global de 2008. No ano, a taxa de inflação também desacelerou, mesmo que ainda siga em dois dígitos. Uma continuidade do processo de desaceleração inflacionária abrirá espaço para que o BCE não seja tão agressivo em sua postura para controlar os preços.

Além do vetor alemão, central para a Zona do Euro, também acompanhamos as novidades britânicas. Há alguns membros da autoridade monetária do Reino Unido que devem falar ao longo da semana, inclusive no Fórum de Davos. Os temas devem estar relacionados com a inflação, atividade econômica, a separação entre a União Europeia e o Reino Unido, que não tem fim, e a estabilidade financeira, importante depois dos erros da ex-premiê Liz Truss.

04:11 — Ainda tentamos esquecer 2022

Entremos 2023 depois das ações terem saído de seu pior ano desde 2008 devido aos investidores terem julgado mal o quão alta a inflação iria subir e até onde as autoridades monetárias iriam para trazê-la de volta. No ano, as ações globais perderam um recorde de US$ 18 trilhões em 2022 em meio a quase 300 aumentos nas taxas de juros de bancos centrais em todo o mundo.

Empresas de tecnologia de alto crescimento, que obtiveram um impulso de uma era de baixas taxas de juros, foram as mais abaladas no que alguns chamam de sequência do estouro da bolha pontocom em 2000-01. A Nasdaq, pesada em tecnologia, registrou quatro trimestres negativos consecutivos pela primeira vez desde o crash. Ao mesmo tempo, o setor de energia disparou 59% no ano passado, graças ao aumento dos preços do petróleo.

Outro ano de baixa, porém, seria extremamente raro; afinal, o S&P caiu por dois anos consecutivos em apenas quatro instâncias desde 1928. Neste contexto, muitos investidores já estão começando a se posicionar para uma recuperação. Pode ainda ser cedo, uma vez que não precificamos por inteiro o risco de recessão global.

COMMODITIES EM QUEDA

Com menor liquidez no mercado, as commodities operam em queda nesta segunda-feira (16), apesar do avanço das bolsas asiáticas.

O minério de ferro, negociado em Dalian, na China, registrou queda de 4,31%, com a tonelada a US$ 123,71.

O petróleo tipo Brent cai 0,33%, a US$ 85,00 o barril.

ABERTURA DO DÓLAR

O dólar à vista iniciou as negociações em leve alta de 0,08%, a R$ 5,1104.

ABERTURA DO IBOVESPA FUTURO

Com menor liquidez no mercado, já que as bolsas americanas ficam fechadas hoje devido a feriado nacional, o Ibovespa futuro abriu em queda.

O índice futuro da bolsa brasileira cai 0,67%, aos 111.250 pontos.

BOLETIM FOCUS

Confira o Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (16) com as projeções do mercado para indicadores da economia local:

Inflação

  • IPCA para 2023: de 5,36% para 5,38% (↑)
  • IPCA para 2024: permanece em 3,70% (=)

Atividade econômica 

  • PIB para 2023: de 0,78% para 0,77% (↓)
  • PIB para 2024: permanece em 1,50% (=)

Dólar

  • Câmbio para 2023: permanece em R$ 5,28 (=)
  • Câmbio para 2024: permanece em R$ 5,30 (=)

Juros 

  • Selic/23: de 12,25% a.a. para 12,50% a.a. (↑)
  • Selic/24: permanece em 9,25% a.a. (=)
DAY TRADE NA B3

Após o fechamento do último pregão, identifiquei uma oportunidade de swing trade baseada na análise quant - compra dos papéis de Itaú Unibanco (ITUB4).

ITUB4: [Entrada] R$ 25.91; [Alvo parcial] R$ 26.58; [Alvo] R$ 27.59; [Stop] R$ 24.79

Recomendo a entrada na operação em R$ 25.91, um alvo parcial em R$ 26.58 e o alvo principal em R$ 27.59, objetivando ganhos de 6.5%.

O stop deve ser colocado em R$ 24.79, evitando perdas maiores caso o modelo não se confirme.

Leia mais.

CASO AMERICANAS: DESDOBRAMENTOS DO FIM DE SEMANA

Confira a seguir algumas movimentações do caso Americanas que aconteceram no fim de semana:

BTG entra com recurso contra decisão que protege Americanas (AMER3) dos credores; banco fala em fraude confessa

O BTG Pactual entrou com recurso no plantão da Justiça fluminense contra a tutela de urgência cautelar obtida na última sexta-feira (13) pelas Americanas (AMER3), que protege a companhia da execução de suas dívidas.

O banco argumenta que, tão logo foi divulgado o fato relevante de 11 de janeiro, que revela a identificação de uma inconsistência contábil no balanço da varejista estimada em R$ 20 bilhões, foi acelerado o vencimento de todas as operações de crédito entre as Americanas e o BTG, com compensação do saldo devedor em aberto com recursos mantidos pela empresa junto à instituição financeira.

Leia mais aqui.

Fundo do Nubank indicado para reserva de emergência tem retorno negativo no ano – e a Americanas está por trás disso. É hora de resgatar?

O fundo Nu Reserva Imediata, fundo de renda fixa que o Nubank indica para reserva de emergência, se popularizou entre os investidores iniciantes brasileiros, principalmente depois que o banco digital começou a adotar as chamadas "caixinhas".

Neste início de ano, o fundo completou um ano com 1,2 milhão de investidores, ostentando o título de maior do Brasil em número de cotistas e ultrapassando os tradicionais fundos colossais de bancões como Caixa, Itaú e Banco do Brasil.

Leia mais aqui.

AGENDA SEMANAL

Esta semana tem início o Fórum Econômico Mundial de Davos. Confira mais agenda:

Segunda-feira (16)

OndeAgenda econômicaPeríodoHorário
EUADia de Martin Luther King (mercados fechados)----
Zona do euroÍndice ZEW de sentimento econômicoJaneiro7h
BrasilBoletim Focus--8h30
Reino UnidoPresidente do BoE, Andrew Bailey, fala no Comitê do Tesouro do Parlamento britânico--12h
ChinaPIB4T2223h
ChinaProdução industrial e vendas no varejoDezembro23h
Fonte: Investing.com

Terça-feira (17)

OndeAgenda econômicaPeríodoHorário
BrasilIGP-10Janeiro8h
SuíçaMinistro da Economia, Fernando Haddad, e ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, participam de painel no Fórum Econômico Mundial de Davos --9h
EUAÍndice Empire de atividade industrialJaneiro10h30
EUADiscurso de John Williams (Fed NY)--17h
Fonte: Investing.com
  • Balanços nos EUA: Goldman Sachs e Morgan Stanley (antes da abertura); United Airlines (depois do fechamento)

Quarta-feira (18)

OndeAgenda econômicaPeríodoHorário
Zona do euroInflação ao consumidor (CPI)Dezembro7h
EUAVendas no varejoDezembro10h30
EUAInflação ao produtor (PPI)Dezembro22h30
EUAProdução industrialDezembro11h15
EUALivro Bege--16h
EUADiscurso de Patrick Harker (Fed Filadélfia)--16h
EUADiscurso de Lorie Logan (Fed Dallas)--20h
Fonte: Investing.com
  • Balanços nos EUA: Alcoa (depois do fechamento)

Quinta-feira (19)

OndeAgenda econômicaPeríodoHorário
Zona do euroDiscurso de Christine Lagarde (BCE)--7h30
BrasilTaxa de desemprego--9h
Zona do euroAta da reunião do BCE--9h30
EUAConstrução de novas casasDezembro10h30
EUANovos pedidos de seguro-desemprego na semana--10h30
EUAÍndice de atividade industrial do Fed FiladélfiaJaneiro10h30
EUAEstoques de petróleo bruto na semana--13h
EUADiscurso de Lael Brainard (vice Fed)--15h15
EUA Discurso de John Williams (Fed NY)--20h35
Fonte: Investing.com
  • Balanços nos EUA: P&G (antes da abertura); American Airlines e Netflix (depois do fechamento)

Sexta-feira (20)

OndeAgenda econômicaPeríodoHorário
Reino UnidoVendas no varejoDezembro4h
Zona do euroDiscurso de Christine Lagarde (BCE)--7h
EUADiscurso de Patrick Harker (Fed Filadélfia)--11h
EUAVendas de imóveis usadosDezembro12h
EUADiscurso de Christopher Waller (dirigente Fed)--15h
Fonte: Investing.com
BOLSAS DA EUROPA OSCILAM COM BAIXA LIQUIDEZ

As bolsas de valores da Europa abriram em leve alta, mas passaram a oscilar nas primeiras horas do pregão de hoje. Os investidores ainda repercutem a desaceleração da inflação nos Estados Unidos.

A expectativa é de que uma redução da pressão inflacionária leve o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) a moderar o duro aperto monetário iniciado há pouco mais de um ano.

De qualquer modo, as principais bolsas europeias têm oscilações estreitas em meio à redução da liquidez nos mercados internacionais provocada pelo feriado nos EUA.

Confira:

  • Frankfurt: +0,12%;
  • Londres: +0,12%;
  • Paris: +0,02%:
  • Euro Stoxx 50: -0,09
BOLSAS DA ÁSIA FECHAM EM ALTA

As principais bolsas de valores da Ásia fecharam em alta nesta segunda-feira.

Os mercados da região dão continuidade aos ganhos de sexta-feira em Wall Street, período no qual as bolsas asiáticas estavam fechadas.

A exceção foi a bolsa de Tóquio, que recuou 1,14%, pressionada por ações do setor financeiro.

Veja como fecharam os outros principais mercados da região:

  • Seul: +0,58%
  • Xangai: +1,01%
  • Hong Kong: +0,04%
  • Taiwan: +0,69%
BOLSAS DOS ESTADOS UNIDOS NÃO ABREM HOJE

As principais bolsas de valores dos Estados Unidos permanecerão fechadas nesta segunda-feira.

Os mercados financeiros norte-americanos acompanham o feriado nacional em homenagem a Martin Luther King, líder do movimento pelos direitos civis nos EUA assassinado em 1968.

Com as bolsas fechadas em Wall Street, a tendência é de liquidez reduzida nos mercados financeiros internacionais.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

LOTERIAS

Lotofácil e Quina acumulam; Mega-Sena pode pagar R$ 115 milhões hoje

1 de fevereiro de 2023 - 6:01

Mega-Sena está acumulada desde o sorteio da virada; Lotofácil e Quina também oferecem prêmios milionários nesta quarta-feira

maus ventos

O Brasil vai acabar? Inflação pode deixar de responder ao BC se Lula conseguir mudar meta, dizem gestores

31 de janeiro de 2023 - 21:24

Rodrigo Azevedo, da Ibiuna, e Felipe Guerra, da Legacy, estão com visão pessimista para o Brasil

DIA 31

Está confirmado: Lula vai para os EUA no dia 10 de fevereiro — veja o que ele vai discutir com Biden

31 de janeiro de 2023 - 20:06

Enquanto o encontro não chega, o petista tentou acalmar os ânimos dos investidores — que seguem desconfiados em relação à responsabilidade fiscal do novo governo

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ibovespa sobe em meio ao caos de um interminável janeiro; o que afeta a bolsa nos próximos dias?

31 de janeiro de 2023 - 18:57

Veja tudo o que movimentou os mercados nesta terça-feira, incluindo os principais destaques do noticiário corporativo

MELHORES DO MÊS

Renascimento cripto: bitcoin (BTC) volta a brilhar, sobe mais de 30% e é disparado o melhor investimento de janeiro; títulos do Tesouro ficam na lanterna

31 de janeiro de 2023 - 18:46

As medalhas de prata e bronze foram para o ouro e para o Ibovespa, em um movimento de busca por segurança — e barganhas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies