🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-06-17T14:38:06-03:00
Carolina Gama
SEMANA EM CRIPTO

Bitcoin (BTC) sobrevive à tempestade de alta de juros nos EUA, na Europa e no Brasil, à crise na Celsius e ao recorde de resgates

Diante de tanta apreensão, os investidores ainda esperam para ver por quanto tempo o bitcoin consegue se manter sob o guarda-chuva dos US$ 20 mil

17 de junho de 2022
14:38
queda bitcoin criptomoedas
Imagem: Shutterstock

O bitcoin (BTC) sobreviveu a uma tempestade que se abateu sobre o mercado de criptomoedas — e sobre os ativos de risco em geral.

Aumento de juros nos EUA, na Europa e no Brasil, crise na plataforma Celsius e a maior realização de prejuízo da história do BTC marcaram a semana dos ativos digitais. 

Diante de tanta apreensão, os investidores ainda esperam para ver por quanto tempo o bitcoin consegue se manter sob o guarda-chuva dos US$ 20 mil. 

Confira como o bitcoin e as demais criptomoedas caminham para fechar a semana. Vale lembrar que o mercado continua com as negociações durante o fim de semana, apesar da falta de liquidez:

NomePreço24h %7d %
Bitcoin (BTC)US$ 20.667,07-2,96%-28,77%
Ethereum (ETH)US$ 1.082,12-3,84%-35,68%
Tether (USDT)US$ 0,9989-0,01%-0,04%
USD Coin (USDC)US$ 1,00-0,03%-0,01%
BNB (BNB)US$ 215,43-1,25%-24,59%
Binance USD (BUSD)US$ 1,00-0,04%+0,14%
Cardano (ADA)US$ 0,4872-2,84%-15,59%
XRP (XRP)US$ 0,3199+0,41%-16,18%
Solana (SOL)US$ 31,52-2,65%-15,09%
Dogecoin (DOGE)US$ 0,05661-3,65%-24,66%
Fonte: coinmarketcap.com

Chuvas e trovoadas na semana do bitcoin (BTC)

A primeira trovoada sobre mercado de criptomoedas veio na sexta-feira passada (10)

A divulgação do índice de preços ao consumidor norte-americano de maio —  uma alta de 1% em base mensal e de 8,6% em termos anuais — já mostrava um céu ainda mais fechado para os ativos de risco, como o bitcoin (BTC). 

As nuvens carregadas pelo maior patamar de inflação nos EUA em 40 anos trouxeram a tempestade que a previsão do tempo dos investidores indicava. 

Na quarta-feira (15), o Federal Reserve (Fed) elevou a taxa de juros em 0,75 ponto porcentual (pp) — o maior aumento desde 1994 — na tentativa de conter o furacão dos preços altos. 

No dia da decisão, os mercados de ações e de cripto gostaram do que ouviram do presidente do Fed, Jerome Powell

Em coletiva, ele fixou um teto para a próxima alta de juros — de 0,50 pp a 0,75 pp — afastando, pelo menos por enquanto, um aumento ainda maior, de 1 pp. 

O sol sobre os ativos de risco durou pouco e, na quinta-feira (16), as ações e o bitcoin (BTC) tiveram forte queda, influenciados pela decisão do Fed do dia anterior. 

E não foi só isso: as criptomoedas ainda tiveram que lidar com a reunião emergencial do Banco Central Europeu (BCE) e com a alta de juros no Brasil, no Reino Unido e na Suíça — um sinal de que as condições dos mercados ficarão mais apertadas, com pouca liquidez. 

Bitcoin (BTC) ainda enfrentou a Celsius

Celsius não é o nome de uma tempestade tropical ou de um furacão, mas bem que poderia ser. 

O bitcoin (BTC) e o mercado de criptomoedas em geral também teve que  enfrentar nesta semana a crise na plataforma de staking — uma espécie de dividendos em criptomoedas.

A Celsius anunciou no domingo (12) a suspensão de saques e transferências por tempo indeterminado.

A plataforma Celsius funciona como uma rede que facilita as operações de DeFis. Além do staking, o aplicativo também permite o empréstimo (lending) de criptomoedas com garantia em outras moedas digitais. 

A queda recente do mercado fez alguns protocolos menores desaparecerem — como foi o caso da Terra (LUNA), mas em uma escala reduzida.

A saída de investidores devido às perdas recentes das criptomoedas, somado a esses sumiços, contribuiu para uma perda de liquidez da plataforma Celsius. Assim, ela travou os saques e as negociações dos investidores.

Ainda teve o recorde de resgates

A maior alta de juros nos Estados Unidos em 28 anos e outras elevações de juros que vieram depois aumentaram ainda mais a aversão ao risco dos investidores e agravaram o mau tempo no mercado cripto — que vem sofrendo uma forte crise de confiança desde o fim do projeto Luna.

O pânico é tanto que o início da semana ficou marcado pela maior realização de prejuízo da história do bitcoin. 

Segundo dados da plataforma Glassnode, foram US$ 4,2 bilhões resgatados em todo o mundo por investidores que preferiram perder dinheiro a ver os números no vermelho.

E como fica o tempo para o BTC na próxima semana?

A chance de sol sempre existe, embora seja pequena. O mais garantido no momento é sair com um guarda-chuva para se proteger do que pode vir por aí nos próximos dias. 

Prova disso é que o popular analista Venturefounder já trabalha com o bitcoin (BTC) no piso de US$ 14.000 — uma baixa de 80% em relação à máxima histórica, de US$ 69.000.

Confira os destaques da agenda da próxima semana que podem mexer com as criptomoedas:

Na Brasil:

  • Terça-feira (21): ata da última reunião do Banco Central, que poderá trazer novas informações sobre as próximas decisões e o ponto terminal da Selic. 
  • Sexta-feira (24): IPCA-15 de junho, que deve registrar alta de 0,73%, com núcleos ainda pressionados.

No exterior:

  • Quarta-feira (22): presidente do Fed, Jerome Powel,l fala no Senado dos EUA 
  • Quinta-feira (23): leituras do índice de gerentes de compra (PMI, uma medida da saúde do setor) industrial de junho da zona do euro, do Reino Unido e dos EUA.
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fraqueza nos números

Entrega de veículos da Tesla (TSLA34) recua no segundo trimestre e vem abaixo da expectativa do mercado

Apesar do crescimento das vendas na comparação anual, houve uma queda em relação ao trimestre anterior

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies