🔴 RECEBA ANÁLISES DE MERCADO DIÁRIAS: CLIQUE AQUI E SIGA O SEU DINHEIRO NO INSTAGRAM

2022-03-02T14:33:29-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Bolsa sem paz! Europa e Estados Unidos ficam mais um dia no vermelho, na cola do exército russo

Forças militares russas seguem avançando em direção a Kiev, e os mercados globais ficam pressionados

1 de março de 2022
18:02 - atualizado às 14:33
Há uma tensão geral nas bolsas pelo mundo com os ativos de risco após o aumento da tensão entre Rússia, Ucrânia e a Otan, encabeçada pelos Estados Unidos
Imagem: Shutterstock

A bolsa de Moscou está blindada contra novas perdas – está fechada desde a última segunda-feira (28), após uma queda de cerca de 50% –, mas as bolsas internacionais seguem repercutindo o avanço da Rússia em território ucraniano e as implicações econômicas do conflito. 

A bolsa brasileira só volta a operar amanhã, às 13h, após a pausa para o Carnaval, e deve repercutir um cenário de grande aversão ao risco.

Nesses últimos dois dias, as bolsas americanas e europeias sangraram, ainda que algumas companhias brasileiras que negociam recibos de ações em Nova York (ADRs) tenham tido uma alta expressiva, acompanhando os ganhos do petróleo. O principal destaque fica com a Petrobras, que acompanhou o avanço significativo do petróleo. 

As bolsas europeias e americanas, no entanto, não contaram com a mesma sorte. Enquanto os russos seguem avançando pelo território ucraniano, os principais índices globais seguem acumulando perdas.

Na Europa, as principais praças recuaram quase 4% hoje, e em Wall Street as perdas foram da ordem de 2%. Confira o fechamento da bolsas em Nova York:

  • S&P 500: -1,59%
  • Nasdaq: -1,59%
  • Dow Jones: -1,77%

A guerra até aqui

O exército russo atacou a segunda maior cidade ucraniana, Kharkiv, atingindo alvos civis, em direção à capital do país. O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, participou hoje de uma sessão do Parlamento Europeu, um dia após ter pedido oficialmente a integração do país ao bloco, e agradeceu o apoio recebido até agora. 

O governo ucraniano informou que os invasores derrubaram uma torre de TV e atingiram o principal Museu do Holocausto da Ucrânia. 

Segundo as agências russas de notícias Tass e RIA, o Ministério de Defesa da Rússia informou que o país irá atacar Kiev para atingir alvos ligados ao serviço de segurança e à unidade de operações especiais ucranianos. O comunicado pede que civis se retirem da cidade. 

O Kremlin insiste que, até o momento, somente infraestrutura militar foi atingida e que civis não correm perigo, mas o Ministério do Interior da Ucrânia informou que 352 civis já foram mortos – incluindo 14 crianças. 

Bolsa e dólar sob pressão

O dólar encarou mais um dia de fortalecimento em escala global. O DXY, índice que mede o desempenho da moeda americana em relação a uma cesta com divisas fortes — como o euro, o iene, a libra e o franco suíço — avançou 0,72% nesta terça. O ouro, tradicional reserva de valor em tempos de crise, teve mais um dia de avanço expressivo acima da casa do 2%. 

A elevação da tensão na Ucrânia também voltou a pressionar o petróleo. Tanto o barril do WTI quanto o Brent operam acima dos US$ 100, no maior nível em oito anos.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) está pressionada para elevar a produção e reduzir o valor da commodity, mas não deve agir. A Arábia Saudita já se pronunciou, afirmando que irá manter o que foi acordado na reunião anterior e subir lentamente a produção.

Os Estados Unidos e aliados voltaram a falar em lançar as reservas no mercado para tentar conter a escalada da commodity, mas os especialistas julgam o movimento como insuficiente. 

Sem chances

Enquanto o presidente russo Vladimir Putin flerta com a possibilidade de uma guerra nuclear, a Casa Branca faz questão de reforçar que essa não é uma possibilidade e que tratados internacionais foram assinados entre as potências para impedir o uso do arsenal disponível, o que aliviou a bolsa na sessão de ontem.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

NOITE CRIPTO

Na luta: bitcoin (BTC) opera em alta, mas performance não dá inveja; confira cotações

Apesar do avanço, o último mês foi o pior da história do bitcoin. A queda de 37,9% se consolidou como a mais terrível da história, desbancando maio de 2021, quando o recuo foi de 35,4%

PROBLEMAS FINANCEIROS

Tenda (TEND3) negocia com credores e consegue sinal verde para flexibilizar endividamento

Os detentores de debêntures da empresa aceitaram mudar os termos das dívidas em troca de garantias – e remuneração – extras

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

‘Pane’ nas exchanges, os limites para a Rússia e a queda do Ibovespa; confira os destaques do dia

Os corredores do mercado financeiro estavam mais silenciosos do que o habitual nesta segunda-feira (04).  Nos Estados Unidos, as bolsas em Wall Street ficaram fechadas devido ao feriado do Dia da Independência americana, mas parece que boa parte dos investidores brasileiros também deu uma esticadinha no fim de semana.  Sem Nova York e com o […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa cai abaixo dos 99 mil pontos em dia de baixa liquidez; dólar e juros sobem com petróleo

Sem Wall Street, o Ibovespa teve um dia de movimentação limitada. Apesar da alta do petróleo, o índice não conseguiu se consolidar em alta

ELEIÇÕES 2022

Quem é Maria Luiza Ribeiro Viotti, a primeira mulher a comandar o Itamaraty se Lula vencer as eleições?

A indicação de uma mulher para o Itamaraty contemplaria o movimento feminino na diplomacia, que ganhou força política no Congresso e foi incentivado por Amorim no passado; o Brasil nunca teve uma chanceler

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies