🔴 3 ações para LUCRAR com a SELIC em alta: clique aqui e descubra quais são

2022-06-02T16:43:14-03:00
Carolina Gama
TIO SAM EM APUROS

Dólar vai perder a majestade? Confira quem ameaça o reinado da moeda americana no mundo

Levantamento do Fundo Monetário Internacional (FMI) mostra que a participação do dólar nas reservas cambiais globais caiu abaixo de 59% no quarto trimestre do ano passado

2 de junho de 2022
16:43
Dolar-nota-queirmando 2
Imagem: Shutterstock

Quem é rei, nunca perde a majestade. Essa máxima ainda pode valer para muitas coisas, mas parece que não mais para o dólar.

A moeda norte-americana, que reinou absoluta como a reserva global do mundo por décadas,  agora vê as estruturas de seu império abaladas pela concorrência. 

Levantamento do Fundo Monetário Internacional (FMI) mostra que a participação do dólar nas reservas cambiais globais caiu abaixo de 59% no quarto trimestre do ano passado. 

E essa não é uma novidade. Segundo o FMI, a tendência de queda vem ocorrendo há duas décadas. 

Quem quer levar a coroa do dólar?

Algumas moedas aparecem como candidatas a levar a coroa do dólar como moeda dominante no mundo — embora nenhuma, segundo o FMI, desponte ainda como favorita ou próxima de conseguir esse feito. 

A coroa sueca, o won sul-coreano e os dólares australiano e canadense estão nessa lista, dado o interesse dos bancos centrais em reservas não tradicionais.  

Ao mesmo tempo, outras moedas de reserva tradicionais que desempenharam um grande papel internacional — incluindo o euro, o iene e a libra — não avançaram.

Além disso, as moedas de economias menores que tradicionalmente não estão em reservas são responsáveis ​​por três quartos da mudança do dólar, segundo o FMI.

A guerra ajuda a destronar o dólar

Não é só o interesse dos bancos centrais em moedas não tradicionais que tem ajudado a reduzir a supremacia do dólar como moeda de reserva global. 

Em março, o FMI alertou que as sanções ocidentais contra a Rússia por conta da invasão da Ucrânia poderiam diminuir o domínio do dólar. 

E mais: economistas do Fundo indicaram que a guerra também pode levar à adoção de criptomoedas e stablecoins, ainda que haja uma lacuna na regulamentação.

Israel, um exemplo recente

Em abril, o banco central de Israel revelou uma nova estratégia para alocar mais de US$ 200 bilhões em reservas. 

A autoridade monetária expandirá as participações para incluir os dólares canadense e australiano, o yuan e o iene. 

Segundo dados da Bloomberg, quando isso acontecer, a participação do dólar no banco central de Israel cairá de 66,5% para 61%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Fraqueza nos números

Entrega de veículos da Tesla (TSLA34) recua no segundo trimestre e vem abaixo da expectativa do mercado

Apesar do crescimento das vendas na comparação anual, houve uma queda em relação ao trimestre anterior

Mais uma vítima

Após tomar calote do 3AC, exchange Voyager Digital suspende saques, depósitos e negociações de clientes

Corretora de criptomoedas tomou calote de mais de US$ 670 milhões, mas, apesar de ter tomado empréstimos, precisou paralisar atividades

Bancões na área

Vão sobrar uns cinco ou dez bancos digitais, e o Next está entre eles, diz CEO do banco digital do Bradesco

Renato Ejnisman diz ainda que Next visa a mais aquisições e pensa ainda em internacionalização

No vermelho

Magazine Luiza (MGLU3) é a ação com o pior desempenho do Ibovespa no primeiro semestre de 2022; outras varejistas e techs também sofreram no período

Com queda acumulada de quase 70% no ano, ações do Magalu são as piores do Ibovespa no semestre que acaba de terminar

Proteção

Qual título público comprar no Tesouro Direto? Santander recomenda papel indexado à inflação para o mês de julho; veja qual

Recomendação do banco para o Tesouro Direto visa proteção contra a inflação e possibilidade de valorização

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies