O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-26T17:01:49-03:00
Carolina Gama
FECHAMENTO DO DIA

S&P 500 cede à pressão vinda da China e leva Dow Jones e Nasdaq junto; veja como as bolsas nos EUA se comportaram

Na Europa, os mercados voltaram a fechar em queda em sua maioria, também preocupados com a escalada da guerra entre Rússia e Ucrânia; veja detalhes

26 de abril de 2022
17:01
Placa sinalizando Wall Street, centro financeiro dos EUA e que simboliza a bolsa e o mercado de ações do país
Na Europa, os mercados voltaram a fechar em queda em sua maioria, também preocupados com a escalada da guerra entre Rússia e Ucrânia; veja detalhes - Imagem: Shutterstock

O S&P 500 cedeu à pressão dos temores de uma desaceleração econômica global e, junto com Dow Jones e Nasdaq, fecharam a terça-feira (26) em queda. 

Os testes em massa em Pequim após um aumento nos casos de covid-19 alimentaram preocupações de que a capital da China possa enfrentar um bloqueio no estilo de Xangai.

Isso fez com que os investidores despejassem ações no mercado, especialmente de tecnologia. O Nasdaq foi o que mais sofreu com o movimento. 

Os papéis das fabricantes de chips também contribuíram para a fraqueza no setor de tecnologia geral, com AMD e Nvidia caindo mais de 4%. 

Os investidores avaliaram a perspectiva de interrupções na cadeia de suprimentos com o aumento dos casos de covid-19 na China.

Confira com os três principais índices da bolsa de Nova York fecharam o dia:

  • Dow Jones: -2,38%, 33.239,45 pontos
  • S&P 500: -2,81%, 4.175,20 pontos
  • Nasdaq: -3,95%, 12.490,74 pontos

Guerra volta ao radar e pesa sobre o S&P 500

O S&P 500 e os demais índices de Wall Street não sentiram apenas o peso do aumento dos casos de covid-19 na China. O conflito no leste europeu voltou ao radar dos investidores com novos contornos. 

Prova disso é que os juros projetados pelos títulos do Tesouro dos EUA continuaram a precificar a perspectiva de risco de desaceleração do crescimento global em um momento em que a guerra entre Rússia e Ucrânia, que continua a se intensificar. 

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse que se os EUA e seus aliados continuarem a fornecer armas à Ucrânia, existe o risco de a guerra se transformar em um conflito mais amplo com as nações da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Bolsas na Europa

Assim como o S&P 500, a maioria das bolsas europeias fecharam em baixa nesta terça-feira, com a confiança dos investidores ainda abalada pelas taxas de juros, inflação, desaceleração do crescimento e a guerra na Ucrânia.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 0,8% depois de estar em alta durante grande parte da sessão. Bancos, tecnologia e automóveis foram os retardatários em toda a região.

  • Londres: +0,08%
  • Paris: -0,54%
  • Frankfurt: -1,20%

Na segunda-feira (25), as bolsas europeias fecharam em forte queda, com as preocupações com o ressurgimento de casos de covid-19 na China ofuscando a reeleição do presidente francês, Emmanuel Macron.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

NOITE CRIPTO

Não durou muito: bitcoin (BTC) opera em queda e volta a ficar abaixo do nível de US$ 30 mil; veja a performance das outras criptomoedas

O peso da perda de confiança do mercado é um dos pontos que mais afastam o investidor do mercado de criptomoedas atualmente

DISTRIBUINDO MAIS DO QUE COMBUSTÍVEIS

Dividendos e JPC: Vibra Energia (VBBR3) anuncia o pagamento de R$ 131 milhões em proventos; confira prazos

Ao todo, a distribuidora de combustíveis já pagou R$ 663 milhões em dividendos e juros sobre capital próprio no exercício de 2021

CSN (CSNA3) e CSN Mineração (CSNA3) vão recomprar até 164 milhões de ações; veja o que muda para os acionistas

As duas companhias aproveitam o momento descontado na B3 para encerrar os programas atuais e iniciar novas operações com duração de um ano

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Inflação derruba bolsas, Hapvida vai às compras e a varejista que ameaça o Magalu; confira os destaques do dia

Depois de um dia de animação, preocupações com o movimento dos preços e a atividade econômica pelo mundo estragaram o humor dos investidores

FECHAMENTO DO DIA

Inflação americana come margem de grandes empresas e derruba bolsas globais; Ibovespa cai mais de 2% e dólar cola em R$ 5

Com inflação pressionando e China voltando a fechar cidades, o Ibovespa caiu menos que as bolsas em Wall Street, mas ainda assim amargou fortes perdas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies