Menu
2021-04-30T13:10:33-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Tratamento alternativo

Conheça a MindMed, empresa de tratamento psicodélico com LSD que abriu capital na Nasdaq

Não é brincadeira: LSD, MDMA, e outras drogas são usadas de maneira controlada para tratar vícios, transtorno de déficit de atenção (ADHD), depressão e ansiedade

30 de abril de 2021
13:10
Drug,Trip.,Drugs,In,Ampoules,And,Money,In,Rainbow,Colors.
Imagem: Shutterstock

Você certamente já ouviu falar da morfina, um poderoso analgésico usado para tratar dores insuportáveis. Mas da mesma papoula que é extraída a morfina, também sai a heroína, a droga mais viciante e perigosa do mundo. Mesma planta, substâncias diferentes.

Se eu disser que uma farmacêutica está usando morfina para o tratamento de pacientes, talvez não gerasse nenhum estranhamento. É natural que uma farmácia use remédios.

Já se ela estiver oferecendo heroína aos seus clientes, é caso de polícia. 

A história da medicina é marcada por essas transformações. De uso medicinal para a ilegalidade, como foi o caso da cocaína e diversas outras substâncias.

Mas pesquisas recentes indicam que algumas delas podem ser usadas como tratamento terapêutico para algumas doenças.

Drogas psicoativas

A empresa MindMed (MNMD), especializada em biotecnologia, abriu capital na Nasdaq na terça-feira. O fato mais curioso é o modelo de negócios da empresa. “Biotecnologia” é um nome sofisticado para os tratamentos com drogas psicoativas que a MindMed faz. 

LSD, MDMA, e outras drogas são usadas de maneira controlada para tratar vícios, transtorno de déficit de atenção (ADHD) em adultos, depressão e ansiedade. A MindMed acredita em um tratamento diferenciado para esse tipo de transtorno, cada vez mais comuns nos dias de hoje.

De acordo com um levantamento feito pela própria empresa, as estatísticas do setor são promissoras. Em todo o mundo são gastos, por ano, cerca de:

  • US$ 4,7 bilhões em drogas para controle da ansiedade
  • US$ 9,5 bilhões em drogas para controle de déficit de atenção
  • US$ 9,6 bilhões em drogas para controle da depressão
  • US$ 5,8 bilhões em drogas de combate ao vício

A MindMed afirma que quer entrar nesse mercado como uma alternativa aos tratamentos tradicionais. 

De torcer o nariz

Entretanto, no jogo de empresas com capital aberto não existe espaço para erros ou mau comportamento. Nos primeiros dias de negociações, os papéis MNMD caíram cerca de 30%, sendo cotados a US$ 2,13.

As ações que começaram valendo US$ 2,89 chegaram a valer US$ 4,69, segundo o Market Watch. Por volta das 11h40 de hoje, estavam na casa dos US$ 4,00. 

'Importa qual é a substância?'

O co-fundador e co-CEO da MindMed, JR Rahn, já deu entrevista para a Forbes, afirmando que o mercado se concentra na medicina clínica para o tratamento dessas doenças.

“Não vamos esquecer que nós, como indústria e como empresa, listamos substâncias psicodélicas no Nasdaq. Isso por si só, para mim, é uma conquista. Vai além de tirar o estigma das substâncias com as quais estamos trabalhando”, afirmou ele. 

“Se podemos resolver a depressão, ansiedade, ADHD, realmente importa qual é a substância? Não deveríamos estar mais focados no resultado e no benefício para a sociedade? ” Rahn disse, em outra entrevista.

A MindMed já apareceu no Reddit, o mesmo site que movimentou as “sardinhas” na bolsa com as ações da GameStop.

Alguns analistas afirmam que o mesmo efeito pode se repetir. Para outros… Isso é pura viagem.

*Com informações da The Hustle

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Como Era Verde o Meu Vale: ainda vale a pena ter Vale?

Vivemos um “novo ciclo das commodities”, com minério de ferro e carvão batendo sucessivas máximas. E a Vale ainda pode se beneficiar deste momento

IR 2021

Imposto de Renda: Como declarar bens e rendimentos comuns do casal?

A repórter Julia Wiltgen conversou com o advogado tributarista Samir Choaib e respondeu às principais dúvidas dos leitores do Seu Dinheiro

pandemia

Covid-19: mortes sobem para 436,5 mil, e casos chegam a 15,6 milhões

Nas últimas 24 horas, foram registrados 786 novos óbitos

na expectativa

Privatização da Eletrobras é necessária para consumidor, diz ministro

Para ele, capitalização da Eletrobras vai permitir que metade da outorga dela vá para aquela parte da tarifa de energia elétrica que são os tributos, os subsídios e também a parte que engloba toda a parte tributária

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Os três mosqueteiros do varejo e outros destaques da noite

Na bolsa e no setor de varejo, a máxima do “um por todos e todos por um” não se aplica. Empresas competem umas com as outras e investidores buscam as melhores aplicações — o “cada um por si” tem bem mais adeptos. Mas, quem diria, três mosqueteiros juntaram suas espadas para comemorar os bons resultados […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies