O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-11T17:04:59-03:00
Carolina Gama
FECHAMENTO DO DIA

S&P 500 tem início de semana difícil em meio a onda de vendas de tecnologia; veja como bolsas nos EUA fecharam

Petróleo também fecha em queda, voltando a ser negociado abaixo dos US$ 100 o barril, em meio a temores dos investidores com a covid-19 na China

11 de abril de 2022
17:03 - atualizado às 17:04
Tinta vermelha simula sangue na palavra Wall Street
Imagem: Shutterstock

O S&P 500 sucumbiu às preocupações dos investidores com a desaceleração da economia norte-americana e em meio a uma onda de venda de ações de tecnologia. Junto com o Dow Jones e o Nasdaq, o índice mais amplo de Nova York terminou a segunda-feira (11) em queda. 

As ações de tecnologia, que fecharam uma sequência de três semanas de ganhos na semana passada, começaram a segunda-feira com o pé atrás, já que os investidores tendem a abandonar ativos mais arriscados com a perspectivas de taxas básicas mais elevadas.  

Os papéis da Microsoft chegaram a cair quase 4%. As ações de fabricantes de semicondutores, como Nvidia e Advanced Micro Devices, recuaram 5,2% e 3,59%, respectivamente.

Já os juros projetados pelos títulos do Tesouro dos EUA — considerados ativos seguros em tempos de incerteza — continuaram a acumular ganhos com as expectativas de um ritmo mais agressivo de aperto da política monetária do Federal Reserve (Fed) no próximo mês.

Os juros dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos, considerados referência, saltaram acima de 2,78% hoje — níveis não vistos desde janeiro de 2019.

Os preços do petróleo também caíram nesta segunda-feira em meio a temores de que os bloqueios contra a covid-19 na China deprimiriam a demanda global. Tanto o Brent quanto o WTI foram negociados abaixo de US$ 100 o barril hoje. 

Confira o fechamento dos índices em Nova York:

  • Dow Jones: -1,19%, 34.309,07 pontos
  • S&P 500: -1,68%, 4.412,83 pontos
  • Nasdaq: -2,18%, 13.411,96 pontos

S&P 500 seguiu a Europa

O S&P 500 seguiu a trajetória das bolsas europeias que, em sua maioria, também fecharam em queda em meio à pressão da política monetária e da guerra na Ucrânia. 

O pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,7%, com as ações de tecnologia caindo 2% para liderar as perdas, já que a maioria dos setores e principais bolsas terminaram em território negativo.

  • Londres: -0,67%
  • Paris: +0,12%
  • Frankfurt: -0,64%

Além da guerra e da política monetária, as eleições na França também entraram no radar dos investidores europeus. 

O presidente francês, Emmanuel Macron, e a desafiante de extrema-direita Marine Le Pen avançaram no primeiro turno da eleição presidencial francesa e devem se enfrentar em um segundo turno em 24 de abril.

Uma vitória de Le Pen seria um choque para a França e a Europa como um todo, provavelmente oferecendo aos mercados mais motivos de preocupação.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies