Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-11-18T17:49:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
REAÇÃO NEGATIVA

Lucro recorrente da Eletrobras sobe, mas provisões para contingências derrubam ações na B3

Já o lucro líquido da estatal de distribuição de energia recuou 65,72% em base anual, para R$ 964,6 milhões no trimestre

17 de novembro de 2021
6:44 - atualizado às 17:49
Eletrobras
Imagem: Shutterstock

O lucro líquido recorrente da Eletrobras (ELET3 e ELET6) atingiu a marca dos R$ 3,7 bilhões no terceiro trimestre, o que representa um avanço de 69% sobre o mesmo período do ano passado. Mas foram os muitos efeitos extraordinários no balanço que acabaram chamando mais a atenção do mercado.

As ações da estatal (ELET3 e ELET6) aparecem entre as maiores quedas do Ibovespa nesta quarta-feira, recuando mais de 4% cada.

Segundo a Eletrobras, o resultado do terceiro trimestre deveu-se principalmente à contabilização dos contratos renovados pela Lei 12.783/2021, como resultado do reperfilamento do componente financeiro de R$ 4,8 bilhões da Rede Básica Sistema Existente (RBSE). A empresa também contabilizou R$ 4,2 bilhões relativos à repactuação do risco hidrológico (GSF, da sigla em inglês), além da reversão de impairments de R$ 454 milhões.

Do ponto de vista contábil, o lucro líquido da Eletrobras no trimestre foi de R$ 964,561 milhões, queda de 65,72% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Os efeitos positivos da renovação dos contratos foram impactados por R$ 9,4 bilhões em provisões para contingências, sendo R$ 9 bilhões referentes a incremento no empréstimo compulsório, um passivo que remonta aos anos 1960.

Entre julho e setembro, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) totalizou R$ 5,6 bilhões, alta de 186,15%.

Receita de vendas cresceu 50%

A receita de vendas da Eletrobras atingiu R$ 9,956 bilhões no período, 50,25% superior ao mesmo intervalo do terceiro trimestre de 2020.

No período, a energia comprada para venda reverteu o valor negativo de R$ 563,925 milhões de um ano antes e totalizou R$ 2,360 bilhões. A estatal elétrica desembolsou R$ 627,476 milhões no terceiro trimestre do ano, uma alta de 18,80% na mesma base de comparação.

Investimentos também aumentaram

Já os investimentos realizados pela Eletrobras subiram 46,84% e somaram R$ 1 bilhão, sendo R$ 570 milhões no segmento de geração, R$ 375 milhões para os projetos de Angra 3 e R$ 139 milhões destinados à manutenção. Para a área de transmissão foram empregados R$ 378 milhões, sendo R$ 300 milhões destinados para reforços e melhorias.

*Com informações do Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies