O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2021-07-16T14:18:08-03:00
Estadão Conteúdo
Vespeiro jurídico

‘Ilegal e inviável’: credores contestam plano de recuperação judicial da Samarco

O grupo, formado por fundos estrangeiros, é detentor de R$ 21 bilhões do total da dívida da empresa e formalizou sua posição contrária à proposta

16 de julho de 2021
14:18
Complexo de Germano Samarco
Imagem: Divulgação

Os credores da Samarco formalizaram sua posição contrária ao plano de recuperação judicial da mineradora.

Em novo pedido feito à Justiça, o grupo formado por fundos estrangeiros - entre eles, York e Ashmore -, detentores de R$ 21 bilhões do total de R$ 50 bilhões da dívida da empresa, afirma que o atual plano Samarco é "ilegal e inviável".

Na prática, dizem os fundos, a Samarco pede o perdão de dívidas aos seus credores e beneficia apenas seus sócios, a brasileira Vale a australiana BHP Billiton. A mineradora esteve no centro da tragédia de Mariana (MG), em 2015, e ficou vários anos sem operar.

Sem negociações

No documento, que foi apresentado ontem, os credores dizem não ter sido procurados pela companhia para negociar os termos e condições de pagamento propostas no plano

"Apesar da interação entre os credores e o devedor ser o ponto nevrálgico para o sucesso de qualquer recuperação judicial, a Samarco preferiu um voo solo, apresentando proposta unilateral que só beneficia as acionistas - verdadeiras responsáveis pela crise que culminou no pedido", aponta a petição.

"O plano não serve como base para uma negociação", afirma Paulo Padis, sócio da Padis Mattar Advogados, que representa o grupo de credores que concentra 80% das dívidas, sem contar os débitos com BHP e Vale. Por isso, os fundos pedem a realização de assembleia dos credores sobre o plano.

O advogado explica que o plano força os credores a serem acionistas da Samarco. Isso porque a outra alternativa - que envolve a redução de 85% no pagamento da dívida, com o restante parcelado em vários anos - não teria condições de ser aprovada por "nenhum credor consciente".

Conforme fonte próxima à Samarco, a nova petição dos credores seria uma tentativa de "gerar tumulto". A fonte disse ainda que uma antecipação da assembleia fora do prazo processual "não tem a menor chance de ocorrer".

Briga pública

O contra-ataque dos credores ocorre duas semanas depois de a Samarco chamar a estratégia dos fundos de "chantagem".

Em resposta, Marcos Pitanga, do escritório Ferro Castro Neves, que também representa os credores, diz que existe um desalinhamento entre Vale e BHP e os demais credores.

Isso, segundo ele, porque as duas gigantes mundiais de mineração têm pouco interesse na Samarco, ao contrário do grupo, que precisa que ela volte a operar para ser ressarcido.

Para os credores, as condições do plano são abusivas e evidenciam "postura ardilosa das acionistas, que abusam de sua condição de controladoras para (...) extraírem dela valor em detrimento da coletividade de credores". Segundo Padis, os advogados da Samarco trabalham em prol dos acionistas, e não da companhia em si.

Procurada, a Samarco disse que responderá nos autos do processo. Vale e BHP não comentaram.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

PORTFÓLIO DE BILHÕES

Aposta contra a Apple (AAPL34)? Veja as mudanças que Warren Buffett, Michael Burry e investidores de elite fizeram nas carteiras

Esses pesos-pesados do mercado financeiros tomaram decisões surpreendentes no primeiro trimestre; confira as mudanças mais significativas que eles fizeram no período

DO BRASIL PRO MUNDO

Guedes tem encontro com Escobari, da General Atlantic, e vai a jantar do BTG; confira a agenda do ministro em Davos

O banqueiro André Esteves, que em abril voltou ao comando do conselho do BTG Pactual, está participando do evento na Suíça

UMA TECH ATRAENTE

É hora da Locaweb? Saiba por que o Deutsche Bank vê ponto de entrada para as ações LWSA3

Banco alemão atualizou a recomendação para a empresa de neutra para compra e vê potencial de valorização de mais de 50% para os papéis

O QUE VEM POR AÍ

Ata do Fed e IPCA-15: confira a agenda de indicadores da semana aqui e lá fora

Nos Estados Unidos, a segunda prévia do PIB no primeiro trimestre também é destaque; na Europa, o PIB da Alemanha é o principal dado

CAMINHO DO MEIO

Menor rejeição e apoio interno no MDB dão vantagem a Simone Tebet; veja os rumos da senadora da terceira via

Maior desafio, segundo marqueteiros, é torná-la popular: 46% do eleitorado desconhece Simone Tebet, segundo pesquisas recentes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies