Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2022-01-07T09:44:23-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Adeus, liquidez?

Raízen (RAIZ4) anuncia recompra de até 40 milhões de ações e redução no número de papéis em circulação; veja o que muda para os acionistas

A empresa dará início a um programa de recompra de ações de 18 meses e também reduzirá o percentual mínimo de papéis em circulação até o final deste ano

6 de janeiro de 2022
20:18 - atualizado às 9:44
Fachada da Raízen

Com o fim da onda de pagamentos de dividendos, outro tipo de anúncio começa a dominar a Comissão de Valores Mobiliários: o de início de programas de recompras de ações. O anúncio desta quinta-feira (6) foi feito pela Raízen (RAIZ4), que pretende recomprar até 40 milhões de ações nos próximos 18 meses.

O montante equivale a 0,39% do total de papéis da empresa ou 3,21% considerando apenas os ativos em circulação.

Segundo a Raízen, o objetivo do programa é "atender a obrigações decorrentes de planos de remuneração em ações da companhia e maximizar a geração de valor para os acionistas por meio da gestão eficiente de capital".

Ou seja, a empresa poderá distribuir ações aos executivos como bônus sem precisar emitir novos papéis e incrementar o valor aos acionistas de sua base, apesar da instabilidade do mercado.

Menos papéis no mercado

Além do programa de recompra, a empresa trouxe mais uma novidade aos investidores: sua solicitação para redução do percentual mínimo de ações em circulação - o chamado free float - foi aprovada pela B3.

Atualmente, o indicador corresponde a 12% dos papéis da Raízen.

Porém, como contrapartida para a redução momentânea, a companhia comprometeu-se a atingir, até 31 de
dezembro de 2022, um percentual mínimo de ações em circulação de 15%.

O que muda para os investidores?

Para responder a esta pergunta, é preciso tratar separadamente de cada um dos dois anúncios. A decisão de reduzir o percentual mínimo de ações, por exemplo, indica que a liquidez dos papéis da Raízen também ficará menor.

Já quando o assunto é o programa de recompra de ações, até que a Raízen decida qual será o destino dos papéis recomprados, os efeitos para os acionistas ainda são incertos. Mas os dois cenários mais prováveis você confere abaixo:

  • Se os papéis forem novamente cancelados, o acionista termina, proporcionalmente, com uma fatia maior da empresa, o que pode engordar sua contas de dividendos;
  • Se os ativos permanecerem guardados na tesouraria para uma oferta no futuro, o acionista ganhará apenas após sua venda. Nesse caso, o ganho de capital fará parte do lucro da empresa, o que também influencia na distribuição de proventos.

Veja também - Queda não abala: vale a pena comprar bitcoin (BTC) a qualquer preço, diz analista

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

MÚSICA NO FANTÁSTICO

Unilever recebe mais um não da Glaxo para oferta de US$ 68 bilhões por divisão que produz Advil; entenda o caso

Se fosse concretizado, o acordo seria o maior em termos globais desde o início da pandemia de covid-19

EFEITOS COLATERAIS

Ômicron e seus investimentos: variante do coronavírus terá efeitos distintos sobre empresas de saúde na bolsa; saiba quais são eles

Planos de saúde devem enfrentar um cenário menos favorável dado o aumento dos índices de sinistralidade e pressão sobre os custos

FOI DADA A LARGADA

Petrobras (PETR4) e Novonor iniciam oficialmente processo para vender participações na Braskem; veja quanto a operação bilionária pode levantar

O pedido de registro para a oferta pública secundária, que será realizada no Brasil e no exterior, foi publicado na madrugada deste sábado (15) na CVM

INCENTIVO À MUDANÇA

Meca das criptomoedas? Estado americano tenta atrair trabalhadores com pagamento em bitcoin (BTC)

Iniciativa acontece em meio a explosão de crescimento no setor de tecnologia, especificamente naquelas habilitadas para blockchain

HEY, BROTHERS!

BBB é ‘fábrica de milionários’: prêmio de R$ 1,5 milhão é fichinha perto da fortuna que ex-participantes constroem; veja como Juliette, Gil do Vigor e outros ficaram ricos após reality

A edição de 2022 do BBB começa na próxima segunda e pode conceder o título de milionário a mais pessoas; veja quem já conseguiu se consagrar com a participação na casa mais vigiada do Brasil

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies