🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-02-18T18:08:43-03:00
Carolina Gama
FECHAMENTO DO DIA

Bolsa de Nova York fecha em queda com tensão geopolítica; Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq amargam perdas na semana

Investidores dividiram atenção entre desenvolvimentos no conflito entre Rússia e Ucrânia e os sinais sobre o ritmo do aperto monetário do Federal Reserve

18 de fevereiro de 2022
18:02 - atualizado às 18:08
estados unidos, eua
Imagem: Shutterstock

Em algumas ocasiões, não ter notícia é uma boa notícia. Mas este não é o caso da Bolsa de Valores de Nova York. Mesmo com a ausência de novidades sobre o conflito entre Rússia e Ucrânia nesta sexta-feira (18), o Dow Jones, o S&P 500 e o Nasdaq fecharam o dia em queda e acumularam a segunda perda semanal consecutiva. 

Mais cedo, autoridades ucranianas e a mídia controlada pelo governo russo trocaram novas acusações sobre violações do cessar-fogo na fronteira. O movimento acontece em meio às expectativas de que o presidente norte-americano, Joe Biden, mova mais tropas dos Estados Unidos para perto da Ucrânia, segundo a rede NBC News. 

Em outro front, os investidores também continuaram lutando para descobrir os próximos passos do Federal Reserve (Fed). O presidente da unidade de St. Louis, James Bullard, que recentemente pediu uma ação agressiva por parte do banco central norte-americano, alertou que a inflação pode sair do controle sem aumentos de juros.

A bolsa norte-americana se recuperou um pouco de suas mínimas depois que o presidente do Fed de Nova York, John Williams, disse que não via “nenhuma razão convincente para dar um grande passo agora”, embora não tenha descartado a possibilidade de o banco central decidir pisar no acelerador mais adiante.

GUIA PARA BUSCAR DINHEIRO: baixe agora o guia gratuito com 51 investimentos promissores para 2022 e ganhe de brinde acesso vitalício à comunidade de investidores Seu Dinheiro

Ainda assim, o Dow Jones e o S&P 500 fecharam o dia com queda de 0,68%, aos 34.079,18 pontos, e 0,72% aos 4.348,87 pontos, respectivamente. O Nasdaq sentiu mais a pressão e terminou em queda de 1,23%, aos 13.548,07 pontos. 

Na Europa, as bolsas também recuaram sob a percepção dos investidores de que as tensões geopolíticas estão no ápice. 

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,81%, com o setor de viagens e lazer liderando as perdas, enquanto as ações de mineração contrariaram a tendência negativa e terminaram o dia em alta.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

NOITE CRIPTO

Na luta: bitcoin (BTC) opera em alta, mas performance não dá inveja; confira cotações

Apesar do avanço, o último mês foi o pior da história do bitcoin. A queda de 37,9% se consolidou como a mais terrível da história, desbancando maio de 2021, quando o recuo foi de 35,4%

PROBLEMAS FINANCEIROS

Tenda (TEND3) negocia com credores e consegue sinal verde para flexibilizar endividamento

Os detentores de debêntures da empresa aceitaram mudar os termos das dívidas em troca de garantias – e remuneração – extras

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

‘Pane’ nas exchanges, os limites para a Rússia e a queda do Ibovespa; confira os destaques do dia

Os corredores do mercado financeiro estavam mais silenciosos do que o habitual nesta segunda-feira (04).  Nos Estados Unidos, as bolsas em Wall Street ficaram fechadas devido ao feriado do Dia da Independência americana, mas parece que boa parte dos investidores brasileiros também deu uma esticadinha no fim de semana.  Sem Nova York e com o […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa cai abaixo dos 99 mil pontos em dia de baixa liquidez; dólar e juros sobem com petróleo

Sem Wall Street, o Ibovespa teve um dia de movimentação limitada. Apesar da alta do petróleo, o índice não conseguiu se consolidar em alta

ELEIÇÕES 2022

Quem é Maria Luiza Ribeiro Viotti, a primeira mulher a comandar o Itamaraty se Lula vencer as eleições?

A indicação de uma mulher para o Itamaraty contemplaria o movimento feminino na diplomacia, que ganhou força política no Congresso e foi incentivado por Amorim no passado; o Brasil nunca teve uma chanceler

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies