Menu
2021-01-16T15:43:54-03:00
Estadão Conteúdo
Impasse

Guedes monta operação ‘apara arestas’ para manter Brandão à frente do Banco do Brasil

Por enquanto, o presidente do BB está no “limbo” na avaliação de funcionários do próprio banco, sem uma manifestação pública do presidente e de Guedes

16 de janeiro de 2021
15:43
André Brandão, presidente do Banco do Brasil
André Brandao, presidente do Banco do Brasil. - Imagem: Alan Santos/PR

Uma operação "apara arestas" foi montada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para garantir a permanência do presidente do Banco do Brasil, André Brandão, no cargo, mas investidores ainda cobram um posicionamento oficial do governo, depois que o presidente Jair Bolsonaro criticou o plano de reestruturação do banco. Os acionistas do banco querem saber se o plano, com fechamento de 112 agências e desligamento de 5 mil funcionários, será abortado.

Por enquanto, Brandão está no "limbo" na avaliação de funcionários do próprio banco, sem uma manifestação pública do presidente e de Guedes.

Ao Estadão, o vice-presidente Hamilton Mourão disse que entendeu que o presidente do BB permanece na presidência do banco. Ele negou que tenha ocorrido interferência política na instituição. "Num momento em que se está brigando por questões de desemprego, o camarada anuncia que a Ford sai do Brasil e o Banco do Brasil fala a mesma coisa. O presidente dá um pulo na cadeira", afirmou.

Mas o vice-presidente alertou que, embora o banco tenha o governo como maior acionista, o governo precisa também lembrar que o BB não é como a Caixa Econômica Federal - "totalmente estatizada". "É uma instituição que tem ações em Bolsa, consequentemente, depende de seus acionistas externos para agir. Ela tem de agir de acordo com as leis do mercado", afirmou Mourão.

O vice-presidente lembrou, porém, que o BB está no imaginário da população e que as pessoas que moram em grandes cidades não entenderam que "lá em Giruá, no interior do Rio Grande do Sul, o prefeito, o juiz e o gerente do Banco do Brasil são autoridades".

Brandão não pretende abrir mão do plano de reestruturação, mas ajustes estão sendo esperados pelos funcionários do banco. Funcionários do BB, por meio de quatro entidades sindicais, enviaram ontem carta a deputados e senadores pedindo a revisão do plano.

"A insensibilidade diante deste momento, a falta de empatia e a ausência de um plano voltado para as reais necessidades do País chocam quando partem de uma empresa pública de 212 anos de serviços prestados à sociedade brasileira", diz a carta, que não faz nenhuma referência à crise política com o presidente Bolsonaro e presidente do BB.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Vêm proventos por aí

B3 anuncia quase R$ 2 bi em dividendos, além de recompra e desdobramento de ações

Conselho de administração da companhia aprovou pagamento de dividendos do quarto trimestre e dividendos extraordinários referentes a 2020

Cenário pandêmico

B3 lucra R$ 4,2 bilhões em 2020, alta de 53%, com volatilidade dos mercados, ofertas de ações e juros baixos no Brasil

Cenário pandêmico acabou beneficiando os resultados da companhia, resultando em volatilidade e juros baixos que impulsionaram investidores e empresas a recorrerem ao mercado de capitais

O melhor do seu dinheiro

A semana que vem, enfim, chegou

Depois de uma série de adiamentos, a PEC Emergencial enfim foi aprovada em dois turnos pelo Senado. A medida permitirá o retorno do auxílio emergencial, que ficará limitado ao teto de R$ 44 bilhões, que quase foi derrubado, mas acabou ficando. O texto segue agora para a Câmara dos Deputados. O avanço foi comemorado pelo […]

FECHAMENTO

Aprovação da PEC emergencial garante recuperação do Ibovespa enquanto NY amarga perdas

A fala de Powell fez o Ibovespa reduzir os ganhos, mas ainda assim o principal índice da bolsa avançou 1,35%; dólar teve queda de 0,11%, a R$ 5,6582

Petróleo

Evitar volatilidade nos preços serve a consumidores e produtores, afirma ministro árabe na Opep+

Quanto aos elementos que vêm sendo observados na demanda para as decisões do grupo, o saudita apontou o retorno da mobilidade como uma prioridade.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies