🔴 DÓLAR A R$5,38 E PODE SUBIR MAIS – VEJA COMO PROTEGER O SEU PATRIMÔNIO

Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
NOVO CAPÍTULO

Oi (OIBR3) deve, não nega, mas contrata assessor financeiro para tentar pagar quando puder

Com uma dívida bilionária e no meio de uma disputa com as rivais Claro, TIM e Vivo, a operadora contratou a Moellis para negociar com credores

Fachada de loja da Oi (OIBR3), com o logo da empresa em amarelo sobre uma marquise verde
Fachada de loja da Oi - Imagem: Divulgação

O dramático processo de recuperação judicial da Oi (OIBR3) ganhou mais um capítulo. Com uma dívida bilionária e no meio de uma disputa com as rivais Claro, TIM e Vivo sobre o valor a receber pelo negócio de telefonia móvel, a operadora anunciou a contratação da Moellis como assessor financeiro para negociar com credores.

O objetivo é “otimizar o perfil de endividamento, em observância ao seu planejamento estratégico e ao Plano de Recuperação Judicial”, de acordo com a companhia.

A Oi vem promovendo uma série de vendas de ativos para se reequilibrar financeiramente. A empresa entrou em recuperação judicial em 2016 e havia a expectativa de que conseguisse sair do processo ainda neste ano.

Oi: dívida menor, mas...

Dentro do plano para deixar a recuperação judicial, a Oi obteve dois passos importantes neste ano. A companhia concluiu a venda das duas "joias da coroa": o negócio de telefonia móvel e o controle da operação de fibra ótica.

A companhia conseguiu reduzir a dívida bruta em aproximadamente R$ 15 bilhões nos últimos 12 meses com o dinheiro que entrou da venda dos ativos. Mesmo assim, ainda tinha um endividamento de pouco mais de R$ 21 bilhões no fim do segundo trimestre.

Ao mesmo tempo, a Oi reforçou o caixa, que encerrou junho em R$ 5 bilhões. Mas aparentemente esse valor não será suficiente a empresa para manter o equilíbrio financeiro enquanto ainda busca mais recursos.

Isso porque a operação que restou da empresa não gera caixa suficiente para fazer frente aos compromissos. Aliás, o fluxo de caixa da operadora, considerando apenas os negócios da "nova Oi", foi zero no segundo trimestre deste ano.

Outra pedra no sapato da companhia é o câmbio. Uma parte relevante do endividamento da Oi é em dólar, mesmo com a maior parte das operações no país. Isso provoca um desequilíbrio no balanço já fragilizado da empresa toda vez que o dólar sobe.

Aliás, os investidores que possuem títulos de dívida emitidos em dólar (bonds) devem ser os primeiros credores com quem a Oi e o assessor financeiro devem conversar. A ideia é reestruturar R$ 10 bilhões em dívidas, de acordo com informação publicada pelo Estadão.

Briga com as rivais e dinheiro novo

Se a situação da Oi já estava longe de ser confortável, ficou ainda pior depois que a Claro, TIM e Vivo decidiram contestar o valor pago pela operação de telefonia móvel da concorrente.

Agora, as compradoras pretendem reduzir o valor do negócio em R$ 3,2 bilhões. O caso deve se arrastar em uma disputa judicial, e tudo o que a Oi não possui agora é tempo.

Enquanto tenta ganhar fôlego com os credores, a administração da Oi segue em negociações para a venda de mais ativos. Desta forma, a companhia espera receber cerca de R$ 1 bilhão com a venda de torres de telefonia fixa.

A Oi também negocia com a Sky a venda do negócio de TV por assinatura, mas que só deve sair em 2023. Por fim, outra fonte de recursos, só que no longo prazo, deve sair da disputa com a Anatel sobre perdas durante o contrato de concessão.

Ações da Oi (OIBR3) hoje

No pregão desta sexta-feira, a reação inicial dos investidores ao anúncio de que a Oi pretende se sentar novamente com os credores é tranquila. Por volta das 10h20, as ações OIBR3 operavam com estabilidade, cotadas a R$ 0,23. Leia nossa cobertura completa de mercados hoje.

Mas vale lembrar que, como o papel negocia em um valor muito baixo, qualquer centavo para cima ou para baixo faz muita diferença. A Oi inclusive terá de promover um grupamento das ações, já que as regras da bolsa proíbem as chamadas "penny stocks" — ou seja, papéis que custam menos de 1 real.

Compartilhe

UNIÃO ESTÁVEL

Após criação de joint venture com Amil, Dasa (DASA3) diz que fusão “não é prioridade” neste momento

14 de junho de 2024 - 16:26

Em call com analistas do mercado, estavam o presidente da Dasa, Lício Tavares Angelo Cintra, e o diretor financeiro da empresa, André Covre Fechar

Mayday

Boeing investiga qualidade dos 787 Dreamliner ainda não entregues

14 de junho de 2024 - 14:46

Companhia descobriu que fixadores foram instalados incorretamente nas carrocerias dos jatos

ABRIU O APETITE

Ação da dona do McDonald´s na América Latina amarga queda de 28% em NY em 2024. É hora de abocanhar um pedaço?

14 de junho de 2024 - 13:22

Goldman Sachs prevê que os papéis da Arcos Dorados podem subir mais de 50% na Nyse em um ano; saiba o que fazer com as ações

Dinheiro na conta

Proventos milionários: B3 irá pagar quase meio bilhão de reais em dividendos e juros sobre capital próprio

14 de junho de 2024 - 12:23

Quem quiser receber uma parte dessa bolada tem até dia 18 de junho para comprar ações da companhia

FUSÕES E AQUISIÇÕES

Bom para saúde? Dasa (DASA3) e Amil selam parceria de serviços hospitalares e se tornam o segundo maior grupo de hospitais do país

14 de junho de 2024 - 8:11

O negócio é uma joint venture (empreendimento controlado em conjunto), da qual Amil e Dasa deterão 50% do capital cada

NOVO NEGÓCIO

Braskem (BRKM5) vende controle da Cetrel para GRI de olho no setor de resíduos industriais

13 de junho de 2024 - 19:47

Petroquímica passa a deter 49,9% da empresa de gestão de resíduos

Socorro governamental

Com medida provisória, governo tenta salvar a combalida Amazonas Energia

13 de junho de 2024 - 18:53

Ministério de Minas e Energia avalia que a saúde econômico-financeira da companhia está deteriorada

RECOMENDAÇÃO

Goldman Sachs: Após 1º trimestre fraco, desafio da Arezzo&Co (ARZZ3) é crescer em meio à fusão com o Grupo Soma; é hora de comprar a ação?

13 de junho de 2024 - 15:00

Queda de 22% nas ações da varejista de calçados no ano levantou preocupações dos investidores sobre a criação da nova holding

VÃO DIZER SIM?

Elon Musk afirma que conselho aprovou bônus de US$ 56 bilhões e ações da Tesla saltam na bolsa

13 de junho de 2024 - 12:24

O bônus multibilionário já havia sido aprovado em 2018, mas foi barrado pela Justiça de Delaware. A votação para a reavaliação do pacote salarial de Elon Musk ocorre nesta quinta-feira (13)

Aquisições

Allos desiste de comprar parte do Shopping Rio Sul; mas avisa que ainda está de olho no negócio

13 de junho de 2024 - 10:33

Companhia informou que a Combrascan tem intenção de exercer seu direito de preferência na operação

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar