IPCA + 7,5%: receba esta e outras ofertas ‘premium’ de renda fixa no WhatsApp; clique aqui

Ruy Hungria
Sextou com o Ruy
Ruy Hungria
É formado em Física e especialista em bolsa e opções na Empiricus
Cotações por TradingView
2022-07-21T14:38:50-03:00
sextou com o ruy

Bolsonaro venceu? Petrobras enfim reduz o preço da gasolina, mas até que ponto vai a influência do presidente?

Se a Petrobras tivesse baixado os preços por mera pressão do governo, as ações teriam desabado; entenda o que está por trás da redução

22 de julho de 2022
6:34 - atualizado às 14:38
O presidente Jair Bolsonaro, em montagem ao lado do logotipo da Petrobras
Petrobras é menos vulnerável a interferência política do que se imagina. - Imagem: Montagem Andrei Morais/Shutterstock

Nesta semana, os brasileiros receberam uma notícia que estavam esperando há meses: uma redução no preço da gasolina vendida pela Petrobras às refinarias.

Jair Bolsonaro aproveitou o episódio para divulgar a notícia em suas redes sociais, como um canto de vitória depois de tantas trocas no comando da Petrobras e tanta pressão sobre a companhia na mídia.

Isso gerou uma onda de preocupação entre os acionistas da petroleira, com medo de que a Petrobras finalmente tivesse perdido a independência e cedido às vontades do governo.

Mas será que o presidente ou o governo têm alguma coisa a ver com essa redução dos preços?

Calma, não é o que parece

Se a Petrobras tivesse baixado os preços por pura e simples pressão do governo, as ações iriam desabar.

Isso porque ela começaria a comprar gasolina por preços caros lá fora para revender por preços mais baixos no mercado interno. Comprar caro e vender barato: receita infalível para prejuízos bilionários.

Mas não foi o que aconteceu. A Petrobras baixou o preço dos combustíveis, sim. No entanto, não foi por conta da pressão política.

Mercado antecipou possível excesso de oferta do petróleo

O que aconteceu é que, nas últimas semanas, o mercado financeiro começou a se preocupar mais com a possibilidade de uma recessão global pela frente.

Isso impactaria o crescimento econômico, que por sua vez reduziria o consumo de combustíveis.

Faltaria demanda e sobraria oferta, o que deveria reduzir o preço da commodity no futuro.

Mas o mercado sempre tenta se antecipar, e isso levou a uma forte queda no petróleo em julho.

Consequentemente, as cotações da gasolina no mercado internacional também recuaram desde o início deste mês.

Fonte: Bloomberg

Com isso, a Petrobras decidiu cortar os preços. Não porque o governo forçou, ou porque o novo presidente da Petrobras chegou para arruinar a política de paridade internacional.

Essas coisas podem até acontecer no futuro e ainda representam o maior risco para os acionistas da companhia. Mas ainda não chegou o momento em que o governo pode se gabar de ter mudado na marra a estratégia da empresa.

Petrobras dá tanto 'leite' não cabe na jarra

De um lado, o governo não consegue mudar a estratégia da Petrobras, que segue muito lucrativa com o petróleo em patamares elevados.

De outro, investidores continuam apavorados com a possibilidade de uma interferência fazer todo o lucro virar pó de uma hora para a outra.

O resultado dessa combinação é uma empresa muito lucrativa e, ao mesmo tempo, muito barata.

Hoje a Petrobras negocia por apenas duas vezes lucros (linha preta) e absurdos 40% de dividend yield (linha verde). 

Fonte: Bloomberg

Essa vaca dá tanto leite que não cabe na jarra!

Petrobras continua valendo a pena

Eu sei dos riscos e que esses lucros podem desaparecer de uma hora para outra. Mas, apesar de todas as ameaças nos últimos anos, não vimos nenhuma mudança drástica na política de preços da companhia até agora.

Além disso, vale lembrar que a Lei das Estatais pune severamente quem permitir o uso da Petrobras como instrumento para angariar votos.

Isso sem falar que o custo político e institucional para o país pode ser enorme, com ainda mais aumento do dólar e dos juros neste momento já bastante delicado.

Eu sigo atento aos possíveis problemas que podem atrapalhar os resultados da Petrobras. Mas neste momento ela faz por merecer a sua posição na série Vacas Leiteiras.

Se quiser conferir a lista completa de companhias capazes de te trazer um ótimo rendimento mesmo neste momento de incertezas, deixo aqui o convite.

Um grande abraço e até a semana que vem!

Ruy

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

AGENDA ESG

Itaú (ITUB4) capta R$ 2 bilhões em títulos sociais para investir em negócios liderados por mulheres

2 de fevereiro de 2023 - 10:33

O banco emitiu R$ 2 bilhões em letras financeiras sociais, também chamadas de social bonds, no mercado local

EXPLORANDO OPÇÕES?

Veja as primeiras explicações da Oi (OIBR3) para o pedido cautelar que pode anteceder seu retorno à recuperação judicial

2 de fevereiro de 2023 - 10:14

Oi (OIBR3) antecipa a possibilidade de um ingressar em um novo processo de recuperação judicial sem nem bem ter saído do primeiro

O MEDO NA ESQUINA

Bitcoin (BTC) se aproxima dos US$ 24 mil e sobrevive ao Fed e ao Facebook — mas as big techs ainda podem melar o rali das criptomoedas; entenda

2 de fevereiro de 2023 - 9:49

A semana dos balanços das empresas de tecnologia tem potencial de movimentar as cotações das maiores moedas digitais do mundo

Eleições 2026?

Em evento do Credit Suisse, Faria Lima ‘elege’ Tarcísio de Freitas presidente da República em 2026

2 de fevereiro de 2023 - 9:18

No evento do Credit Suisse, faltou cadeira para os interessados em ouvir o que o governador de SP tinha a dizer

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Feitiço do tempo no Banco Central: Selic em 13,75% ao ano, nova recuperação judicial da Oi (OIBR3), Santander abaixo das expectativas e outras notícias do dia

2 de fevereiro de 2023 - 8:00

Na noite de ontem, a Oi (OIBR3) entrou com pedido cautelar e pode estar se preparando para a segunda recuperação judicial em menos de dois meses

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies