A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2022-06-27T15:11:00-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Para além das tensões

Mesmo com o noticiário pesado, Petrobras (PETR4) pode subir mais de 60%, diz Itaú BBA, que recomenda compra do papel

Banco retoma cobertura da empresa com recomendação “outperform” e acredita que a geração de caixa será “forte demais para ser ignorada, especialmente no curto prazo”

27 de junho de 2022
15:10 - atualizado às 15:11
Plataforma de petróleo da Petrobras
Imagem: Ag. Petrobras

As notícias envolvendo a Petrobras (PETR3; PETR4) nos últimos tempos não têm sido animadoras. Se, por um lado, a alta nos preços do petróleo deveria beneficiar a companhia, por outro, os seguidos aumentos nos preços dos combustíveis pressionam a inflação e deixam a população e o governo bastante insatisfeitos.

Com isso, a pressão governamental sobre a política de preços da estatal, as constantes trocas de presidentes e até uma ameaça de CPI colocam uma nuvem de incertezas sobre as ações da Petrobras.

Porém, apesar todo o ruído provocado por este noticiário pesado, os analistas do Itaú BBA acreditam que as ações da Petrobras já estão descontadas o bastante até mesmo para acomodar os cenários mais extremos e improváveis.

O banco vê a empresa negociando a uma relação de 2 vezes o EV/Ebitda (valor da firma sobre o Ebitda) projetado para 2022 e 2,1 vezes o EV/Ebitda projetado para 2023.

"No nosso cenário-base, nós ajustamos nossas lentes para focar nos fundamentos fortes da companhia e sua sólida performance operacional. Estes, combinados com os altos preços do petróleo e volumes de produção crescentes, tendem a resultar em uma geração de fluxo de caixa forte demais para ser ignorada, especialmente no curto prazo."

Trecho de relatório do Itaú BBA sobre a Petrobras.

Assim, o Itaú BBA retomou a cobertura dos papéis da petroleira com recomendação "outperform" (equivalente a compra) para as ações preferenciais (PETR4) e preço-alvo para o final de 2022 de R$ 43, um potencial de valorização de 63% ante o preço de fechamento da última sexta-feira (24).

Pressões sobre a política de preços estão no ápice, e vão se dissipar no médio prazo

O Itaú BBA reconhece os riscos postos à frente da Petrobras. A principal incerteza dos investidores no curto prazo é a possibilidade de uma pressão do governo alterar a política de preços da companhia, que hoje preconiza a paridade com os preços do petróleo e seus derivados no mercado internacional.

De fato, dizem os analistas Monique Greco, Renan Moura e Eric de Mello, uma eventual mudança na política de preços da estatal pode ter impactos consideráveis sobre a empresa. E mesmo a atual volatilidade dos preços do petróleo já traz pressão adicional sobre as ações da companhia.

"Por outro lado, nós achamos que a atual combinação sem precedentes de preços do petróleo, crack spreads [diferença entre o preço do barril de petróleo e dos produtos refinados] e taxa de câmbio, junto com um ambiente volátil pré-eleição, já atuaram como um robusto teste de estresse da capacidade da companhia de eventualmente atingir a paridade internacional", diz o relatório.

Os analistas, assim, acreditam que, no médio prazo, os preços internacionais vão se acomodar, o que tornará mais fácil, para a Petrobras, manter os preços alinhados, tornando mudanças intensas na política de preços menos prováveis.

"Assim, o ruído relacionado aos preços está provavelmente no seu ponto mais alto atualmente, com a companhia ainda tendo dificuldade de manter a paridade com os preços internacionais nas máximas."

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NOITE CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobe, mas perde o protagonismo para o ethereum (ETH); entenda

12 de agosto de 2022 - 20:29

Além de aproveitar a inflação dos EUA mais branda, o que ajudou as criptomoedas em geral, o ETH se beneficiou dos progressos na direção do The Merge

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Magalu (MGLU3) dispara, BC amigo das criptomoedas e outros destaques do dia

12 de agosto de 2022 - 19:07

O mercado financeiro começou a semana olhando aterrorizado para os céus. Já era esperado que os dias fossem marcados pelo avistamento de dragões no ar, mas não se sabia ao certo o tamanho da encrenca que precisaria ser enfrentada.  Com traumas dos episódios recentes, quando a cada mês a ameaça se mostrava maior e mais […]

FECHAMENTO DO DI

Alívio com inflação leva Ibovespa a subir 6% na semana; Magazine Luiza (MGLU3), Hapvida (HAPV3) e Via (VIIA3) disparam após balanço

12 de agosto de 2022 - 18:41

Os indicadores melhores do que o esperado deram um respiro para o Ibovespa nesta semana; dólar caiu quase 2%

SEMANA EM CRIPTO

Ethereum (ETH) rouba a cena e dispara 14%, mas bitcoin (BTC) encerra semana acima dos US$ 24 mil; saiba o que esperar das criptomoedas

12 de agosto de 2022 - 17:56

O otimismo com a atualização do éter, as sanções ao Tornado Cash e o real digital são alguns dos destaque da semana

FEBRABAN TECH 2022

Setor financeiro melhora planos para o metaverso e já fala em criptomoedas como ‘espinha dorsal’ do processo — mas isso vai levar algum tempo; entenda

12 de agosto de 2022 - 17:40

O Febraban Tech 2022 foi realizado entre os dias 9 e 11 de agosto, em São Paulo; confira alguns destaques

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies