A AÇÃO QUE ESTÁ REVOLUCIONANDO A INFRAESTRUTURA DO BRASIL E PODE SUBIR 50%. BAIXE UM MATERIAL GRATUITO

2022-07-02T14:57:12-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

2 de julho de 2022
14:57
magazine luiza queda ações bolsa mglu3
Alta dos juros, inflação e aumento da concorrência castigam varejistas focadas no e-commerce, como o Magalu. Imagem: Shutterstock/Montagem Julia Shikota

A vida das varejistas, sobretudo aquelas muito focadas no e-commerce, não está nada fácil em 2022. Magazine Luiza (MGLU3) que o diga. A ação da outrora queridinha da bolsa fechou o primeiro semestre com um tombo de 67,45%, cotada a R$ 2,34. Foi simplesmente a maior queda de Ibovespa na primeira metade do ano.

E o ranking das piores ações do índice no período conta com mais dois nomes do mesmo segmento: as ações da Via (VIIA3) ficaram em terceiro lugar, amargando perdas de 63,24%, enquanto os papéis da Americanas S.A. (AMER3) vêm em quinto, com uma desvalorização de 56,54%.

As varejistas do e-commerce sofrem com a alta de juros e a elevada inflação, o que encarece o crédito e tira o poder de compra da população.

Este cenário impacta sobretudo aquelas que se apoiam na venda de bens duráveis, como eletrodomésticos e eletrônicos, casos principalmente de Magalu e Via.

Esses produtos têm preço unitário mais elevado, sua compra depende mais de crédito, e frequentemente eles são menos essenciais e facilmente substituíveis por produtos usados e mais baratos.

Outro fator que castiga as varejistas do e-commerce é a ferrenha concorrência estrangeira, com a popularização dos serviços de empresas como Amazon, Aliexpress, Shein e Shopee no Brasil.

Techs também sofreram no primeiro semestre

Outro segmento que apanhou na bolsa brasileira na primeira metade do ano, a exemplo do que aconteceu também no exterior, foi o de tecnologia.

Entre as piores ações do ano, as techs são representadas pela Méliuz (CASH3), com recuo de 66,67%, segunda maior queda do Ibovespa; e pela Locaweb (LWSA3), com baixa de 57,22%, quarto pior desempenho do índice.

As empresas de tecnologia são sobretudo impactadas pelo movimento global de alta nas taxas de juros. Aqui no Brasil, essas ações vêm sofrendo desde que o Banco Central começou a aumentar a taxa Selic; agora, elas continuam apanhando da alta esperada para os juros nos Estados Unidos e outros países desenvolvidos.

O setor de tecnologia é pesadamente dependente de investimentos, que minguam quando os juros sobem. Além disso, em muitas empresas desse segmento, o retorno do acionista só virá realmente num futuro mais distante.

Assim, na avaliação dessas empresas, o aumento na taxa de desconto (taxa de juros) desses fluxos de caixa futuros acaba reduzindo seus preços atuais com mais intensidade do que o mesmo processo com empresas que já dão retorno ao acionista hoje.

Com os títulos de renda fixa mais seguros pagando mais, os investimentos disponíveis para empreitadas mais arriscadas e de longo prazo diminuem, impactando negativamente os preços desses ativos.

As 10 maiores quedas do Ibovespa no primeiro semestre de 2022

EmpresaCódigoDesempenho
Magazine LuizaMGLU3-67,45%
MéliuzCASH3-66,67%
ViaVIIA3-63,24%
LocawebLWSA3-57,22%
Americanas S.A.AMER3-56,54%
EmbraerEMBR3-53,95%
IRBIRBR3-49,50%
AzulAZUL4-48,97%
AlpargatasALPA4-48,18%
CVCCVCB3-47,84%
Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

DESTAQUE DO DIA

De olho em uma possível ‘virada de chave’ varejistas e techs disparam mais de 10% na bolsa; Americanas (AMER3), Via (VIIA3) e Magazine Luiza (MGLU3) são destaques

15 de agosto de 2022 - 16:34

Com fechamento da curva de juros e projeções mais otimistas, investidores correm atrás do tempo perdido; Magazine Luiza, Americanas e Via são destaques.

Democratização?

Santander passa a oferecer serviços de alta renda para todos os clientes, mas não vai cobrar barato

15 de agosto de 2022 - 16:16

Serviços do Select, segmento de alta renda do banco, estarão disponíveis mesmo para quem não se enquadrar nos critérios de renda e patrimônio mínimos, mediante pagamento de taxa

INDO ÀS COMPRAS

XP (XPBR31) amplia presença no ramo de previdência e seguros e compra a BTR Benefícios

15 de agosto de 2022 - 16:11

As empresas tornaram-se parceiras em setembro do ano passado; o valor da operação não foi divulgado

CRYPTOSTORM

‘Nenhuma criptomoeda vai conseguir bater de frente depois dessa atualização’: analistas comentam como The Merge mudará o ethereum (ETH)

15 de agosto de 2022 - 15:35

Para Valter Rebelo, analista de cripto da Empiricus, a resposta é clara: “não vejo nenhum protocolo que consiga bater de frente com o ethereum”

BOMBOU NAS REDES

Banco do Brasil ‘vence’ Bradesco em rentabilidade e ações disparam 53% no ano — estatal ainda pagará R$ 2 bilhões em dividendos e analista alerta: BBAS3 supera Nubank (NUBR33)

15 de agosto de 2022 - 13:49

Após resultados fortíssimos no segundo trimestre, as ações do Banco Brasil estão em disparada. Descubra se vale a pena comprar os papéis

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies