';

🔴 O ‘NOVO PETRÓLEO’ FOI ENCONTRADO E JÁ É MOTIVO DE DISPUTA NO MUNDO — DESCUBRA AQUI

Cotações por TradingView
2021-02-03T20:35:58-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
passando o bastão

Jeff Bezos deixará o cargo de CEO da Amazon; relembre a trajetória do bilionário

Empresário americano, que fundou a companhia em 1994, vai passar o bastão para o atual CEO da divisão de computação em nuvem, braço importante da Amazon

2 de fevereiro de 2021
21:06 - atualizado às 20:35
Jeff Bezos, CEO da Amazon
Jeff Bezzos, em Washington DC, EUA. 20 de dezembro de 2020 - Imagem: Shutterstock

Jeff Bezos deixará o cargo de CEO da Amazon no terceiro trimestre deste ano. O bilionário, que fundou a empresa em 1994, vai passar o bastão para o atual CEO da Amazon Web Services (AWS), Andy Jassy.

Em carta os funcionários da empresa publicada nesta terça-feira (2), Bezos disse que deve se dedicar a outras iniciativas. "Quando você tem uma responsabilidade como essa [de CEO da Amazon], é difícil ter atenção a qualquer outra coisa".

O bilionário planeja passar mais tempo com a filantropia, com a "Bezos Earth Fund" e a "Day One Fund". O Washington Post, comprado pelo empresário em 2013, e a Blue Origin também devem tomar mais tempo do executivo.

Veja no vídeo abaixo da análise de João Piccioni, especialista em ações de empresas globais da Empiricus:

Jassy, que será o novo CEO, chegou na companhia em 1997, no ano em que a empresa abriu capital. Desde 2003, o executivo comanda a AWS, a frente de computação em nuvem da empresa.

Sob a gestão de Jassy, a AWS passou a gerar US$ 40 bilhões em receita anual para a Amazon. A divisão é líder de computação em nuvem, com 30% de participação de mercado.

Empreitada bilionária

Bezos deu início à empreitada que o deixou bilionário há 26 anos, na costa Oeste dos Estados Unidos. Então analista financeiro em Wall Street, ele pediu demissão para vender livros pela internet - com a esposa na época, MacKenzie.

O esboço do plano que daria origem à Amazon foi feito durante uma viagem de carro do casal e colocado em prática no verão de 1994. Dois meses depois de abrir a empresa, Jeff Bezos matriculou-se em um curso na Associação Americana de Livrarias para aprender a vender livros.

Quase um ano depois, a Amazon fez sua primeira venda. Por dois anos, o casal trabalhou pesado, empacotando e despachando as encomendas. Em janeiro de 2019, eles anunciaram um divórcio bilionário.

Bezos e Mackenzie acreditavam que quando as pessoas aprendessem a comprar livros passariam a adquirir outras coisas online. O fundador da Amazon trabalhou em cima da lógica de que os preços baixos atraíam clientes e que isso aumentava os volumes de venda - o que, por sua vez, fazia os preços caírem ainda mais.

Sem os custos de manutenção de uma loja física, a empresa facilmente igualava ou superava os descontos de outras livrarias. Com sua escala e disposição para operar com margens zero, Bezos impôs uma barreira a potenciais concorrentes e deixou muita gente pelo caminho.

Resultados

O bilionário já demonstrou que entre lucrar e expandir o alcance de seu conglomerado, vai sempre optar pelo segundo caminho. Os investidores custaram a entender essa lógica, mas também se dobraram ao modelo de Jeff Bezos, que esperou seis anos para ver o balanço da Amazon no azul.

Nesta terça, a Amazon anunciou também um lucro líquido de US$ 7,2 bilhões no quarto trimestre de 2020, ou US$ 14,09 por ação diluída, um avanço ante os US$ 3,3 bilhões, ou US$ 6,47 por ação, de igual período de 2019.

O resultado superou com folga a previsão de lucro de US$ 7,19 por ação dos analistas ouvidos pela FactSet. As vendas da companhia ficaram em US$ 125,6 bilhões no quarto trimestre do ano passado, também acima dos US$ 87,4 bilhões de igual período de 2019.

Em setembro de 2018, a Amazon foi avaliada em mais de US$ 1 trilhão pela primeira vez. Hoje, a empresa vale US$ 1,69 trilhão. A fortuna de Bezos é avaliada em US$ 196,4 bilhões - ele é o segundo homem mais rico do mundo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

DANÇA DAS CADEIRAS

Da Fiesp para a Petrobras: Josué Gomes é cotado para o conselho da Petrobras

28 de janeiro de 2023 - 13:59

A montagem da chapa do governo na Petrobras foi discutida em reunião entre Lula e o seu indicado para a presidência da empresa, Jean-Paul Prates

VEÍCULOS ELÉTRICOS

Elon Musk comemora! Entenda o que fez a ação da Tesla ter seu melhor desempenho semanal desde 2013

28 de janeiro de 2023 - 12:07

As ações da Tesla subiram 33% na semana, interrompendo um período de seis meses em que caíram mais de 40%

ESTÁ SÓ COMEÇANDO

Insider trading na Americanas? CVM abre inquérito para investigar

28 de janeiro de 2023 - 8:48

CVM instaura inquéritos administrativos para apurar condutas suspeitas em meio à derrocada da Americanas (AMER3)

Aperta o play!

Campos Neto manterá o plano de voo? Os desafios do Banco Central autônomo no governo Lula e o que esperar da próxima Super Quarta

28 de janeiro de 2023 - 8:00

No podcast Touros e Ursos desta semana, as expectativas para as decisões de juros nos EUA e no Brasil, após Lula criticar a autonomia do Banco Central

LOTERIAS

Lotofácil tem 4 ganhadores; Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 75 milhões

28 de janeiro de 2023 - 7:55

Enquanto a Lotofácil segue fazendo a alegria dos apostadores, Mega-Sena está acumulada desde o sorteio da virada

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies