Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-04T14:52:12-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
espaço para mais

WEG (WEGE3) ainda pode subir 36%, diz XP em início de cobertura das ações; veja 4 pontos que sustentam a tese

Relatório é divulgado em um momento em que parte dos investidores questiona se a companhia não estaria com preços esticados; WEGE3 acumula ganhos de mais de 400% em cinco anos

4 de agosto de 2021
14:45 - atualizado às 14:52
Fábrica da Weg (WEGE3) em Santa Catarina
Fábrica da Weg em Santa Catarina. - Imagem: Jonne Roriz/Estadão Conteúdo

As ações da WEG (WEGE3), que subiram 8,8% no último ano contra 20% do Ibovespa, podem avançar mais 36%, na avaliação dos analistas da XP. A corretora estabeleceu um preço-alvo de R$ 50 por ação.

A avaliação faz parte do início da cobertura das ações da empresa por parte da XP. Para analistas da casa, a WEG (WEGE3) "está bem posicionada para sustentar seu sólido perfil de valor".

O relatório é divulgado em um momento em que parte dos investidores questiona se a companhia não estaria com preços esticados. WEGE3 acumula ganhos de mais de 400% em cinco anos.

Para a XP, o valuation da WEG não está esticado. Segundo a corretora, a empresa é negociada a cerca de 44x 2022 Preço/Lucro, enquanto a média do múltiplo global para empresa industriais é de 20x.

"Vemos os múltiplos atuais como uma resposta razoável à altas expectativas de crescimento [...] e altos retornos sustentáveis ​​no longo prazo", disseram os analistas.

O desempenho recente das ações da companhia reflete a maior percepção de risco global, "o que implica em um impacto maior em ações com altos níveis de crescimento implícito (nomes expostos à energia renovável mais impactados durante esse período)", avalia a XP.

4 pilares por trás da tese da WEG (WEGE3)

Os analistas estabeleceram quatro pilares para sustentar a tese com o preço-alvo e recomendação de compra das ações:

  1. Conjunturas macro favoráveis para suportar o momento da receita de curto a médio prazo;
  2. Crescimento de longo prazo suportado pela internacionalização e "seu DNA inovador em direção a mercados de alto crescimento e ainda pouco explorados";
  3. Execução sólida "para sustentar seus altos níveis de retorno";
  4. "Forte posicionamento em relação à agenda ESG".

O primeiro tópico, de conjuntura macroeconômica, é sustentado pela corretora porque a WEG (WEGE3) tem receita altamente correlacionada com os ciclos de investimentos globais.

O mundo passa por uma perspectiva de recuperação, depois do baque com a chegada da pandemia de covid-19. Daí a razão para o otimismo nessa frente.

"Além disso, vemos a contínua transição energética para fontes renováveis ​​como um importante vetor de crescimento para a WEG", disseram os analistas da XP.

Quanto ao tópico de "internacionalização", os analistas lembram que a WEG (WEGE3) segue aumentando sua exposição aos mercados externos, com baixa participação de mercado e grande mercado endereçável.

Hoje a companhia tem cerca de 1% de participação em um mercado de aproximadamente US$19 bilhões na Ásia-Pacífico, por exemplo. A XP fala em "DNA inovador" da empresa e em crescimento sustentado por tendências de longo prazo, tais como:

  • Mobilidade elétrica;
  • Serviços de armazenamento de energia;
  • Soluções digitais.

Os tópicos inovadores, definidos pela corretora, seriam parte do posicionamento em relação à agenda ESG. No que diz respeito a "execução sólida", essa já é conhecida pelo mercado por conta dos balanços trimestrais da empresa.

E os resultados do segundo trimestre?

No balanço mais recente, a WEG (WEGE3) apresentou lucro líquido de R$ 1,13 bilhão entre abril e junho, mais que o dobro dos ganhos contabilizados há um ano.

A cifra ficou 41% acima da média das projeções de analistas, que apontava para um lucro na casa de R$ 796 milhões.

A receita líquida cresceu 41% na mesma base de comparação, para R$ 5,75 bilhões, enquanto o Ebitda (o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 1,39 bilhão, avançando 90% em um ano.

Em relação aos primeiros três meses de 2021, as taxas de crescimento foram as seguintes:

  • Receita líquida: +13,2%;
  • Ebitda: +37%; e
  • Lucro líquido: +48,5%.

VÍDEO: WEGE3 surpreendeu nos resultados? 

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Leão social

Reforma do Imposto de Renda vai bancar Auxílio Brasil? Se depender da Câmara dos Deputados, sim; entenda

Os deputados aprovaram um projeto de lei que autoriza o uso e recursos da reforma no programa desenhado para substituir o Bolsa Família

Mais uma na lista

Corretora de criptomoedas Huobi Global, uma das maiores do mundo, restringe negociações na China

A plataforma também informou que retirará gradualmente as contas existentes no gigante asiático até o fim de 2021

Uma nova gigante tech

Infracommerce (IFCM3) dispara 10% com “aquisição transformacional”; outras techs sentem o baque e caem

A Infracommerce (IFCM3) acertou a compra da Synapcom, ganhando escala no B2B — e pagando um preço relativamente baixo pela rival

NOVO SUSTO

Em crise de liquidez, concorrente da Evergrande esboça pedido de apoio a governo de cidade chinesa

Notícia provocou queda acentuada nas ações da Sunac, que fecharam hoje no nível mais baixo em 4 anos

Crédito disponível

Com juros salgados, Caixa libera empréstimo de até R$ 1.000 no aplicativo Caixa Tem; veja condições

O crédito ficará disponível para assalariados, autônomos, beneficiários de programas sociais e de políticas públicas de distribuição de renda

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies